• Paulo Vinicius

Resenha: "O Dia em que a Merda Virou Ouro" de Eduardo Kasse

Se você é um falastrão e tenta enrolar um lorde escocês dizendo que um santo te diz onde encontrar ouro, é melhor cumprir sua promessa! Ou você pode perder os seus bagos. Archie vai descobrir isso do pior jeito possível.



Sinopse:


Archie sempre foi um contador de histórias falastrão. Sua língua grande e solta o fez prometer algo que nunca poderia cumprir. E o pior: apostou com um dos homens mais poderosos da Escócia seus bens mais preciosos. Os bagos!





A arte de contar uma boa história envolve não apenas saber o assunto que você vai falar, mas a forma como ela vai ser contada. Parece bizarro falar isso, mas muitos autores não se dão conta disso. Pensam apenas em world building, ou em sistema de magia. Quando na verdade uma história tem início, meio e fim. Tem tema e estrutura. A partir dessas cinco noções a gente consegue criar uma infinidade de variações. Eduardo Kasse quer contar aqui a história de um moleque falastrão tentando se dar bem em cima de um senhor da guerra. E precisando dar um jeito para se livrar da situação cabeluda na qual ele se meteu. Ponto. Resumi tudo o que a história é. Só que o autor consegue tornar esse resumo de duas linhas em uma história divertida e interessante que vai te deixar preso até o final.


Para mim, o Kasse se encontrou nessa escrita a la Bernard Cornwell. Eu sei que ele escreveu uma série de vampiros bem sucedida e que é altamente elogiada, mas desde que ele começou a publicar Vikings (e variantes do tema), deu para perceber o quanto a escrita dele evoluiu. E eu acho que a explicação para isso é simples: o autor está se divertindo com o que está fazendo. Quando há o elemento diversão envolvido, a pesquisa deixa de ser difícil, as palavras fluem mais facilmente, as histórias aparecem como num passe de mágica. Só vou ser um pouco chato com o Kasse e reclamar da não linearidade da narrativa. Acho que se ele tivesse optado por algo mais linear, o resultado teria sido ainda melhor. O ir e vir faz com que o conto demore um pouquinho para engrenar. Quando engrena, a gente segue direto até o final.


Não tenho muito mais a comentar, caso contrário vou estragar as surpresas que o autor preparou na história. Só fica um aviso aos incautos: o Kasse não aliviou a mão no palavreado, e tem um momento sexual explícito (que é muito divertido... eu não sei se o moleque se deu bem ou se ele se deu mal). Então para quem não curte, fica o aviso. No mais, pode pegar o conto e se divertir numa boa. Vai te render umas boas gargalhadas.










Ficha Técnica:


Nome: O Dia em que a Merda Virou Ouro

Autor: Eduardo Kasse

Editora: Draco

Número de Páginas: 35

Ano de Publicação: 2017


Avaliação:

Link de compra:

https://amzn.to/34XUYNJ










1 comentário

Posts recentes

Ver tudo