• Diego Araujo

Resenha: "Morte no Nilo" de Agatha Christie

Atualizado: 6 de Jun de 2019

Morte no Nilo é um romance de Agatha Christie, escritora reconhecida pelas histórias de suspense do detetive Hercule Poirot. Saiba o porquê de seu reconhecimento na resenha deste livro repleto de personagens e mistérios.

Sinopse:


Bela, rica e inteligente, a jovem herdeira Linnet Ridgeway parece conseguir tudo o que quer. No entanto, quando rouba o noivo de sua melhor amiga e se casa com ele sem pensar duas vezes, talvez Linnet esteja indo longe demais... Em sua viagem de lua de mel num cruzeiro pelo rio Nilo, no Egito, o casal apaixonado se depara com uma série de antagonistas interessados em sua fortuna e em provocar sua infelicidade. Então Linnet é encontrada morta, com um tiro na cabeça. O detetive Hercule Poirot, que por acaso também estava no navio, entra em ação para tentar montar mais esse quebra-cabeça.




É preciso dizer o quanto é bom viajar? Ficar livre da monotonia do lar e descobrir novas fronteiras, receber aquele impacto cultural delicioso sobre todas as coisas diferentes do destino esporádico e se redescobrir diante do novo mundo sob os seus pés. E... é preciso dizer o quanto seria trágico caso a viagem acarretasse em algo inesperado? Criar tanta expectativa ao juntar o dinheiro, adiantar os compromissos e prevenir problemas para acontecer uma tragédia fora do controle. ​ Uma certa obra chamada Morte no Nilo traz tanto desconforto a turistas de várias classes e ideologias, e desencadeia receios interiores quanto a caneta de detetive traça perguntas e deduções a eles. Publicado em 1937 e escrito por Agatha Christie, Hercule Poirot enfrenta outro caso de suspense durante uma viagem calorosa no Egito.


Linnet Ridgeway, a moça que tem tudo


Linnet Ridgeway é a mulher que possui tudo. Riqueza, beleza, esperteza, ótima em negócios e gananciosa com o próprio nome. Atrai olhares admirados, ciente de que alguns desses ocultam inveja e outros desejos sombrios. Incerta sobre seu matrimônio, teme perder o reconhecimento ao casar, pois receberia o sobrenome do marido, sendo este tão ou mais importante do que o dela.

Sua amiga Jaqueline de Bellefort pede a Linnet uma oferta de emprego para seu noivo Simon Doyle, jovem promissor, mas de origem humilde. Linnet aceita conhecer o rapaz e enxerga a grande oportunidade: manteria a fama ao casar com ele, e aquele homem simples seria o esposo da glamourosa Linnet. Como todo desejo dela vira realidade, ela consegue se casar, humilhando Jackie pela traição.

A então ex-amiga começa a frequentar os mesmos lugares que o casal, inclusive durante a lua de mel deles no Egito. Esta viagem traz a companhia de muitos outros turistas, alguns conhecidos como o procurador Pennington e outros inéditos ao casal como o socialista Ferguson. A alegria de todos termina com o assassinato à queima-roupa durante a viagem pelo rio Nilo. O detetive Hercule Poirot está entre os turistas do navio, e assume a investigação.


Cada detalhes precisa ser estudado de antemão


O livro começa apresentando todos os personagens envolvidos na trama antes da viagem ao Egito. E são muitos personagens, muito além dos citados na minha apresentação do enredo. O autor trabalha nas introduções de cada um enquanto alterna com a história de Linnet Ridgeway, futura senhora Doyle. A abordagem é longe de ser complexa, e, por outro lado, peca na simplicidade. Os primeiros capítulos lançam as características dos personagens enquanto falta profundidade na progressão dos fatos. Até chegar a hora do assassinato.

Com as informações já lançadas e o suspense estabelecido após a cena de eventos conturbados, Hercule Poirot toma a iniciativa de investigar o assassinato sem dar descanso a todos os tripulantes do navio. Com suspeitas iniciais, as indagações expandem questionamentos e mistérios paralelos. Poirot conversará com todos, quando as respostas deles entrarão em conflito com as características jogadas no começo do romance policial. A quantidade de personagens não se torna um problema neste momento, pois o ritmo apresenta as discussões e fatos em momentos oportunos e faz a recapitulação explícita das investigações.

A solução que está apresentando é... simples demais


A maneira de apresentar o resultado da investigação demonstra o porquê da Agatha Christie conquistar tantos leitores. Poirot se torna o contador da história ocultada pelo narrador do livro, e revela a história por trás da ficção forjada por mentiras e pontos obscuros ao leitor e os personagens de intelecto comum comparado ao detetive. Fica inevitável acelerar o ritmo de leitura com a ansiedade de absorver tudo o que o detetive analisou neste episódio. As revelações são dispostas em momentos certos; quando dá a impressão do mistério ter acabado, o livro traz outra resposta já esquecida ou implícita. Morte no Nilo é uma história clássica de romance policial. Traz outro episódio do detetive Hercule Poirot com introdução desestimulante, mas de final caprichado.


Ficha Técnica:

Nome: Morte no Nilo Autora: Agatha Christie Editora: L&PM Gênero: Suspense Tradutor: Bruno Alexander Número de Páginas: 320 Ano de Publicação: 2015

Link de compra:  https://amzn.to/2GFwNrd


Tags: #mortenonilo #agathachristie #lpmpocket #herculepoirot #misterio #detetive #investigacao #loucosporlivros #amoleitura #igliterario #ficcoeshumanas










ficções humanas rodapé.gif

Todos os direitos reservados.

Todo conteúdo de não autoria será

devidamente creditado.

  • Facebook - Círculo Branco
  • Twitter - Círculo Branco
  • YouTube - Círculo Branco
  • Instagram - White Circle

O Ficções Humanas é um blog literário sobre fantasia e ficção científica.