• Paulo Vinicius

Resenha: "Old Dead Futures" de Tina Connolly

Atualizado: Jun 4

Um menino (aparentemente autista) tem a habilidade de pegar futuros possíveis e colar em nossa realidade, alterando-a. Membros do governo o supervisionam e seu poder só pode ser ativado através do medo ou da raiva.

Deixo logo um aviso para aqueles que são sensíveis a histórias que envolvam meninos autistas ou violência sexual. Não continuem. É uma história forte.




Esta é uma narrativa contada por um jovem retraído (aparentemente um autista, apesar de nunca ser dito de forma explícita) que possui a habilidade de pegar futuros possíveis e alterar nossa realidade. É como se ele fosse um mestre tecelão e os futuros fossem cordas que pudessem ser trocadas de um lado para o outro. Ele as entende por cores: azul, para as tranquilas; vermelhas, para as catastróficas; brancas, para as pacíficas. O governo usa as suas habilidades para alterar os eventos a seu favor. Mas, isso é feito à custa da liberdade e da vida do protagonista. Para que ele consiga ativar a habilidade, ele precisa sentir medo ou raiva de seus captores. Somente a partir disso que ele entra em uma espécie de transe que o permite fazer a operação. Chega a um ponto que tudo o que o menino deseja é que tudo aquilo acabe.


Essa sensação de medo ou raiva é provocada pelos agentes que se encontram em sua casa. Mas, isto não é feito com ele, já que ele é uma "mercadoria" valiosa. Os agentes tem medo de machucá-lo a ponto de ele não poder mais ativar o seu poder. Portanto, quem sofre é sua mãe. Os agentes a agridem tanto fisicamente quanto sexualmente. As cenas são fortes e causam uma forte repulsa no leitor. O protagonista se sente culpado por tudo o que acontece com sua mãe. Mas, estando em uma cadeira de rodas, ele está impossibilitado de ajudá-lo. Em um dos futuros possíveis, sua mãe acaba engravidando de um dos seus agressores e não consegue mais olhar para seu filho.


Acho que um dos sentimentos que mais transbordam nessa narrativa é o de impotência. É o de ser incapaz de ajudar aqueles que você ama. Essa sensação de impotência é algo mais agressivo do que a própria violência em si. Por essa razão é o que o narrador acaba tomando uma atitude drástica. Porque ele realiza que a sua própria presença é o catalisador daquilo tudo. O Sr. Henry é o responsável por verificar se o futuro adequado foi adicionado com sucesso à linha temporal. Ele é o único que entende verdadeiramente a extensão dos poderes do protagonista. Este personagem é apresentado quase como alguém sem característica alguma. Como se fosse um branco, um vazio em sua vida. É uma mensagem profunda sobre como o menino passou a enxergar aqueles ao seu redor. Talvez essa retração total é a maneira como ele lida com o problema.


Old Dead Futures é um conto poderoso, e que, se você é pai ou mãe, vai tocá-lo profundamente. O final é arrebatador e mostra o quanto o amor de um filho pode ser poderoso.












Ficha Técnica:


Nome: Old Dead Futures

Autora: Tina Connolly

Editora: Tor.com

Gênero: Ficção Científica

Número de Páginas: 14

Ano de Publicação: 2013

Avaliação:


Link de compra:

https://amzn.to/2We9CJq