• Paulo Vinicius

Resenha: "Helloween" organizado por Lillian Vaccaro (parte 2)

Atualizado: 25 de Mai de 2019

Continuando a sequência de resenhas dos contos da coletânea Helloween organizada por Lillian Vaccaro. 

Nesta segunda parte de nossa resenha estão os seguintes contos:


6 - "A Vida Secreta de Rudi e Amélia" (de Luciano Milici)

7 - "O Redemoinho do Diabo" (de Raphael Miguel)

8 - "A Noite de Halloween" (de Renata Maggessi)

9 - "O Baile de Halloween" (de Soraya Abuchaim)

10 - "Falso Exorcismo" (de Vitor Abdala)


Vamos às resenhas:


6 - "A Vida Secreta de Rudi e Amélia"


Autor: Luciano Milici Avaliação:





Adoro conhecer novos autores e novas histórias. Nunca tinha ouvido falar no trabalho do Luciano. E já quero mais. A narrativa tem surpresa atrás de surpresa, uma empilhada após a outra. O autor conseguiu me surpreender do início ao fim da narrativa. Rudi é um ladrão fugindo após um assalto, mas seu companheiro foi baleado. Ele acabou deixando o seu companheiro para trás e foge rumo à liberdade. Mas, ele acaba desmaiando perto de uma casa e acaba acordando em um lugar bizarro. Amélia o socorre, mas ela parece ser uma mulher bem obsessiva. Ouvindo músicas da Jovem Guarda, ela trata Rudi como se estivesse brincando de casinha. Mas, o jeito estranho e "inofensivo" de Amélia vai se revelando cada vez mais macabro com o passar da narrativa. 

Luciano conseguiu criar uma atmosfera bem doentia onde a história se passa. Ele vai construindo os blocos de anormalidade pouco a pouco até a gente entender que o anormal é o normal. Claro que Amélia vai se tornando uma personagem progressivamente mais problemática a cada momento. O que parece ser apenas uma mulher chata e enfiada no passado, vai se revelando pouco a pouco. Rudi no começo quer apenas aproveitar a oportunidade para esfriar sua pista para a polícia, mas com os momentos se passando ele vai se dando conta de que se encontra em uma armadilha mortal. 

Os momentos finais são de embrulhar o estômago. Chega um momento em que a gente começa a pedir para que isso acabe logo, porque o sofrimento chega a ser insustentável. Aquela página final é chocante. E isso é o legal em boas histórias de terror: o quanto você consegue surpreender o leitor. Mesmo que seja uma história simples ou já conhecida, uma temática clichê ou inovadora, o leitor precisa ser surpreendido. E Luciano consegue fazer isso nesse conto. 


7 - "O Redemoinho do Diabo"


Autor: Raphael Miguel Avaliação:





Misturar elementos do folclore nacional com terror ou fantasia vem se tornando uma tendência nos últimos anos. Vejam narrativas como os de Lauro Kociuba, do Andriolli Costa ou da Paola Siviero para entender o que eu digo. Aqui, Raphael Miguel pegou uma conhecida figura para criar uma narrativa sobre pessoas que são colocadas diante de uma situação extrema e não tem para onde correr. Enrico decidiu sair cavalgando após brigar com a noiva e seus convidados durante um passeio. Rico acaba sendo perseguido por uma estranha presença que ele atribui ser a Zino, um bandoleiro que estava agindo como guia do grupo, mas que ele pode jurar estar a serviço de alguém querendo a sua cabeça. O grupo onde estava sua noiva também se vê envolvido por um estranho redemoinho que não os deixa partir. Logo, veremos como essas pessoas irão lidar com essa situação. 

Um dos pontos de maior destaque do conto é o trabalho com os personagens. Raphael vai delineando as características de cada um e já na metade do conto estamos acostumados com todos eles. Até mesmo as relações entre cada um deles. A partir daí, o autor vai fazer a desconstrução dos mesmos colocando-os com os nervos à flor da pele, seja a partir de meios sobrenaturais ou a partir de suas próprias dúvidas quanto a sair ou não daquela armadilha. Mesmo enquanto ele fazia as engrenagens acontecerem na trama, vemos que as ações dos personagens são muito coerentes com sua índole. E isso é algo que alguns se autores se esquecem: os personagens precisam agir de forma coerente com as suas características. Um personagem covarde não toma uma atitude corajosa de uma hora para a outra, assim como um manipulador vai decidir agir de forma desprendida. 

Quando eu percebi que figura estava sendo usada ali, eu decididamente fiquei surpreso. Não havia imaginado que o autor iria empregá-lo aqui. Apesar de que eu geralmente atribuo essa figura ao trickster, ao enganador. Raphael preferiu colocá-lo com um ser de pura loucura mortal. Esse talvez tenha sido o ponto que eu não curti tanto. Mas, vai mais de uma interpretação minha da figura folclórica do que uma obrigatoriedade. Ou seja, tenho certeza que todos irão gostar do conto. Vale demais a pena. 


8 - "A Noite de Halloween"


Autora: Renata Maggessi Avaliação:





A história de Renata Maggessi nos coloca na pele de uma menina que tem um medo profundo de retornar a uma festa onde aconteceu uma tragédia muito grande há algum tempo atrás. É algo que ela não gostaria de reviver. A autora nos faz lembrar da famosa brincadeira do compasso e da tábua Ouija e ver o quanto nós podemos estar bem próximos do mundo sobrenatural. 

O conto é apresentado a partir de uma brincadeira de flash forwards e o momento presente onde o passado é usado para preencher as pequenas lacunas que são deixadas na narrativa da protagonista. Ela, a propósito, é um narrador totalmente não confiável, como nos vamos dando conta à medida em que a narrativa progride. Da maneira como ficou neste conto, eu não gostei muito de como essa abordagem se deu. Acho que complicou muito mais o leitor do que serviu para criar um suspense para a história. Talvez se a autora tivesse trabalhado a história em duas partes específicas e maiores tivesse surtido mais efeito. Ou se esses flashbacks fossem maiores ao invés de simplesmente picotados. Quando feito em excesso, esse efeito acaba desfocando mais do que criando a tensão. 

Entretanto, eu gostei muito das surpresas que a autora vai aprontando ao longo da narrativa. Quem está acostumado a acreditar demais no protagonista, vai levar uma bela de uma rasteira. Esse é daqueles contos que exige do leitor atenção para encontrar as lacunas no relato da protagonista. Os acontecimentos vão se sucedendo e vamos percebendo pouco a pouco o quanto ela está realmente envolvida com tudo o que aconteceu. Infelizmente, o conto acabou não me agradando tanto até porque dá para perceber o quanto a autora sabe construir bons personagens. Fico esperando, portanto, pelo próximo trabalho dela para que eu possa dar uma nova oportunidade. 

9 - "O Baile de Halloween"


Autora: Soraya Abuchaim Avaliação:





Tanto a história da Soraya Abuchaim quanto do Vitor Abdala são flash fictions, ou seja, histórias bem curtas que se passam em pouquíssimas páginas. Exigem do autor uma enorme capacidade de síntese ao mesmo tempo em que precisam atender ao que o leitor deseja encontrar na história. E a Soraya dá uma aula de como criar uma história incrível em poucas páginas. 

Gabriela é uma menina que sobreviveu a um massacre acontecido dentro de uma festa de Halloween da escola. Todos os seus colegas foram assassinados e só ela sobreviveu. Ela vai descrevendo suas sensações e seus sentimentos diante do ocorrido. E a gente vai vendo a visão de uma menina antissocial a respeito de tudo aquilo que ocorreu. Imaginamos que a situação toda seria traumática, mas vamos tendo uma surpresa aos poucos com a forma com que Gabriela vai contando sua história. Algumas coisas não vão se encaixando até o momento em que dá aquele estalo de compreensão. 

A autora empregou bem o crescendo de tensão e construiu uma história que acabou tendo uma sequência de falas e eventos que acabam por nos prender até o final. Ela tinha tudo para derrapar em uma história tão ambiciosa sendo escrita em um espaço tão curto. No entanto, ela conseguiu brilhar e se eu contar mais vou acabar estragando as surpresas de sua história. 


10 - "Falso Exorcismo"


Autor: Vitor Abdala Avaliação:





Abdala nos conta a história de uma dupla de policiais que estão investigando um caso sobre um pastor que estaria fazendo falsos exorcismo em uma prática que se assemelha ao de uma seita. A ação acontece no momento de uma batida policial ao local onde estariam acontecendo as coisas. A partir daí, tudo se torna uma verdadeira confusão. 

O que temos aqui é uma brincadeira com a falta de fé no sobrenatural que nós temos nos dias de hoje. A vontade que temos de sempre buscar uma explicação racional ou científica para os casos mais absurdos possíveis. Ao mesmo tempo, Abdala faz uma narrativa inspirada nos famosos pastores que dizem eliminar demônios do corpo das pessoas. E, dessa forma, retirar as energias negativas daqueles mais necessitados. Mas, a pergunta que fica: e se por acaso um dia encontrarmos uma situação real dessas? Bem, vale a pena explorar, não acham?

Ficha Técnica:

Nome: Helloween Coletânea organizada por Lillian Vaccaro Editora: Coerência Gênero: Terror Número de Páginas: 160 ​Ano de Publicação: 2018


Outras Partes:

Parte 1


Link de compra:

https://amzn.to/2wksw5Y


Tags: #helloween #editoracoerencia #renatamaggessi #vitorabdala #sorayaabuchaim #exorcismo #festa #medo #halloween #terror #leiaterror #amoterror #igterror #ficcoeshumanas



ficções humanas rodapé.gif

Todos os direitos reservados.

Todo conteúdo de não autoria será

devidamente creditado.

  • Facebook - Círculo Branco
  • Twitter - Círculo Branco
  • YouTube - Círculo Branco
  • Instagram - White Circle

O Ficções Humanas é um blog literário sobre fantasia e ficção científica.