• Paulo Vinicius

Resenha: "Romaria" de Jun Sugiyama e Alexandre Carvalho

Uma menina sai em busca de água pelo agreste para aliviar as dores de sua avó. Ela enfrentará todo o tipo de perigos. Sua narrativa se confunde com as histórias de um cavaleiro tentando derrotar o mal. Esta é a história de Romaria. Venha conhecê-la!

Sinopse:


Durante a maior seca que o sertão já viveu, pessoas abandonaram suas vilas em busca de água. Rios que traziam vida para a população agora não passam de marcas na terra, cicatrizes de um mundo passado. E é nesse mundo que vive Délia, uma garota inspirada por contos heroicos que deixa sua casa para trazer a água de volta para sua casa.




Mesclar influências quase sempre gera uma obra carregada de elementos que nos lembramos ter visto de outros lugares. Jun Sugiyama pega elementos do traço oriental aliado a uma ambientação centrada no nordeste brasileiro para contar a história sobre uma menina que sai em busca de água para sua avó. E precisa enfrentar uma jornada difícil onde ela se questiona sobre qual a diferença entre o bem e o mal. O resultado é uma história mágica e singela com muitos elementos fantásticos ao mesmo tempo em que mantém os pés no chão e discute problemas bem reais. 

A ambientação é muito boa. O autor tem uma bela compreensão sobre o sertão e a gente acompanha a enorme vastidão do terreno. O quanto o sertão pode ser impiedoso com os incautos. Em diversos momentos a personagem precisa demonstrar a sua coragem diante da falta de água e os demais obstáculos que surgem em seu caminho. Se eu posso elencar um vilão na narrativa, este é o próprio ambiente. Claro que ela vai enfrentar desafios, mas a forma como o próprio ambiente golpeia nossa personagem chega a ser cruel. Vemos o quanto as pessoas sofrem com esse ambiente: algumas se transformam em seres maldosos que se aproveitam dos mais fracos enquanto outros se tornam apenas pessoas sofridas que buscam sobreviver com o pouco que possuem. 

"Não é sua vila que tá sem água. É o sertão inteiro. Os rios que corriam desde o tempo de minha avó murcharam. Nada restará nesta terra."

Outro tema muito abordado aqui neste trabalho é a ganância dos homens. Nem sempre a culpa da seca do nordeste pode ser colocada no clima. O homem tem o poder de transformar a natureza. Mas, muitas vezes ele acaba transformando-a em prol de si mesmo. Vemos mais para a frente o que fez com que o desfiladeiro tivesse seu rio secado. O mais triste é perceber que o responsável é apenas um homem pequeno e mesquinho. Por conta de tristezas da vida, ele se torna alguém amargo e ruim. Pouco se importa com o destino alheio contanto que possua o poder. Um poder que praticamente lhe assegura a capacidade de determinar quem vive e quem morre. Estamos diante de uma história tão real que é possível até associarmos ao desastre que ocorreu em Brumadinho - MG, no início de 2019. O poder de imaginar que controla a natureza. Quando na verdade está apenas privando as pessoas de controlar seu próprio destino. 

Romaria: uma peregrinação religiosa realizada por um grupo de pessoas a uma igreja ou local considerado santo, seja para pagar promessas, agradecer ou pedir graças, ou simplesmente por devoção, podendo ser feita a pé ou em veículos. Na Região Nordeste do Brasil é comum o uso de pau-de-arara para transportar romeiros.

Algo que eu gostei muito no roteiro do Sugiyama é a associação da história de Délia com a jornada do herói. E realmente a gente vários passos dela à medida em que a protagonista segue para o interior do sertão. A necessidade de encontrar o sentido para sua jornada, a busca por um mestre, a queda e o elixir e o confronto final. Todos os passos estão ali. Isso dá uma atmosfera fantástica à narrativa. Mas, eu colocaria muito mais na conta de um realismo mágico porque o fantástico não é o fim, mas apenas um instrumento narrativo para contar a história. 

A arte é muito bonita. Delicada e suave, o artista consegue nos entregar uma personagem doce, porém corajosa. As feições dos personagens em geral são bem definidas. Pensar que o traço é quase todo no lápis é um atestado da qualidade do trabalho do Alexandre Carvalho. A ideia de colocar panos nos rostos dos personagens de forma a não identificar aqueles que já tiveram suas vontades devoradas pelo sertão foi genial. O artista consegue colocar momentos de tensão bem verossímeis e a gente sente que a jornada de Délia está ameaçada a todo o instante. O roteirista foi bem habilidoso ao empregar poucos e curtos diálogos de forma a dar mais espaço para que a arte auxiliasse no roteiro. Contribuiu e muito para o resultado final. 

Romaria é uma bela HQ que demonstra a criatividade do escritor brasileiro. E explorando um tema que não vemos com tanta frequência nas HQs nacionais. Com uma personagem que precisa passar por uma verdadeira peregrinação em busca de água, roteirista e artista fazem um belo trabalho destacando a jornada do herói e a ganância do ser humano. 


Ficha Técnica:

Nome: Romaria Autor: Jun Sugiyama Artista: Alexandre Carvalho Editora: Auto-Publicado Gênero: Fantasia Número de Páginas: 96 Ano de Publicação: 2018

Link de compra: https://www.ugrapress.com.br/quadrinhos/brasileiros/romaria/


Tags: #romaria #junsugiyama #alexandrecarvalho #seca #agua #agreste #sonhos #herois #exploracao #carestia #fome #hqs #leiahqs #amohqs #ighqs #leianovosbr #leianacionais #ficcoeshumanas




ficções humanas rodapé.gif

Todos os direitos reservados.

Todo conteúdo de não autoria será

devidamente creditado.

  • Facebook - Círculo Branco
  • Twitter - Círculo Branco
  • YouTube - Círculo Branco
  • Instagram - White Circle

O Ficções Humanas é um blog literário sobre fantasia e ficção científica.