• Paulo Vinicius

Resenha: "The Comet" de W.E.B. Du Bois

Neste conto apocalíptico escrito por um dos maiores intelectuais negros da história dos EUA no século XX, veremos como um simples mensageiro consegue lidar com o que acontece subitamente em sua cidade.

Antes de mais nada é preciso destacar a importância de Du Bois para a história do movimento negro nos EUA. Ele escreveu diversos livros, romances, panfletos e manifestos em uma época em que falar de preconceito racial não era possível. Em que o negro deveria aceitar o que lhes era dado (de má vontade por uma classe branca opressora) e agradecer por não serem mortos. Os EUA em boa parte do século XX foram uma nação altamente preconceituosa com o cerceamento dos direitos dos afro-descendentes em todas as esferas sociais. Um homem como Du Bois era um em um milhão. Seus escritos tocavam em pontos sensíveis e fizeram com que ele fosse alguém muito perseguido pelo governo.

Estamos diante de um conto raríssimo: escrito por um negro, de ficção científica e publicado na terceira década do século XX. The Comet possui uma escrita bastante apurada e descritiva chegando a flertar com a prosa poética em alguns trechos. Du Bois consegue explorar a maneira como James enxerga aquilo que ele está acontecendo naquele momento ao mesmo tempo em que mostra a angústia no coração do protagonista. Temos poucos diálogos neste conto e o leitor certamente vai associar com o primeiro momento em Eu Sou a Lenda, escrito décadas mais tarde por Richard Matheson. A angústia de se sentir o último homem na Terra. Então temos muitas descrições e alguns poucos diálogos. Se trata também de uma narrativa em terceira pessoa, bem próxima do personagem, ou seja, vamos presenciar o que ele está enxergando.

A construção de personagem é perfeita. Eu conheço a trajetória de Du Bois e percebi aonde ele queria chegar desde o começo. Mas, quem não conhece o autor, vai imaginar que o protagonista é um homem branco normal em mais um dia de trabalho até que acontece a chegada do cometa. Pois é... não é. James é um homem negro que trabalha como um mensageiro para o presidente (não ficou claro se é o presidente dos EUA ou o presidente de sua empresa). Ele é mandado buscar uns documentos em uma espécie de porão que não é seguro abaixo da superfície. Já vemos aí uma ilustração de como o negro era tratado no período: como inferior, subalterno e propenso a trabalhos arriscados. Para sorte de James ele se salva do que acontece com Nova York justamente por estar no subsolo. Mais tarde ele encontra o único sobrevivente que também o trata mal em um primeiro momento. "Justamente um "nigger" tinha que sobreviver". Esta frase ficou marcada para mim nesse conto.

Não vou contar mais sobre a história porque estamos diante daquele tipo de texto fundamental que todo amante de ficção científica deveria se dar a oportunidade de ler. Um testemunho de uma época em que muita coisa era diferente e difícil. E como neste mundo todos nós pertencemos à mesma "raça" (e que palavra horrível de se usar), que é a espécie humana. Não existe ninguém melhor ou pior do que ninguém. Vale a reflexão e vale entrar em contato com o pensamento deste intelectual tão influente.

Ficha Técnica:

Nome: The Comet Autor: W.E.B. Du Bois Gênero: Ficção Científica Publicado originalmente em 1920 Conto que faz parte da coletânea The Big Book of Science Fiction Organizado por Jeff Vandermeer e Ann Vandermeer Editora: Vintage Ano de Publicação: 2016


Avaliação:

Link de compra:

https://amzn.to/2NcMere


Tags: #webdubois #thecomet #bigbookofsciencefiction #jeffvandermeer #annvandermeer #movimentonegro #preconceito #discriminacao #divisaosocial #scifi #ficcaocientifica #amoscifi #leiascifi #igscifi #ficcoeshumanas



ficções humanas rodapé.gif

Todos os direitos reservados.

Todo conteúdo de não autoria será

devidamente creditado.

  • Facebook - Círculo Branco
  • Twitter - Círculo Branco
  • YouTube - Círculo Branco
  • Instagram - White Circle

O Ficções Humanas é um blog literário sobre fantasia e ficção científica.