top of page
  • Foto do escritorAmanda Barreiro

Resenha: "Nós", de Ievguêni Zamiátin

O engenheiro D-503 desempenha suas funções conforme determinações do Estado Único e é plenamente feliz com isso, até que começa a questionar.



Sinopse:


Nós é um romance distópico escrito entre 1920 e 1921 pelo escritor russo Yevgeny Zamyatin. A história narra as impressões de um cientista sobre o mundo em que vive, uma sociedade aparentemente perfeita mas opressora, e seus conflitos ao perceber as imperfeições dele, ao travar contato com um grupo opositor que luta contra o "Benfeitor", regente supremo da nação. O livro só adentrou legalmente a pátria-mãe do autor em 1988, com as políticas de abertura do regime soviético, devido à censura imperante no país.



Nós


Considerado o pai das grandes distopias, Nós se sobressaiu entre seus colegas escritores, apesar de nunca ter conseguido alcançar a popularidade daqueles que o usaram como referência e inspiração, como os romances 1984, de George Orwell, e Admirável Mundo Novo, de Aldous Huxley. A bem da verdade, a leitura de Nós nos remete diretamente a essas duas obras, quando encontramos a mecanização do trabalho e do homem, pendendo para os primórdios da robótica, a adoração a razão, a lógica e o abandono de traços considerados como fraquezas humanas, tal como o amor.


Nesse sentido, vemos D-503, o protagonista da história, como um homem conformado, a quem foi ordenado que fosse feliz comendo uma gororoba sintética feita de petróleo (sim, o petróleo estava em alta naquele momento e acreditava-se ser a solução para todos os problemas econômicos), trabalhando e voltando para casa para dormir. O controle do Estado Único é tão presente e tão inquestionável que, sim, as pessoas são felizes sob seu jugo - ou pensam que são, já que não conhecem nada além disso. D-503, na verdade, não é nem um pouco cativante, carismático ou interessante; inclusive, é difícil citar quaisquer dos personagens como minimamente interessantes, e esse é o principal entrave para o ritmo da história.


Como personagens de destaque, temos também a O-90 e a I-330. Sem querer adentrar demais na história, é legal contrapor essas personagens, já que O-90 representa o amor, a emoção, a entrega e confiança - fraquezas que D-503 despreza - e estão diretamente opostas à I-330, à subversão, à sedução e à lógica seca e objetiva. I-330 é, para todos os efeitos, a verdadeira propulsora da trama e tudo passa a gravitar em torno dela a partir do momento em que surge na história. O que acontece é que I-330 também não é carismática, mostrando-se cheia de clichês terríveis desde sempre atrelados à figura feminina, como uma espécie de Eva distópica. No entanto, é dela o mérito pela ação de forma confiante e resoluta em busca do que realmente acredita.


Em termos de ambientação, Nós tem inúmeras peculiaridades e inovações para a época. É preciso ter em mente que Zamiátin foi um ex-bolchevique desiludido com a URSS e, portanto, teceu severas críticas ao regime socialista russo que transparecem em diversos momentos de Nós (motivo pelo qual foi aclamado por Orwell posteriormente). Tudo, então, diz respeito à crise da coletividade, à autoridade incontestável e à alienação imposta a uma sociedade que vive entre muros. São críticas relevantes e válidas, mas que precisam ser interpretadas com cuidado, levando em consideração a situação do autor. Dito isso, observamos uma sociedade bem desenvolvida, controlada e funcionando perfeitamente como um relógio: todos são números, para matar a ideia de individualidade; todos vestem uniformes (unifs), para não haver vaidades e diferenças; todos comem a mesma comida e moram no mesmo tipo de habitação; todos os prédios e construções são feitas em vidro, para não haver segredos e privacidades - não há nenhum "eu", apenas "nós".


" - Isso é inconcebível! Um absurdo! Por acaso não está claro que o que você está começando é uma revolução?"

- Sim, é uma revolução! Por que isso é absurdo?

- É um absurdo porque uma revolução não é possível. Porque a nossa (eu é que digo e não você), a nossa revolução foi a última. E não é possível haver outras revoluções. Todo mundo sabe disso...

- Meu querido: você é um matemático. Inclusive mais do que isso: um filósofo da matemática. Então: fale-me sobre o último número.

- Mas, I, isso é um completo absurdo. Os números são infinitos, que último número é esse que você quer?

- E que última revolução é essa que você quer?"


A alienação é tamanha e as "fake news" tão bem disseminadas que todos os habitantes do Estado Único desconhecem o que existe além dos muros. Para eles, esta é uma civilização perfeita e tudo que está fora dos limites territoriais simplesmente não é bom o suficiente, é selvagem, desordenado e, portanto, inferior. É nesse cenário árido e surreal que o romance distópico se desenvolve.


Mas por que, dito tudo isso, Nós não conseguiu o mesmo destaque que 1984, por exemplo, dadas as terríveis semelhanças? Um dos pontos fracos do livro, na minha experiência de leitura, é a escrita do Zamiátin e o ritmo um pouco empacado, devido principalmente aos personagens, como já mencionei acima. Como a temática é centrada na razão e no raciocínio lógico, temos também uma escrita cheia de jargões, metáforas e alusões matemáticas; além disso, não sei se pela tradução ou se é uma característica já do original, Zamiátin se expressa de forma truncada, exigindo, em alguns momentos, uma releitura completa de um parágrafo , página ou até de um capítulo inteiro para se compreender a ideia ali exposta.


Contudo, ainda que pontuado por problemas, Nós representa um marco na literatura russa e uma vanguarda genial para as distopias, introduzindo uma nova forma crítica de escrita, utilizando a ficção a favor de um posicionamento político claro. Como clássico e como referência, é uma leitura importante, especialmente para os fãs do gênero, pois é a fonte da qual beberam os maiores nomes da ficção distópica que temos até o momento.


Por último, vale ressaltar que a edição da Aleph está excelente, com tradução direta do russo pra o português, ótima diagramação, capa dura e ainda tem dois anexos muito interessantes: uma resenha do George Orwell e uma carta do próprio Zamiátin ao Lênin. A editora conseguiu um belíssimo trabalho.









Ficha técnica:


Nome: Nós

Autor: Ievguêni Zamiátin

Editora: Aleph

Tradução: Gabriela Soares

Número de Páginas: 344

Ano de lançamento: 2017


Link de compra:














Comentários


bottom of page
Conversa aberta. Uma mensagem lida. Pular para o conteúdo Como usar o Gmail com leitores de tela 2 de 18 Fwd: Parceria publicitária no ficcoeshumanas.com.br Caixa de entrada Ficções Humanas Anexossex., 14 de out. 13:41 (há 5 dias) para mim Traduzir mensagem Desativar para: inglês ---------- Forwarded message --------- De: Pedro Serrão Date: sex, 14 de out de 2022 13:03 Subject: Re: Parceria publicitária no ficcoeshumanas.com.br To: Ficções Humanas Olá Paulo Tudo bem? Segue em anexo o código do anúncio para colocar no portal. API Link para seguir a campanha: https://api.clevernt.com/0113f75c-4bd9-11ed-a592-cabfa2a5a2de/ Para implementar a publicidade basta seguir os seguintes passos: 1. copie o código que envio em anexo 2. edite o seu footer 3. procure por 4. cole o código antes do último no final da sua page source. 4. Guarde e verifique a publicidade a funcionar :) Se o website for feito em wordpress, estas são as etapas alternativas: 1. Open dashboard 2. Appearence 3. Editor 4. Theme Footer (footer.php) 5. Search for 6. Paste code before 7. save Pode-me avisar assim que estiver online para eu ver se funciona correctamente? Obrigado! Pedro Serrão escreveu no dia quinta, 13/10/2022 à(s) 17:42: Combinado! Forte abraço! Ficções Humanas escreveu no dia quinta, 13/10/2022 à(s) 17:41: Tranquilo. Fico no aguardo aqui até porque tenho que repassar para a designer do site poder inserir o que você pediu. Mas, a gente bateu ideias aqui e concordamos. Em qui, 13 de out de 2022 13:38, Pedro Serrão escreveu: Tudo bem! Vou agora pedir o código e aprovação nas marcas. Assim que tiver envio para você com os passos a seguir, ok? Obrigado! Ficções Humanas escreveu no dia quinta, 13/10/2022 à(s) 17:36: Boa tarde, Pedro Vimos os dois modelos que você mandou e o do cubo parece ser bem legal. Não é tão invasivo e chega até a ter um visual bacana. Acho que a gente pode trabalhar com ele. O que você acha? Em qui, 13 de out de 2022 13:18, Pedro Serrão escreveu: Opa Paulo Obrigado pela rápida resposta! Eu tenho um Interstitial que penso que é o que está falando (por favor desligue o adblock para conseguir ver): https://demopublish.com/interstitial/ https://demopublish.com/mobilepreview/m_interstitial.html Também temos outros formatos disponíveis em: https://overads.com/#adformats Com qual dos formatos pensaria ser possível avançar? Posso pagar o mesmo que ofereci anteriormente seja qual for o formato No aguardo, Ficções Humanas escreveu no dia quinta, 13/10/2022 à(s) 17:15: Boa tarde, Pedro Gostei bastante da proposta e estava consultando a designer do site para ver a viabilidade do anúncio e como ele se encaixa dentro do público alvo. Para não ficar algo estranho dentro do design, o que você acha de o anúncio ser uma janela pop up logo que o visitante abrir o site? O servidor onde o site fica oferece uma espécie de tela de boas vindas. A gente pode testar para ver se fica bom. Atenciosamente Paulo Vinicius Em qui, 13 de out de 2022 12:39, Pedro Serrão escreveu: Olá Paulo Tudo bem? Obrigado pela resposta! O meu nome é Pedro Serrão e trabalho na Overads. Trabalhamos com diversas marcas de apostas desportivas por todo o mundo. Neste momento estamos a anunciar no Brasil a Betano e a bet365. O nosso principal formato aparece sempre no topo da página, mas pode ser fechado de imediato pelo usuário. Este é o formato que pretendo colocar nos seus websites (por favor desligue o adblock para conseguir visualizar o anúncio) : https://demopublish.com/pushdown/ Também pode ver aqui uma campanha de um parceiro meu a decorrer. É o anúncio que aparece no topo (desligue o adblock por favor): https://d.arede.info/ CAP 2/20 - o anúncio só é visível 2 vezes por dia/por IP Nesta campanha de teste posso pagar 130$ USD por 100 000 impressões. 1 impressão = 1 vez que o anúncio é visível ao usuário (no entanto, se o adblock estiver activo o usuário não conseguirá ver o anúncio e nesse caso não conta como impressão) Também terá acesso a uma API link para poder seguir as impressões em tempo real. Tráfego da Facebook APP não incluído. O pagamento é feito antecipadamente. Apenas necessito de ver o anúncio a funcionar para pedir o pagamento ao departamento financeiro. Vamos tentar? Obrigado! Ficções Humanas escreveu no dia quinta, 13/10/2022 à(s) 16:28: Boa tarde Tudo bem. Me envie, por favor, qual seria a sua proposta em relação a condições, como o site poderia te ajudar e quais seriam os valores pagos. Vou conversar com os demais membros do site a respeito e te dou uma resposta com esses detalhes em mãos e conversamos melhor. Atenciosamente Paulo Vinicius (editor do Ficções Humanas) Em qui, 13 de out de 2022 11:50, Pedro Serrão escreveu: Bom dia Tudo bem? O meu nome é Pedro Serrão, trabalho na Overads e estou interessado em anunciar no vosso site. Pago as campanhas em adiantado. Podemos falar um pouco? Aqui ou no zap? 00351 91 684 10 16 Obrigado! -- Pedro Serrão Media Buyer CLEVER ADVERTISING PARTNER contact +351 916 841 016 Let's talk! OverAds Certification -- Pedro Serrão Media Buyer CLEVER ADVERTISING PARTNER contact +351 916 841 016 Let's talk! OverAds Certification -- Pedro Serrão Media Buyer CLEVER ADVERTISING PARTNER contact +351 916 841 016 Let's talk! OverAds Certification -- Pedro Serrão Media Buyer CLEVER ADVERTISING PARTNER contact +351 916 841 016 Let's talk! OverAds Certification -- Pedro Serrão Media Buyer CLEVER ADVERTISING PARTNER contact +351 916 841 016 Let's talk! OverAds Certification -- Pedro Serrão Media Buyer CLEVER ADVERTISING PARTNER contact +351 916 841 016 Let's talk! OverAds Certification Área de anexos ficcoescodigo.txt Exibindo ficcoescodigo.txt.