• Paulo Vinicius

Resenha: "Lagoena - O Portal dos Desejos" de Laisa Couto

Em uma linda história de encanto e fantasia, Laisa Couto nos maravilha com o mundo de Lagoena onde um portal é capaz de conceder os desejos mais profundos de nossos corações.




Sinopse: Pode um segredo protegê-la da maior aventura de sua vida?


Rheita é órfã de mãe e a única neta de um joalheiro falido. Por mais que seu avô tente, os esforços para isolar essa garota de 10 anos do mundo e esconder sua verdadeira identidade são inúteis.

Inteligente e esperta, a curiosidade da garota leva-a a uma descoberta no antigo quarto da mãe. Encontra a metade de um mapa mágico, mas qual seria a relação disso com o desaparecimento de seu pai?


Quando Kiel, o filho gago do sapateiro, faz revelações incríveis a Rheita, juntos partem para uma aventura repleta de segredos ainda maiores, rumo a um outro mundo, Lagoena, a Terra Secreta que corre grande risco de não mais existir.


A menina deverá salvar esse lugar mágico, protegendo o tesouro do mapa da cobiça de um imperador amaldiçoado, enquanto segue o maior desejo de seu coração: encontrar o pai que nunca conheceu.

Lagoena: O Portal dos Desejos é o romance de estreia de Laísa Couto, autora que resgata a magia dos contos de fada em uma história emocionante e envolvente. Quando a verdade da sua vida lhe foi negada, fugir para um mundo fantástico pode ser a única salvação.




Rheita é uma menina que nasceu com um segredo: ela tem uma letra S marcada na palma de sua mão direita o que a torna automaticamente uma guardiã. Estes guardiões são responsáveis por deter o mal de um ser ancestral chamado Zhetafar que governou um império maligno durante muitos séculos até que um guardião conseguiu deter as suas ambições. E Rheita é a mais nova geração destes guardiões. Mas, seu avô Gornef quer protegê-la de um destino tão cruel: seu pai fugiu de casa sem dar explicações e sua mãe morreu sem conseguir criá-la adequadamente. E coube a Gornef a tarefa de proteger Rheita de seu destino. Para isso ele vai esconder da menina a todo custo o significado de sua marca. E impedirá que outros possam ver sua marca nem que para isso ele tenha que deixar a menina em casa. Mas, para determinadas coisas, mesmo a proteção mais amorosa pode ser uma prisão. E mesmo que Gornef queira manter sua neta alheia a tudo, certas coisas não podem ser impedidas. Quando a Dama dos Presságios entra nos sonhos de Rheita tudo parece mudar. E quem será o estranho novo ajudante de Gornef que parece vasculhar a casa em busca de alguma coisa? E por que o quarto de sua mãe vive trancado? Logo, logo, Rheita embarcará em uma incrível aventura ao lado de seu amigo Kiel em um mundo mágico e enfrentarão inúmeros apuros.

Parece que se tornou padrão na maioria das histórias de fantasia: um mundo devastado, personagens desvirtuosos, apelo sexual, estupros, violência... A magia desapareceu da maioria das histórias de fantasia. Eu sinto falta da jornada heroica, do chamado para a aventura, dos personagens inocentes que buscam apenas realizar a tarefa que lhes foi incumbida. E Laisa Couto me fornece isso através desta linda história. Aqui Rheita segue o seu chamado e somos presenteados com uma história fascinante. Fiquei encantado com a maneira como a autora me apresentou cada minuto das aventuras vividas pela protagonista.

O enredo se desenrola sem pressa. A autora nos apresenta a vida e o cotidiano da protagonista. E ela consegue passar muito bem todo o tom de inocência de Rheita. Junto com ela, nós descobrimos o mundo. Ela é uma personagem que enxerga o mundo com olhos de criança e certas coisas são incompreensíveis para ela. A cada momento da história, a cada personagem que ela encontra, Rheita vai sempre enxergar o que existe de melhor em todos. Mesmo um ser maligno como Zhetafar tem um lado bom para ela. O que me deixa mais encantado é que mesmo quando a protagonista se vê cara a cara com a morte, ela não perde aquilo que existe de melhor nela. Seus desejos são altruístas porque seu coração é puro.



A autora traz de volta o chamado para a aventura. Esse é um mote que perdeu muito espaço nos livros de fantasia dos dias atuais. Aliás, Laisa poderia ter caído em uma série de clichês típicos do gênero se ela tivesse tentado enfeitar o pavão desnecessariamente. Mas, não é isso o que acontece: ela abraça as origens das histórias de fantasia e trabalha no mágico por trás de uma jornada. Talvez por esse motivo, Lagoena seja um livro tão encantador. Aqui você não vai encontrar heróis com dilemas morais, ou uma briga por um trono, ou punhaladas de seu irmão: aqui estarão personagens que tentarão resolver seus problemas, aceitando todas as suas limitações. Rheita não se tornará uma guerreira motherfucker da noite para o dia; quando ela não é capaz de atingir o seu objetivo de uma maneira normal, ela tentará usar sua inteligência para vencer os desafios.

O livro é encerrado por si só. Nada de trilogias ou longas séries. Em Lagoena, o leitor é presenteado com a história completa da jornada de Rheita. Apesar de eu querer mais histórias em Lagoena, eu sei, no meu coração, que eu não quero mais ver a protagonista. Porque sua missão chegou ao fim após ela ter completado sua missão. Existem outros personagens que a autora pode vir a explorar e que darão histórias riquíssimas. Ela pode até construir uma série em cima do mundo. Eu só não gostaria de ver Rheita como protagonista ou vivendo novas aventuras. É uma sensação semelhante à que eu tive quando li The Goblin Emperor da autora Katherine Addison: a história de Maia se encerra naquele livro. O mundo pode até ser interessante e novas histórias serem escritas nele até porque ele não se encerra em si mesmo. Mas, para o protagonista, a trajetória se encerra ali.

Os demais personagens apresentados pela autora são bem interessantes. Os Tortos, o Guri (que eu tenho a ligeira impressão de ter sido baseado no Saci), os Magos... nossa. Uma enorme variedade interessante e curiosa de criaturas. E a autora dá aquele ar de conto de fadas ao que ela apresenta aos personagens. Em nenhum momento ela muda o tom da história em detrimento de algo mais interessante ou destrutivo. Os personagens e a ambientação seguem no seu próprio ritmo que produz uma harmonia literária que permeia do início ao fim.

A história traz de volta a magia fantástica para nós. Pode ser um livro que não vá agradar a todos, mas como fã de fantasia você deve lê-lo pelo menos uma vez na vida. Para mim, Lagoena correspondeu toda a expectativa que eu criei desde o momento em que eu corri atrás da Laisa Couto para que o nosso blog fosse escolhido. Personagens interessantes, uma linda história e um final de marejar os olhos são o que a autora apresenta para os leitores.




Ficha Técnica:


Nome: Lagoena - O Portal dos Desejos

Autora: Laisa Couto

Editora: Draco

Gênero: Fantasia

Número de Páginas: 272

Ano de Publicação: 2014


Link de compra:

https://amzn.to/2CZ9Lc4


*Material enviado em parceria com a autora


Tags: #lagoena #laisacouto #editoradraco #fantasia #encantamento #contosdefadas #narnia #rheita #kiel #amizade #companheirismo #familia #fantasia #leiafantasia #amofantasia #ficcoeshumanas

ficções humanas rodapé.gif

Todos os direitos reservados.

Todo conteúdo de não autoria será

devidamente creditado.

  • Facebook - Círculo Branco
  • Twitter - Círculo Branco
  • YouTube - Círculo Branco
  • Instagram - White Circle

O Ficções Humanas é um blog literário sobre fantasia e ficção científica.