• Paulo Vinicius

Resenha: "Onde o Vento Faz a Curva" de Larissa Brasil

Uma série de pequenas histórias compõem esse romance que se passa em Campo das Flores. Uma cidade onde o real e o fantástico estão separados por uma linha muito fina e tudo pode acontecer.




Sinopse:


O vento faz a curva lá no fim do mundo à esquerda. Bem naquela última cidadezinha que o tempo esqueceu. Se o vento não virar lá, ele se perde em um vácuo ou qualquer nome que quiser dar para o vazio. E o vazio não é um lugar bom de se ficar, e, apesar de não ter nada lá, preenche cada poro, célula, átomo do corpo e dói mais que dor de dente. Daí importância do vento fazer o que tem que ser feito por aquelas bandas. A curva é uma necessidade, sabe?

Onde O Vento Faz a Curva é um livro sobre seis pessoas que moram nessa cidadezinha, que fica em um pé de serra, longe, mas tão longe, que tive que contá-las senão elas seriam tal qual o vento quando-não-faz-a-curva, poderiam cair no esquecimento e se perder por aí. Tem mistério, suspense, humor, amor e uma pitadinha de terror. Vem descobrir Onde o Vento Faz a Curva.




A cidade onde tudo pode acontecer


Geralmente associamos a ficção fantástica ao gênero de capa e espada, às grandes sagas. Mas, nem sempre isso é verdade. A fantasia recebeu uma leitura bem diferente na América Latina, muito fruto do mestre Gabriel Garcia Marquez e seu realismo mágico. Ele foi o responsável por eternizar a história da lendária Macondo e os vários personagens que a habitavam. E é com essa vertente que Larissa Brasil cria a cidade de Campo das Flores. Nela, uma simples brincadeira de copo pode esconder um terrível segredo, o amor entre duas meninas pode se tornar uma tragédia, e um velho homem pode finalmente encontrar sua falecida esposa após anos de tristeza.


Estamos diante de um romance fix-up, ou seja, uma série de histórias que se interconectam a partir de alguns elementos de enredo. E a autora faz isso de uma maneira bem sutil, sem parecer forçado. Este ano eu já tinha lido O Estranho Oeste de Kane Blackmoon (do autor Duda Falcão) que parte dessa mesma premissa. Mesmo eu adorando a escrita do Duda Falcão, que é um mestre contista, preciso dar o meu braço a torcer e dizer que, tecnicamente, a Larissa fez um trabalho maravilhoso usando essa ferramenta do fix-up. As ligações são tênues e naturais e o leitor vai se dando conta de que tudo aquilo compõe o mesmo universo, de uma cidade pequena onde as pessoas se conhecem e os fatos se cruzam. Lá pela terceira narrativa a gente vai começando a juntar as peças. As narrativas seguem um padrão de terceira pessoa, apesar de que tem uma ou duas que são em primeira. Ou seja, varia de acordo com a necessidade imposta pela história.


"Aquela cidade era pequena demais, insignificante demais, longe demais para saber contemplar a beleza daquele pássaro raro."

Não vou comentar sobre todas as histórias até porque eu quero deixar para os leitores descobrirem um pouco sobre elas. A narrativa de Paula é uma doce história de meninas de uma escola de freiras na flor da idade. Mesmo com as restrições impostas por uma escola religiosa, as meninas estão com os hormônios a toda por hora e pensam em se arrumar, nos meninos, nas amizades e nas rivalidades. Paula está em um dia normal de sua vida, admirando o professor pelo qual ela tem uma quedinha. Sua normalidade muda quando Patricia a chama para uma reunião escondida ao pé da escada, para matarem aula e fazerem algo interessante. Paula segue até lá e a brincadeira é o jogo do copo. Com certeza algum de nós já ouviu falar desse jogo ou até já participou dele. A autora trabalha com o temor e a tensão por trás desse jogo que começa com a incredulidade e termina com uma forte tensão. Já aqui eu pude perceber o quanto Larissa consegue brincar com o leitor com um final surpreendente.



A história de Dóris revela que a autora consegue brincar com personagens com lados obscuros. Nos apresentar uma personagem que parece ser uma boa pessoa e aos poucos nos mostrar como ela pode ser maligna e tortuosa quando aquilo que ela deseja começa a ser afastado de suas mãos. Tudo começa com uma conversa boba entre Dóris e Thais, duas amigas trocando confidências. Quando Thais pergunta a Dóris se ela já beijou alguém e esta diz que nunca tinha experimentado, acontece um breve momento de intimidade entre elas que vai se tornar nas chamas de uma paixão. Mas, a amiga de Dóris tem um segredo complicado que vai ser um obstáculo para nossa protagonista. A partir da metade do conto, a narrativa vai adotando um tom bem macabro até chegar em um daqueles finais que poderiam ter facilmente saído de um filme do Quentin Tarantino.


"O grande problema em compartilhar segredos é que você nunca sabe o que a outra pessoa fará com ele. É uma arma carregada que guardamos no bolso alheio."

Mas, nem só de forças macabras vivem as histórias de Larissa Brasil. Ela também consegue entregar histórias que acalentam nossos corações. Uma delas é o conto de Zé do Fumo. Este perdeu sua esposa, de formas não muito bem explicadas na narrativa. Mas, sua esposa deixou uma carta para ele onde declarava seu amor. Junto de outras coisas que lembravam ela, Zé do Fumo guardou a carta em um quadro na parede. Sempre que podia ele cheirava a carta que ainda mantinha o odor cítrico tão típico dela; as letras que revelavam o seu afeto. Mas, tudo muda quando um dia aparece outra carta... É nesse momento que Zé do Fumo tomará uma decisão importante.


Onde o Vento faz a Curva foi uma obra surpreendente para mim. Fui sem grandes expectativas e acabei genuinamente surpreso e impressionado. Não é o primeiro trabalho da Larissa Brasil que eu li; o outro foi A Garota na Casa da Colina. Se neste a autora revelou a sua habilidade em desenvolver as motivações de uma personagem, aqui ela se dedica a criar diversos personagens distintos e ligá-los através de laços que se revelam tênues, porém importantes para o resultado final que ela desejava criar. Com histórias que giram desde o doce e romântico até o obscuro e macabro, este é um daqueles trabalhos entrarão na minha lista de melhores do ano.



Ficha Técnica:


Nome: Onde o Vento faz a Curva

Autora: Larissa Brasil

Editora: Auto-publicado

Gênero: Fantasia

Número de Páginas: 91

Ano de Publicação: 2019


Link de compra:

https://amzn.to/2O77tN1


Tags: #ondeoventofazacurva #larissabrasil #magia #amor #amizade #saudades #sentimentos #morte #ficcoeshumanas









ficções humanas rodapé.gif

Todos os direitos reservados.

Todo conteúdo de não autoria será

devidamente creditado.

  • Facebook - Círculo Branco
  • Twitter - Círculo Branco
  • YouTube - Círculo Branco
  • Instagram - White Circle

O Ficções Humanas é um blog literário sobre fantasia e ficção científica.