• Paulo Vinicius

Resenha: "Freedom is the Space for Spirit" de Glen Hirshberg

Em uma narrativa repleta de simbolismo, Thomas é chamado de volta à Rússia pelo seu amigo Vasily. Ambos eram membros de um movimento cultural de resistência e agora se veem em um país completamente diferente.



Sinopse:


"Freedom is Space for the Spirit" de Glen Hirshberg é uma história de fantasia sobre um alemão de meia-idade, arrastado de volta para a Rússia por um misterioso convite feito por um amigo que ele conheceu durante o período selvagem e exuberante no meio da dissolução da União Soviética. Na chegada a São Petersburgo, ele começa a ver ursos, vagando por toda parte perdidos.





Essa é uma narrativa bem curiosa. Vou contar um pouco e a partir daí discutimos por que eu não curti tanto. Temos Thomas e sua esposa que estão para ter um filho e o marido é chamado por seu amigo Vasily para ver o que estaria acontecendo em São Petersburgo, um lugar que eles lutaram a boa luta durante o final do regime de Gorbachev. Anos agitados em que era preciso lutar por um ideal. Thomas vai até lá, mesmo relutantemente, e acaba se deparando com um lugar diferente demais da cidade que ele se lembrava. A modernidade havia chegado na Rússia e as pessoas parece que vivem um outro momento. As memórias do passado são apenas isso: memórias. Mas, uma coisa chama a atenção de Thomas: ursos vagam pela cidade livremente e as pessoas parecem não se importar com a presença deles. E Vasily parece ter sumido da face da terra.


A narrativa tem aquele quê de realismo mágico embora seja difícil categorizar isso em um romance desse estilo. O narrador usa a terceira pessoa para contar uma história repleta de simbolismos e metáforas que ajudam a dar um ar místico a tudo. O estilo descritivo do autor colabora com o clima estranho de uma cidade transformada. O protagonista é quase um estranho, alguém que não combina com o espaço ali. Na minha percepção, Thomas consegue ser mais bizarro naquele ambiente do que os ursos propriamente ditos. O elemento fantástico não é o ponto principal, servindo como faísca para mover a história para frente. O conto possui várias interpretações possíveis sendo que vai caber ao leitor reconhecer os símbolos fornecidos pelo autor e encaixá-los dentro de uma opinião sobre o que foi lido.


Thomas é um homem que já passou por muita coisa em sua vida. Mas, sempre houve uma paixão por aquilo pelo qual ele lutava. Os momentos de panfletagem, de luta social, de ver que uma enorme mudança estava prestes a acontecer, movia ele e a seus companheiros. Até o dia em que o muro de Berlim caiu... e o regime soviético também. Mas, o que vem depois? Essa busca por um novo ideal se mescla com novas necessidades vindas com a maturidade. Ao se tornar pai, Thomas agora tem outras responsabilidades. Ele quer imaginar um mundo melhor e mais tranquilo para seus filhos. Mas, ao retornar para a Rússia ele percebe o quanto as pessoas podem facilmente se esquecer daquilo que um dia foi importante. Valeu a pena a luta? Será que não saímos de um regime x para entrarmos em um sistema y e as pessoas continuam a ser exploradas do mesmo jeito?


O que os ursos significam? Vou tentar explicar o que eu entendi sem dar spoilers. Para mim, os ursos remontam a momentos anteriores à nova Rússia e até mesmo à formação da União Soviética. Em um momento em que as pessoas tinham uma razão para viver e para lutar. Em que o real motivador para tudo era sobreviver mais um dia. Quando tudo tinha significado, mesmo que o cotidiano fosse difícil. O fenômeno dos ursos nas cidades nada mais é que o encontro entre o velho e o novo, o tradicional e o contemporâneo. O quanto nos descolamos e achamos o passado desinteressante. Por mais que os ursos urrem e corram, as pessoas estão encerradas em suas próprias existências, individuais dentro de si mesmas e não se lembram mais do coletivo. Isso veio a partir do novo sistema que privilegia mais o eu do que o nós.


Enfim, achei o conto estranho aonde ele precisa ser. Mas, não é uma leitura fácil, sendo bem árida em alguns momentos. Sabe quando você lê, lê, lê, lê e lê e não entende nada? Precisei voltar algumas casinhas, reler certos trechos e mesmo assim acho que não absorvi tudo. Faltou também uma resolução para o protagonista porque o autor deixou o final aberto e interpretativo demais. Gosto de finais abertos em alguns momentos. Da maneira como foi feito, não ficou legal.










Ficha Técnica:


Nome: Freedom is Space for the Spirit

Autor: Glen Hirshberg

Editora: Tor.com

Número de Páginas: 54

Ano de Publicação: 2016


Avaliação:


Link de compra:

https://amzn.to/3n6rq6J










0 comentário