• Paulo Vinicius

Resenha: "Recoveries" de Susan Palwick

Kat e Vanessa são amigas de infância. Companheiras para todas as horas. Mas, Vanessa se tornou uma alcóolatra por causa do abandono de seus pais. Isso porque eles acreditam que foram abduzidos e formaram um grupo de pessoas que esperam pelo retorno deles. Mas, e Vanessa? E Kat que também foi abandonada?



Sinopse:


Duas mulheres que são amigas desde a infância - uma uma alcóolatra em recuperação que tem pais que acreditam terem sido abduzidos por alienígenas e a outra, uma órfã com uma desordem alimentar - lutam com um segredo que pode destruir sua amizade.




Que ideia simples e bem executada. Susan Palwick traz para nós uma narrativa sensível e interessante sobre duas amigas que lutam para manter sua amizade diante de um enorme segredo que está ao redor delas. O elemento de scifi presente na narrativa é sutil por demais e é usado mais como um meio para contar a história de Kat e Vanessa. A autora consegue entregar uma história que trata de temas como alcoolismo e abandono que impressiona pelo desenvolvimento de personagens. Ao final entendemos a quem pertence a verdadeira jornada nessa história.


Vanessa é uma garota com problemas de alcoolismo graves. Ela não fica satisfeita enquanto não bebe até cair. E frequentemente tem apagões. Isso acontece porque ela se sente abandonada pelos pais. Eles alegam terem sido abduzidos por alienígenas e por conta disso criaram um grupo de ajuda àqueles que tiveram a mesma experiência. Existe uma esperança de que os alienígenas retornem para buscá-los. Essa atenção aos encontros fez com que eles não se importassem mais com Vanessa. Ou seja, ela acaba buscando chamar a atenção. Já Kat é uma órfã que tem distúrbios alimentares. Ela acaba se associando a Vanessa por elementos em comum e desenvolvem uma forte amizade. Mas, Kat guarda um segredo que pode afetar sua amizade.


Aqui temos duas personagens com trajetórias narrativas diferentes. Palwick coloca o foco em Kat que nos conta sua história. Por ela ser mais centrada, sua narrativa é mais correta e tranquila de ser entendida (imagino como seria a mesma história contada pela Vanessa). A escrita é interessante e bem focada, trabalhando a relação entre as duas personagens. Isso é o que move a narrativa. Como elas se conheceram, como sua amizade se manteve ao longo do tempo e como ela poderia suportar uma mudança em sua própria essência. Palwick vai nos colocando isso em nossa cabeça, mas não conseguimos saber do que Kat tem tanto medo até a verdade aparecer. E é um belo de um plot twist. Só me incomodou na narrativa a página final que eu achei um pouco brusco e amargo. Entendi aonde a autora quis chegar, mas senti que faltou algo.


Trabalhar com os problemas advindos do alcoolismo foi de uma bela coragem da parte da autora. Vanessa é uma alcóolatra por escolha, de forma a chamar a atenção daqueles a quem ela sente falta. Esse é um problema vivido por vários adolescentes nos dias atuais. Tenho alunos que são alcóolatras por conta da ausência de um núcleo familiar mais unido. Podemos acompanhar como foi a primeira vez para ela e como o vício lentamente se desenvolveu em seu interior. A bebida fornece a ela o vazio e o esquecimento que ela tanto precisa. É uma maneira de fugir da realidade. Os problemas de saúde também nos são apresentados: o perigo dos apagões, a necessidade latente. Vanessa acaba também se envolvendo em relacionamentos complicados dos quais só se mantém por causa de seu vício. Essa fuga se repete em pares fáceis.


Por outro lado, Kat sempre foi órfã. Sabemos que seus pais a abandonaram e não disseram a ela quando voltariam. O relacionamento com Vanessa é o único laço que ela tem com o mundo. Não percebi na narrativa uma vontade de Kat de se envolver com qualquer outra pessoa. Pelo menos não aparece em nenhum momento. A única outra pessoa que aparece além dos pais de Vanessa, é Minta, a coordenadora do núcleo de alcoólatras anônimos do qual Vanessa participa. Mas, Kat não está conseguindo mais suportar a instabilidade de Vanessa. As preocupações constantes, os sumiços e a falta de suporte dos pais estão criando uma pessoa volátil do qual mesmo o jeito centrado de Kat não é mais capaz de impedir. Para piorar, existe um segredo que Kat esconde de sua amiga. Mas, diante desse cenário, ela sente que se abrir o jogo, pode deixar o estado emocional da amiga ainda pior. A narrativa se desenrola nessa necessidade de Kat tomar uma decisão.


Eu gostei do conto. Sinto que falta alguma coisa nele, mas não impede de ele ser divertido. Achei de uma incrível habilidade da autora usar o elemento scifi de forma bem sutil ao longo de toda a história.










Ficha Técnica:


Nome: Recoveries

Autora: Susan Palwick

Editora: Tor.com

Número de Páginas: não informado

Ano de Publicação: 2018


Avaliação:

Link de compra:

https://amzn.to/3pN7fMT











0 comentário