• Paulo Vinicius

Resenha: "Lobo de Rua" de Jana P. Bianchi

Raul é um garoto de rua com uma maldição. Nas noites de lua cheia, ele se transforma em uma criatura cuja fome é insaciável. Quando ele conhece Tito, sua vida muda para sempre. Será na Galeria Creta que Raul saberá mais sobre sua maldição.




Sinopse: Raul é um morador de rua, um homem invisível e desgraçado como tantos os outros. Como se sua desgraça não fosse suficiente, Raul contrai a maldição da licantropia, tornando-se um lamentável lobo de rua. Tito Agnelli não compartilha do abandono de Raul, mas conhece muito bem a sensação de ser rasgado por dentro, todos os meses, pela coisa vil que se abriga nele. Assim, compadecido com o sofrimento do recém-transformado, Tito acolhe Raul na Alcateia de São Paulo, extinta até então por falta de lobisomens residentes na Pauliceia. Depois de décadas de contaminação, Tito conhece cada detalhe da maldição que o transforma em lobisomem. Além disso, conhece também a Galeria Creta, um lugar em São Paulo onde ele e outros dos seus são bem vindos nas noites de lua.



Construir uma história em um ambiente familiar é uma forma de chamar a atenção dos leitores para uma descrição única e precisa. Mas, nem sempre quem mora em um lugar consegue descrever o cenário de forma competente. Não é o que acontece aqui: Jana P. Bianchi nos guia para o submundo da cidade de São Paulo onde as aparências enganam. Sejam bem-vindos à Galeria Creta onde o dono é um Minotauro e os principais clientes são lobisomens.

Lobo de Rua conta a história de Raul, um menino de rua que descobre possuir uma maldição em seu corpo. Durante a lua cheia, Raul se transforma em uma terrível besta cuja fome é insaciável. Para a sorte de Raul, ele encontra um estranho chamado Tito que parece entender do que Raul está passando. Tito também é um lobisomem, mas com mais experiência. O estranho abriga Raul e tenta explicar um pouco sobre sua nova condição. Procura acalmar o rapaz e aponta as nuances da difícil vida de um lobisomem. Em seguida, Tito leva Raul até a Galeria Creta onde eles poderiam se abrigar durante uma noite de sua terrível fúria de lobisomem. O livro também conta a história de Teo, um rapaz que faz aniversário naquele dia e é levado por sua amiga Bruna até a casa de Soraia, uma cigana que diz prever o futuro. Apesar da relutância inicial de Teo e sua descrença, será que Soraia é realmente uma fraude? Ou existe algo mais nas previsões da cigana?

O aspecto que mais chama a atenção na escrita de Jana é a familiaridade. Também senti essa familiaridade quando li A Liga dos Artesãos de Lauro Kociuba. Mesmo aqueles que não vivem no lugar, se sentem acolhidos e familiarizados com a ambientação da narrativa. Sendo assim, a autora pode se preocupar mais com a caracterização dos personagens já que a ambientação funciona bem. Gostei da descrição da Galeria Creta, mas achei que ela poderia ter explorado mais esse ambiente. Acredito que a autora retome o espaço underground em outros trabalhos.


"Sem aviso, a coisa dentro dele despertou. Mesmo ciente de que qualquer movimento o faria agonizar ainda mais, Raul se viu incapaz de segurar o ímpeto de levantar o pescoço em um gesto súbito. Aos gemidos, farejou o ar da noite sem saber o porquê. Também conhecia aquela sensação do mês anterior: aquilo dentro dele reivindicava pouco a pouco o controle sobre o seu corpo judiado, mais uma vez. Era muito mais forte do que ele próprio, e não estava nem aí para a sua dor."

Os personagens são bem construídos. A autora consegue passar bem toda a decadência e miséria da vida de um menino de rua. Isso sem passar uma ideia de vilania ou de estupidez ao personagem. Raul é apenas uma pessoa que foi abandonada e foi obrigado a passar por maus bocados. Isso não faz do personagem um coitadinho ou uma pessoa com melancolia excessiva. Muito pelo contrário: Raul é esperto e consegue pegar as dicas de Tito rapidamente. A relação entre Tito e Raul é, a grosso modo (bem grosso modo mesmo), semelhante à de Lestat e Louis nas Crônicas Vampirescas de Anne Rice. Tito tenta agir como um mentor para Raul, mas existe algo mais em suas intenções que só ficarão claras posteriormente. Mesmo os personagens secundários como o Minotauro, Teo, Soraia e Bruna são explorados de maneira decente pela autora. Os personagens são bem redondos, ou seja, são caracterizados de forma a serem realmente individuais e não pontos perdidos na história.

Achei que a autora se dedicou muito ao capítulo explicativo da história, ou seja, o momento em que Tito explica a Raul a sua maldição. É o capítulo mais longo e ele é simplesmente uma sequência de diálogo, mitologia e conclusão sobre o que foi dito. Alguns autores chamam de data dumping, ou seja, é quando o autor precisa trabalhar os limites aonde o fantástico se distancia do real. Explora os sistemas de magia, as informações sobre o universo literário, as relações entre os personagens. Isso pode ser feito de diversas formas: nos diálogos (como a Jana fez), através de um terceiro personagem que pergunta tudo, através de uma descrição aprofundada (estilo do Tolkien) ou através de múltiplos Pontos de Vista (usado por George R. R. Martin). Achei a forma como a autora fez o data dumping correta, mas acho que ela poderia ter espalhado mais as informações entre os demais capítulos. Não é ruim, ainda mais sendo que o livro é pequeno, mas incomoda um pouco. Acabou que o desenvolvimento do enredo se deu mais a partir da segunda metade do livro quando ele pega velocidade. Essa é a melhor parte de Lobo de Rua. O começo é muito devagar, o que pode afastar um pouco alguns leitores.

No mais, adorei a leitura. Rápida, divertida e intrigante. Jana deixou muitos pontos de enredo aberto para explorar em livros subsequentes. Ela conseguiu escrever uma história fechada, mas alguns personagens permanecem para que retornemos posteriormente à Galeria Creta. E desejo retornar para me deparar com personagens diferentes e histórias curiosas. Posso dizer sem medo que a escrita da Jana tem muito a evoluir, e poderemos estar presenciando o nascimento de uma grande escritora de fantasia urbana.





Ficha Técnica:


Nome: Lobo de Rua

Autora: Jana P. Bianchi

Editora: Dame Blanche

Gênero: Fantasia

Número de Páginas: 122

Ano de Publicação: 2016


Link de compra:

https://amzn.to/2HKVDXR


Tags: #loboderua #janapbianchi #galeriacreta #saopaulo #lobisomens #sobrenatural #fantasiaurbana #tito #minotauro #raul #descoberta #amofantasia #leiafantasia #ficcoeshumanas

ficções humanas rodapé.gif

Todos os direitos reservados.

Todo conteúdo de não autoria será

devidamente creditado.

  • Facebook - Círculo Branco
  • Twitter - Círculo Branco
  • YouTube - Círculo Branco
  • Instagram - White Circle

O Ficções Humanas é um blog literário sobre fantasia e ficção científica.