top of page
  • Foto do escritorAmanda Barreiro

Resenha: "Joyland", de Stephen King

Devin descobre que Joyland tem mais a oferecer do que diversão e vê sua vida transformada pelos mistérios do parque no verão de 1973.



Sinopse:


UM PEQUENO CONSELHO: NÃO SE AVENTURE NA RODA GIGANTE EM UMA NOITE CHUVOSA

CAROLINA DO NORTE, 1973. O universitário Devin Jones começa um trabalho temporário no parque Joyland, esperando esquecer a namorada que partiu seu coração. Mas é outra garota que acaba mudando seu mundo para sempre: a vítima de um serial killer. Linda Grey foi morta no parque há anos, e diz a lenda que seu espírito ainda assombra o trem fantasma. Não demora para que Devin embarque em sua própria investigação, tentando juntar as pontas soltas do caso. O assassino ainda está à solta, mas o espírito de Linda precisa ser libertado — e para isso Dev conta com a ajuda de Mike, um menino com um dom especial e uma doença grave. O destino de uma criança e a realidade sombria da vida vêm à tona neste eletrizante mistério sobre amar e perder, sobre crescer e envelhecer — e sobre aqueles que sequer tiveram a chance de passar por essas experiências porque a morte lhes chegou cedo demais.


Joyland


Que Stephen King é um dos maiores autores de terror contemporâneo é indiscutível. Mundialmente conhecido por best-sellers que já se tornaram clássicos, como It, Carrie, e uma extensa lista que todo fã está cansado de saber. Mas o que acontece quando o mestre King decide escrever sobre as dores da juventude, corações partidos e um verão num parque de diversões?


Joyland bem que poderia ser um drama sobre amadurecimento e a transição da adolescência para a idade adulta: o primeiro amor, a primeira separação, o primeiro emprego. Poderia ser simplesmente a história do verão em que Devin Jones tomou decisões importantes, conheceu pessoas que mudariam sua vida e descobriu seu próprio rumo. E é justamente nessa simplicidade que reside o charme da história. Mas é claro que, sendo Stephen King, não poderia faltar um toque sobrenatural para colorir as coisas.



Devin consegue a oportunidade de trabalhar em Joyland, um parque de diversões pequeno na Carolina do Norte, durante o verão e conseguir um dinheiro extra para ajudar nas despesas da faculdade. Afastar-se de tudo durante este tempo também lhe parece ótimo já que ele não tem muitos amigos, seu namoro vai de mal a pior e tudo parece meio fora de lugar naquela típica fase entre o final da adolescência e o início da idade adulta em que o mundo parece que vai esmagá-lo.


“Quando se trata do passado, todo mundo escreve ficção”.

O parque é descrito à exaustão, mas o mais incrível é que não queremos parar de ler sobre cada brinquedo que com certeza fez parte da infância de todos os leitores: as xícaras, o carrossel, a roda gigante, o trem fantasma... O clima nostálgico é a fórmula secreta do autor para nos levar por toda a história, que não tem muitas surpresas nem nada particularmente genial, mas funciona muito bem porque nos cativa, apela para nossas memórias e referências de infância e nos sensibiliza com um plot secundário delicado.


Inclusive, preciso dizer que o enredo é bastante linear. Desde logo já percebemos os contornos do que será apresentado no final, mas isso sinceramente não importa porque a narrativa é fluida, gostosa, contada em primeira pessoa por Devin, muitos anos depois do que aconteceu no verão de 1973, em uma linguagem simples, rápida e sensível. O ponto alto, aliás, é essa delicadeza na escrita, que nos permite entender o universo tumultuado do jovem Devin. Como é característico do King, as referências à cultura pop são muito presentes e esse é um ótimo recurso para provocar imersão na trama e reconhecimento no leitor.


A construção das personagens é excelente. Devin, por exemplo, poderia ser qualquer jovem de qualquer lugar do mundo e Mike é uma criança que dá vontade de pôr no colo e não soltar nunca mais. Esse, aliás, é um dos grandes talentos do autor e, mesmo Joyland sendo um livro tão curtinho, com tão pouco tempo para desenvolvimento, ele consegue trazer toda essa humanidade para a história. O único problema aqui é que alguns detalhes tornaram certos personagens óbvios demais, o que, consequentemente, ajudou a deixar o enredo ainda mais previsível.


Mas onde entra o terror?, você deve estar se perguntando. Bom, ele não entra. Supostamente, o fantasma de Linda Grey, uma visitante do parque que foi assassinada dentro do trem fantasma, habita o brinquedo e aparece para alguns funcionários. Todo o mistério em torno das aparições e do assassinato servem de conduíte para a trama, que sempre se conecta a partir esse ponto. Devin também presencia uma boa dose de paranormalidade e habilidades que remetem a um possível sexto sentido, mas tudo isso é muito sutil e, como eu disse anteriormente, apenas deixa a história um pouco mais interessante. Não espere sustos, cenas de arrepiar e noites sem dormir porque não é essa a proposta do livro.


“O último adeus sempre chegava, e, quando você via a escuridão se aproximando, se agarrava ao que era alegre e bom. Com todas as forças”.

A verdade é que Joyland é um romance bastante simples e inacreditavelmente gostoso de ler. Stephen King apostou numa fórmula infalível que abusa da nostalgia com alguns elementos de suspense sobrenatural para gerar o esperado clímax e nos conquista em pouquíssimas páginas com um relato sensível e verdadeiro. King criou uma história da qual não queremos nos despedir, mas o fazemos com a certeza de termos conhecido personagens inesquecíveis.

















Ficha técnica:


Título: Joyland

Autor: Stephen King

Tradução: Regiane Winarski

Editora: Suma

Páginas: 240

Lançamento (no Brasil): 2015












0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page
Conversa aberta. Uma mensagem lida. Pular para o conteúdo Como usar o Gmail com leitores de tela 2 de 18 Fwd: Parceria publicitária no ficcoeshumanas.com.br Caixa de entrada Ficções Humanas Anexossex., 14 de out. 13:41 (há 5 dias) para mim Traduzir mensagem Desativar para: inglês ---------- Forwarded message --------- De: Pedro Serrão Date: sex, 14 de out de 2022 13:03 Subject: Re: Parceria publicitária no ficcoeshumanas.com.br To: Ficções Humanas Olá Paulo Tudo bem? Segue em anexo o código do anúncio para colocar no portal. API Link para seguir a campanha: https://api.clevernt.com/0113f75c-4bd9-11ed-a592-cabfa2a5a2de/ Para implementar a publicidade basta seguir os seguintes passos: 1. copie o código que envio em anexo 2. edite o seu footer 3. procure por 4. cole o código antes do último no final da sua page source. 4. Guarde e verifique a publicidade a funcionar :) Se o website for feito em wordpress, estas são as etapas alternativas: 1. Open dashboard 2. Appearence 3. Editor 4. Theme Footer (footer.php) 5. Search for 6. Paste code before 7. save Pode-me avisar assim que estiver online para eu ver se funciona correctamente? Obrigado! Pedro Serrão escreveu no dia quinta, 13/10/2022 à(s) 17:42: Combinado! Forte abraço! Ficções Humanas escreveu no dia quinta, 13/10/2022 à(s) 17:41: Tranquilo. Fico no aguardo aqui até porque tenho que repassar para a designer do site poder inserir o que você pediu. Mas, a gente bateu ideias aqui e concordamos. Em qui, 13 de out de 2022 13:38, Pedro Serrão escreveu: Tudo bem! Vou agora pedir o código e aprovação nas marcas. Assim que tiver envio para você com os passos a seguir, ok? Obrigado! Ficções Humanas escreveu no dia quinta, 13/10/2022 à(s) 17:36: Boa tarde, Pedro Vimos os dois modelos que você mandou e o do cubo parece ser bem legal. Não é tão invasivo e chega até a ter um visual bacana. Acho que a gente pode trabalhar com ele. O que você acha? Em qui, 13 de out de 2022 13:18, Pedro Serrão escreveu: Opa Paulo Obrigado pela rápida resposta! Eu tenho um Interstitial que penso que é o que está falando (por favor desligue o adblock para conseguir ver): https://demopublish.com/interstitial/ https://demopublish.com/mobilepreview/m_interstitial.html Também temos outros formatos disponíveis em: https://overads.com/#adformats Com qual dos formatos pensaria ser possível avançar? Posso pagar o mesmo que ofereci anteriormente seja qual for o formato No aguardo, Ficções Humanas escreveu no dia quinta, 13/10/2022 à(s) 17:15: Boa tarde, Pedro Gostei bastante da proposta e estava consultando a designer do site para ver a viabilidade do anúncio e como ele se encaixa dentro do público alvo. Para não ficar algo estranho dentro do design, o que você acha de o anúncio ser uma janela pop up logo que o visitante abrir o site? O servidor onde o site fica oferece uma espécie de tela de boas vindas. A gente pode testar para ver se fica bom. Atenciosamente Paulo Vinicius Em qui, 13 de out de 2022 12:39, Pedro Serrão escreveu: Olá Paulo Tudo bem? Obrigado pela resposta! O meu nome é Pedro Serrão e trabalho na Overads. Trabalhamos com diversas marcas de apostas desportivas por todo o mundo. Neste momento estamos a anunciar no Brasil a Betano e a bet365. O nosso principal formato aparece sempre no topo da página, mas pode ser fechado de imediato pelo usuário. Este é o formato que pretendo colocar nos seus websites (por favor desligue o adblock para conseguir visualizar o anúncio) : https://demopublish.com/pushdown/ Também pode ver aqui uma campanha de um parceiro meu a decorrer. É o anúncio que aparece no topo (desligue o adblock por favor): https://d.arede.info/ CAP 2/20 - o anúncio só é visível 2 vezes por dia/por IP Nesta campanha de teste posso pagar 130$ USD por 100 000 impressões. 1 impressão = 1 vez que o anúncio é visível ao usuário (no entanto, se o adblock estiver activo o usuário não conseguirá ver o anúncio e nesse caso não conta como impressão) Também terá acesso a uma API link para poder seguir as impressões em tempo real. Tráfego da Facebook APP não incluído. O pagamento é feito antecipadamente. Apenas necessito de ver o anúncio a funcionar para pedir o pagamento ao departamento financeiro. Vamos tentar? Obrigado! Ficções Humanas escreveu no dia quinta, 13/10/2022 à(s) 16:28: Boa tarde Tudo bem. Me envie, por favor, qual seria a sua proposta em relação a condições, como o site poderia te ajudar e quais seriam os valores pagos. Vou conversar com os demais membros do site a respeito e te dou uma resposta com esses detalhes em mãos e conversamos melhor. Atenciosamente Paulo Vinicius (editor do Ficções Humanas) Em qui, 13 de out de 2022 11:50, Pedro Serrão escreveu: Bom dia Tudo bem? O meu nome é Pedro Serrão, trabalho na Overads e estou interessado em anunciar no vosso site. Pago as campanhas em adiantado. Podemos falar um pouco? Aqui ou no zap? 00351 91 684 10 16 Obrigado! -- Pedro Serrão Media Buyer CLEVER ADVERTISING PARTNER contact +351 916 841 016 Let's talk! OverAds Certification -- Pedro Serrão Media Buyer CLEVER ADVERTISING PARTNER contact +351 916 841 016 Let's talk! OverAds Certification -- Pedro Serrão Media Buyer CLEVER ADVERTISING PARTNER contact +351 916 841 016 Let's talk! OverAds Certification -- Pedro Serrão Media Buyer CLEVER ADVERTISING PARTNER contact +351 916 841 016 Let's talk! OverAds Certification -- Pedro Serrão Media Buyer CLEVER ADVERTISING PARTNER contact +351 916 841 016 Let's talk! OverAds Certification -- Pedro Serrão Media Buyer CLEVER ADVERTISING PARTNER contact +351 916 841 016 Let's talk! OverAds Certification Área de anexos ficcoescodigo.txt Exibindo ficcoescodigo.txt.