• Paulo Vinicius

Resenha: "The Vagrant and the City" (The Vagrant vol. 2,5) de Peter Newman

Atualizado: Jun 4

O nosso Peregrino está de volta a contragosto para uma missão em nome dos Cavaleiros Serafim: ele precisa ir até um forte dissidente restaurar a ordem. Para alguém que se tornou o campeão da Cidade Brilhante isso parece uma missão simples, mas nada é o que parece.

Atenção: Resenha com spoilers.




Atenção: Resenha com spoilers de volumes anteriores. Não tenho como evitar!!!! Prossiga por sua conta e risco.








Fui apresentado ao mundo de Peter Newman há muitos anos atrás na época em que Mark Lawrence havia virado modinha aqui no Brasil. Com um estilo diferente, mais voltado para o lovecraftiano, e sem medo de experimentar e misturar elementos de ficção científica, fiquei encantado pelo mundo de The Vagrant. O primeiro volume contava com um personagem que não falava, então o autor precisava se virar em situações que exigiam diálogo. E mesmo assim o personagem era muito expressivo. No segundo volume, a narrativa se voltou mais para a Vesper, o bebezinho que o Peregrino carregava no início da história. Ela agora já crescida havia ficado de posse da Malícia, a espada amaldiçoada contendo os poderes de Gamma, um dos Antigos. Ou seja, Newman ampliou a construção de mundo no segundo volume. Esta é uma novella situada entre o segundo e o terceiro volumes. Alguns pequenos acontecimentos se sucedem que vão gerar mudanças no status quo.


Começamos com Vesper voltando até seu pai em uma nave do céu. O que parecia ser uma visita, se transforma em algo diferente quando o Peregrino nota uma barriga gigante na jovem menina. O pai é ninguém menos que Jem, que havia se tornado o interesse amoroso de Vesper em The Malice. Só que Vesper tem seus deveres como a portadora da Malícia e precisa levar a ordem até os lugares alcançados pela Ordem do Olho com Asas. Com a gravidez já avançada ela não pode mais resolver questões que exijam a força bruta então ela pede ao pai que a substitua para uma última missão. De forma relutante, ele aceita. Genner o coloca a par de uma confusão em uma aldeia chamada Seaside Town onde o governador local parece estar estocando armas ilegais e se aliando a salteadores da região. O espião que foi enviado até lá para fornecer relatórios sobre a situação aparentemente desapareceu. O dever do Peregrino é tentar uma "negociação" e restabelecer a ordem. Simples, não?


Aqui Newman volta à dinâmica de usar a inabilidade do protagonista de falar. Ele precisa se comunicar com gestos ou movimentos. Isso exige criatividade do autor para fazer as situações parecerem claras para o leitor. É uma das coisas que me fizeram me apaixonar pela série e vale a pena os autores conferirem para ver como trabalhar com alguém que possui uma limitação. Até hoje esse foi o único personagem de fantasia que eu vi com essa característica. E o personagem já está mais velho e carrega em si anos de experiência e dores, ou seja, ele acaba sendo mais cáustico na sua relação com as pessoas. Mesmo com Vesper, a gente vê que nem sempre eles se entendem apesar do amor que ele sente por sua filha. Ao mesmo tempo a idade o tornou mais sábio e isso ele demonstra ao lidar com os cadetes de Seaside, passando um pouco daquilo que ele sabe.


A missão no geral é simples. Assim como The Hammer and the Goat outra história curta que se passa entre os volumes 1 e 2, essa é uma história de transição que serve para mostrar a gravidez de Vesper e um outro desenvolvimento que eu não posso comentar. A narrativa é previsível, mas é legal ver que Newman experimentou algumas coisas neste volume. O Peregrino investiga aquilo que está acontecendo no forte e na cidade, e precisa ficar atento ao local e às pessoas para juntar as peças do quebra-cabeças para entender a história real por trás do incidente. A gente acaba adivinhando os próximos passos da narrativa, mas a escrita do Newman é tão divertida que nem percebemos o tempo passar. Não é exatamente uma leitura obrigatória na série até porque estes acontecimentos provavelmente serão retomados no volume 3, The Seven, mas é divertido para acompanharmos esta aventura.








Ficha Técnica:


Nome: The Vagrant and the City

Autor: Peter Newman

Série: The Vagrant vol. 2,5

Editora: Harper Voyager

Número de Páginas: 65

Ano de Publicação: 2017


Avaliação:

Outros Volumes:

The Vagrant (vol. 1)

The Hammer and the Goat (vol. 1,5)

The Malice (vol. 2)


Link de compra:

https://amzn.to/2WtIlF8









0 comentário