• Amanda Barreiro

Resenha: "Desaparecidos em Luz da Lua" (A Passa-Espelhos vol. 2), de Christelle Dabos

Ophélie está ainda mais sufocada pela rede de intrigas da corte. Agora, com o desaparecimento de alguns nobres e estranhas ameaças, talvez sua sobrevivência no Polo seja uma corrida contra o tempo.



Sinopse:


Segundo volume da série bestseller francesa A Passa-Espelhos, com mais de 500.000 cópias vendidas.


Quando Ophélie é promovida a vice-contista, ela se vê inesperadamente jogada aos holofotes e escrutínio da corte. Seu dom, a habilidade de ler a história secreta dos objetos, é descoberto por todos, e não há maior ameaça aos nefastos habitantes de seu novo lar gélido do que isso.


Sob os arcos dourados da capital do Polo, ela descobre que a única pessoa em que talvez possa confiar é Thorn, seu enigmático e frio noivo. À medida que influentes pessoas da corte começam a desaparecer, Ophélie se encontra novamente envolvida em uma investigação que a levará além das muitas ilusões do Polo e a uma temível verdade.


A Passa-Espelhos


Alerta: Pode conter spoilers do primeiro volume, Os Noivos do Inverno.


Segundo volume da série A Passa-Espelhos, Desaparecidos em Luz da Lua consegue superar a qualidade de Noivos do Inverno com grande tranquilidade, mesclando mistérios, conspirações e uma difícil investigação criminal com fantasia da melhor qualidade.


Já mais acostumada à vida na corte, mas ainda infeliz e apreensiva com tantos perigos e falsidades envolvendo a nobreza e seu espírito familiar, Farouk, Ophélie começa a entender como algumas coisas funcionam. Mas, nada no Polo é fácil: sua relação com Thorn vai de mal a pior, Berenilde é uma incógnita e todos os clãs a detestam como a estrangeira impostora e interesseira que imaginam que ela seja. Ophélie não tem espaço nesse mundo gélido e cruel.


A trama central do segundo volume é muito maior do que a primeira impressão nos leva a crer. A bem da verdade, o primeiro terço do livro mais parece um amontoado de informações que não fazem muito sentido, pois não esclarece onde a autora quer nos levar. Passamos pelo desenrolar das consequências do primeiro livro e continuamos a nos embrenhar por situações aparentemente aleatórias, e isso não é muito agradável, travando um pouco a leitura. E então o objetivo da trama começa a se delinear, nos mostrando um panorama mais amplo e complexo que arcas, política ou conspirações da nobreza. Farouk é a peça-chave para o desenvolvimento de Desaparecidos em Luz da Lua e, consequentemente, junto dele, alguns grandes mistérios sobre a própria Criação. Digamos que a vida de Ophélie só fica um pouco (muito) mais complicada.


"Os oponentes mais virulentos de uma tentação às vezes são seus maiores adeptos."

Ophélie é uma personagem incrível. Apesar de ter sido apresentada de forma que pouco lhe desse créditos no primeiro livro, tendo sua inaptidão social e falta de jeito sempre destacadas, Desaparecidos em Luz da Lua consegue contornar isso nos apresentando uma Ophélie obstinada, convicta e forte. A evolução é surpreendente. Sendo assim, ela decide criar e comandar sua própria narrativa, fazendo o que acha correto e ignorando todos que a julgam frágil e incapaz. O papel de Thorn na história também precisa ser enaltecido: é complicado desenvolver um personagem apático e pragmático, sem charme e sem carisma algum. Mas ele está ali, sendo trabalhado camada a camada, mistérios desvendados e traumas decifrados. O trabalho de Christelle Dabos com a criação das suas personagens é incrível.


Evolução é a palavra-chave para a série A Passa-Espelhos. Todos os demais aspectos da narrativa são muito bem desenvolvidos, com destaque para as personagens, inclusive as secundárias, como Berenilde, que desempenha um papel crucial na trama e surpreende pela qualidade de suas descrições, diálogos e atitudes. Mas a história vai muito além: os mistérios são muito engenhosos e, mais importante ainda, são solucionados e de forma inteligente e clara, sem explicações impossíveis, sem lançar mão de deus ex machina. As motivações também são relevantes e plausíveis e estão de acordo com as personalidades trabalhadas em cada personagem.


Farouk e Ophélie - Arte de Elisabeth Jammes

Assim como em Noivos do Inverno, um dos aspectos mais impressionantes da escrita da Christelle Dabos continua sendo o worldbuilding e as descrições das personagens, cenários e situações. Talvez a narrativa pudesse fluir mais rapidamente sem tantos detalhes, mas que graça teria, então? O Pólo é um mundo interessante demais para não ser pormenorizado. Particularmente, eu fico muito curiosa ainda com o funcionamento desse mundo tão vasto e cheio de mistérios, possibilidades, passagens secretas, magias e conspirações e espero que os próximos volumes continuem a proporcionar tanta qualidade quanto Desaparecidos em Luz da Lua conseguiu. Não vejo a hora de ler a continuação!











Ficha técnica:


Nome: Desaparecidos em Luz da Lua

Autora: Christelle Dabos

Série: A Passa-Espelhos vol. 2

Editora: Morro Branco

Tradução: Sofia Soter

Número de Páginas: 480

Ano de publicação: 2019


Outros Volumes:

Os Noivos do Inverno (vol. 1)


Link de compra:

https://amzn.to/2XiNuPP


Livro cedido em parceria com a editora Morro Branco.


Tags: #youngadult #literaturaya #amoya #loveya #leiaya #lepassemirroir #morrobranco #apassaespelhos #fantasia #fantasy #lovefantasy #amofantasia #leiafantasia







ficções humanas rodapé.gif

Todos os direitos reservados.

Todo conteúdo de não autoria será

devidamente creditado.

  • Facebook - Círculo Branco
  • Twitter - Círculo Branco
  • YouTube - Círculo Branco
  • Instagram - White Circle

O Ficções Humanas é um blog literário sobre fantasia e ficção científica.