• Paulo Vinicius

Resenha: "Hellraiser - Renascido do Inferno" de Clive Barker

A busca incessante de Frank por prazer o levará até a caixa de Lemarchand, um objeto que esconde segredos terríveis. Frank irá libertar um mal ancestral que irá lhe dar tudo o que ele deseja, mas lhe cobrará um preço terrível.

Sinopse:


Clive Barker e DarkSide. Renascidos um para o outro. Um livro tão assustador que nenhuma editora nacional teve a coragem de lançar. Mas não pense que você está a salvo. A DarkSide Books traz para o Brasil o tão aguardado Hellraiser – Renascido do Inferno, o romance que fez de Clive Barker uma lenda viva do terror. O livro chega às livrarias em setembro de 2015, às vésperas do aniversário de 30 anos de seu lançamento internacional. Escrito em 1986, Hellraiser – Renascido do Inferno apresentou ao público os demoníacos Cenobitas, personagens criados por Clive Barker que hoje figuram no seleto grupo de vilões ícones da cultura pop como Jason, Leatherface ou Darth Vader. Toda a perversidade desses torturadores eternos está presente em detalhes que estimulam a imaginação dos leitores e superam, de longe, o horror do cinema. Clive Barker escreveu o romance Hellraiser – Renascido do Inferno (The Hellbound Heart, no original) já com a intenção de adaptá-lo ao cinema. O cultuado filme de 1987 seria sua estreia na direção, e ele usou o livro para mostrar todo seu talento como contador de histórias a possíveis financiadores. Nas palavras do próprio Barker: “A única maneira foi escrever o romance com a intenção específica de filmá-lo. Foi a primeira e única vez que fiz assim, e deu resultado”. De leitura rápida e devastadora, Hellraiser – Renascido do Inferno conta a história de um homem obcecado por prazeres pouco convencionais que é tragado para o inferno. Inspirado nas afinidades peculiares do autor, o sadomasoquismo é um tema constante em sua arte. Se você é fã de Clive Barker, precisa ler sua primeira obra-prima. O mestre sombrio finalmente chegou à DarkSide. Para matar os desejos de todos os fãs, e prontos para comemorar os 30 anos de seu lançamento, Hellraiser – Renascido do Inferno chega às livrarias em uma edição caprichada como só a DarkSide Books, Limited Edition, em capa dura.




O homem é um ser ambicioso no sentido de sempre querer mais. Esse desejo é capaz de levá-lo a aceitar pactos terríveis e encarar coisas inomináveis. Clive Barker foi capaz de criar um cenário incrível onde os prazeres supremos não podem ser compreendidos pelo homem. Isso porque no mundo dos Cenobitas, um homem simples não possui a mesma percepção do que significa o real prazer. Pelo menos não na perspectiva de seres tão bizarros como eles.

Clive Barker tem uma escrita que consegue transmitir a noção de decadência do ser humano. A capacidade de passar ao leitor algumas nuances do pavor. Isso ele consegue fazer ao nos mostrar uma narrativa ricamente visual. Várias descrições vívidas de momentos bem gore. Algumas das cenas são bizarras como a da viagem de Frank pelo universo dos Cenobitas ou mais para a frente quando Frank entra em contato com outras pessoas. Barker consegue apresentar também toda a violência do ser humano diante de algo que se deseja. A narrativa é feita em terceira pessoa a partir de três pontos de vista básicos: Frank, no começo, Julia e Kirsty. Entretanto, não curti tanto assim a escrita do autor. Senti que faltou um pouco mais de impacto em algumas cenas, além do fato de haver momentos bem parados durante a história. E isso porque esta é uma novella.

"Os dois podiam salvar um ao outro, da forma que os poetas prometiam que amantes fariam. Ele era um mistério, ele era trevas, ele era tudo com que ela sempre sonhara."

Os personagens são bem variados. Frank é um homem mau. Um homem que conheceu os prazeres em várias partes do mundo e mesmo assim não se satisfez. Foi capaz de realizar as mais terríveis maldades e até mesmo de ferir de certa forma o seu irmão.Alguém capaz de usar seus recursos de forma inescrupulosa. Quando ele recebe o que quer, não tem seu desejo inteiramente satisfeito. E através de outra pessoa, ele tentará novamente obter aquilo que ele quer. Julia é uma mulher insatisfeita. Por um erro no passado ela não foi capaz de amar mais o seu marido. Em muitos momentos vamos achá-la desagradável acima de tudo. E vamos nos dando conta progressivamente o quanto ela pode ser perigosa para conseguir o que deseja.

Só senti que o marido de Julia e Kirsty ficaram um pouco perdidos na história. Entendo que o marido serve para dar gravidade às ações de Julia. Mas, ao mesmo tempo ele teria um plot que poderia gerar elementos muito proveitosos caso a atração que Kirsty sente por ele fosse melhor aproveitada. Kirsty ficou parecendo uma mulher bisbilhoteira e chata. Quando o autor consegue dar um modicum de coragem para ela, chegamos ao final.

O tema central de Hellraiser é o desejo e ambição. Todos os personagens ambicionam algo. Um deseja sentir algo além de sua imaginação; outro deseja sair de uma realidade que aprisiona e não lhe deixa obter o mais profundo desejo de seu coração. O autor consegue explorar isso de uma forma bem clara e simples, estabelecendo relações entre os personagens. A narrativa é perfeita no sentido de que apesar de alguns momentos meio arrastados no meio, ele cria uma conexão muito interessante entre o primeiro capítulo e o resto da história. Será este primeiro capítulo que vai fornecer uma série de elementos que serão explorados com mais eficiência a seguir. É como se a história inteira girasse a partir de um único momento.

“Eles não eram totalmente diferentes; certa melodia cadenciada nas vozes e o comportamento agradável os marcava como irmãos. Mas as qualidades de Frank evocavam algo que seu irmão jamais teria: um belo desespero.”

A construção de mundo é sensacional. O autor vai dando pistas daquilo que ele pretende aprofundar futuramente. Os Cenobitas, a caixa, o que os Cenobitas podem ser. Ele dá pistas, mas nenhuma certeza. Ficamos curiosos com o que estes seres podem representar. Barker deixa alguns elementos no ar como a questão do pacto fáustico, a maneira como os Cenobitas se relacionam com quem os invoca e como seus poderes podem ou não funcionar. Tudo isso me deixou extremamente curioso para ler mais histórias em que estes seres possam estar envolvidos.

Hellraiser é uma história que acaba passando rápida, mas que nos mostra muito bem o motivo de Clive Barker ser um autor de terror tão reverenciado. Com uma escrita repleta de elementos visuais, uma narrativa simples, porém com muitos elementos de degradação e decadência, esta é aquela história essencial para os fãs de terror. É um marco e uma passagem rumo a sabores mais obscuros.

"Que punição poderia ser pior do que o pensamento de sofrer sem a esperança de se libertar?"

Ficha Técnica:


Nome: Hellraiser - Renascido do Inferno

Autor: Clive Barker

Editora: DarkSide Books

Gênero: Terror

Tradutor: Alexandre Callari

Número de Páginas: 160

Ano de Publicação: 2015


Link de compra:

https://amzn.to/2Ls2qIF


Tags: #hellraiser #clivebarker #darksidebooks #cenobitas #ambicao #ganancia #pecado #sobrenatural #inferno #julia #artefatos #caixadelemarchand #kirsty #frank #novella #terror #amoterror #leiaterror #igterror #ficcoeshumanas



ficções humanas rodapé.gif

Todos os direitos reservados.

Todo conteúdo de não autoria será

devidamente creditado.

  • Facebook - Círculo Branco
  • Twitter - Círculo Branco
  • YouTube - Círculo Branco
  • Instagram - White Circle

O Ficções Humanas é um blog literário sobre fantasia e ficção científica.