• Paulo Vinicius

Resenha: "Vitamin" de Keiko Suenobu

Sawako é uma jovem e alegre menina em seu tempo de escola. Gosta de conversar com as amigas e tem um namorado que todas acham o cara perfeito. Mas, um acontecimento em sua vida vai provocar uma brusca mudança e fazer com que cada dia na escola seja um sofrimento.

Sinopse:


Sawako uma estudante de 15 anos, levava uma vida escolar como muitas outras, sem maiores problemas. Até que certo dia, ela é flagrada com o namorado em uma sala de aula por um colega de classe, e isso transformará a vida dela em um verdadeiro inferno que é sofrer bullying! As amigas de ontem, são as vilãs de hoje...Qual é a "Vitamina" necessária para ela suportar a dor e desespero de ser maltratada pelos próprios colegas de de escola?




O tema do bullying já foi abordado de diversas maneiras diferentes por autores diferentes. Sempre é um tema de impacto, dependendo da maneira como o autor explora o tema e como ele direciona o desenvolvimento da história. Keiko Suenobu dirige a temática para a história de uma menina que precisa enfrentar situações bem complicadas. Através do seu problema com o bullying ela vai percebendo outros problemas de sua personalidade.

O roteiro é bem fechadinho. Temos aqui uma história em volume fechado com uma clara delimitação entre início, meio e fim. A autora amarra todas as pontas soltas apesar de eu achar que ela poderia ter explorado melhor as descobertas que a Sawako faz sobre si mesma. Os problemas da personagem com o bullying são bem trabalhados e o leitor vai acompanhando a escalada dos acontecimentos. O roteiro da autora é bem verossímil e realista. Alguns alegam que determinadas situações são fortes e não condizentes, pois eu digo o contrário: a autora até pegou leve. Achei o encerramento da história bastante satisfatório; não chega a ser um final ideal, mas é um final adequado para a personagem. No fundo a história acaba passando uma mensagem bem positiva, sem qualquer lição ou moralismo barato.

Entretanto, eu não gostei do traço da autora. Mesmo para um shoujo, o traço dela é esticado e estereotipado demais. Alguns momentos passa até uma ideia de que não houve uma arte-final, principalmente no segundo capítulo. O que eu gostei muito é como a Suenobu trabalha com a expressividade ou a falta dela na história. Sawako é muito expressiva; ela não esconde os seus sentimentos. Já na escola vemos como a autora trata os colegas da protagonista como se fosse um coletivo: sem expressão, sussurrando pelos corredores, olhando por sobre o ombro. Esse efeito de "manada" ficou sensacional e revela como o ambiente da escola pode ser opressivo. No segundo capítulo, os cenários chegam a ser claustrofóbicos. Até mesmo o quarto bagunçado da Sawako passa essa impressão. Temos algumas cenas de sexo (poucas e não tão explícitas), portanto, fica de alerta para aqueles que não curtem esse tipo de cena.

A autora trata do tema de uma forma bastante madura. Em alguns momentos passa a impressão de que ela teria vivido aquilo (no pós-créditos ela não comenta a respeito). Como a narrativa é muito focada na Sawako, a gente tem uma história bastante intimista em como uma personagem que antes era popular e cercada de amigas, subitamente se vê sozinha e sendo atacada por todos os lados. O bullying é angustiante e a gente fica pensando o tempo todo que vai aparecer alguém para ajudar a personagem. Ficamos esperando isso acontecer (se vai ou não, aí já é spoiler e eu não vou contar). Esse é o aspecto vira páginas da narrativa. A gente quer que tudo se resolva da melhor maneira possível porque Sawako vai entrando em uma espiral de depressão que chega a momentos bem críticos. E isso é revelador de o quanto o bullying pode acabar com a vida social de uma adolescente e causar mudanças graves na cabeça deles. E olhe que se tratou apenas de um rumor.

Vemos todos os lados do bullying escolar: o rapaz que finge que nada fez, os colegas que atacam de uma hora para outra, o professor que não compreende a situação e tenta minimizar. Quem já passou por uma situação semelhante ou em menor grau sabe do que estou falando. Muitas vezes aquele que sofre com o bullying precisa resolver ele mesmo a situação, isso quando consegue. Normalmente os mais afetados por este problema são os mais frágeis. Aqueles que vivem em uma redoma de vidro e não conhecem como o mundo pode ser um lugar selvagem. Não há exageros aqui; como disse acima, já vi casos piores tanto no aspecto físico como no psicológico. Crianças e adolescentes podem ser bem maldosos quando assim desejam. Muitos de nós temos a falsa impressão de uma inocência infantil que nem sempre é verdadeira. O universo escolar é um universo à parte onde existem os populares e os desfavorecidos. Alguém pode sair de um status para o outro da noite para o dia, sem mais nem menos.

Gostei também de como a autora trabalhou o sistema familiar da Sawako. Apesar de ser um ambiente fortemente influenciado pela cultura japonesa, nós temos exemplos de famílias no Brasil onde essa situação se repete. É o caso do filho ou da filha seguindo as tradições ou o "emprego" da família. Uma criança impressionável ou carente pode ter o mesmo tipo de desejo que a Sawako: apenas um sorriso ou um voto de aceitação. Lutar contra a maré, expor aquilo que realmente se deseja não é uma atitude comum e exige muita força de vontade. Podemos ver na história o quanto a Sawako precisou sofrer para conseguir pôr para fora aquilo que ela realmente sentia. E pudemos acompanhar o quanto a mãe não era capaz de compreender o real desejo de sua filha. Muitas vezes o que achamos que irá fazer bem é apenas uma prisão. Claro que não podemos liberar geral e permitir tudo, mas perceber quais são as vontades e o quanto podemos contribuir para que um sonho possa se realizar. Há de se ter cuidado para não projetarmos os nossos desejos em nossos filhos.

Vitamin é uma história emocionante sobre uma situação muito real que acontece diariamente em muitas escolas de várias partes do mundo. Com uma narrativa bastante emotiva e uma personagem fascinante, só me incomodou o traço da autora que não me agradou muito. Mas, as discussões feitas na história são bastante pertinentes e merecem um debate mais amplo.


Ficha Técnica:

Nome: Vitamin Autora: Keiko Suebonu Editora: JBC Gênero: Drama

Tradutor: --- Número de Páginas: 185 Ano de Lançamento: 2015

Link de compra:  https://amzn.to/2xvzuFF


Tags: #vitamin #keikosuenobu #jbceditores #bullying #escola #estudantes #violencia #abuso #desrespeito #amadurecimento #mangas #leiamangas #amomangas #igmangas #ficcoeshumanas





ficções humanas rodapé.gif

Todos os direitos reservados.

Todo conteúdo de não autoria será

devidamente creditado.

  • Facebook - Círculo Branco
  • Twitter - Círculo Branco
  • YouTube - Círculo Branco
  • Instagram - White Circle

O Ficções Humanas é um blog literário sobre fantasia e ficção científica.