• Amanda Barreiro

Resenha: "Ex Libris", de Fabio Brust

As vidas dos amigos Sam e Davi seguem caminhos inesperados quando a menina encontra um livro que narra a vida inteira de Davi.

A imagem mostra um livro aberto com as páginas escritas e, sobre ele, uma caneta tinteiro com uma pena negra.
Fonte: Pinterest

Sinopse:


Nostálgica com o iminente fechamento do sebo em que Samanta e Davi se conheceram, ela busca um livro para guardar de lembrança. O porão do lugar esconde, em meio a vários outros volumes esquecidos, um exemplar diferente do que ela espera: a história da vida de seu melhor amigo. Um livro com as iniciais de Davi no pé da capa e o título Ex Libris em dourado.



Ex Libris - Um Livro para Duas Vidas


A ideia de destino sempre moveu a humanidade em busca de propósitos e justificativas, nos levando a jornadas, peregrinações e inúmeros métodos de autoconhecimento. Pensar em uma história completa, já escrita em algum lugar como parte de um plano maior pode garantir o conforto e a tranquilidade que muitos perseguem; ter acesso a essa narrativa já é uma outra questão.


Ex Libris se fundamenta basicamente sobre o ímpeto da curiosidade humana sobre o destino e o conceito de livre arbítrio. Fabio Brust utiliza várias metáforas já bem conhecidas para explorar a temática: o livro e a pena, as viagens e aventuras em busca de um conhecimento "proibido" e toda a atmosfera solene em torno de vidas que são firmadas no papel e seguidas a cabo. A grande biblioteca, figura presente em tantas outras histórias, também está lá, titânica e impávida como se esperaria de qualquer construção que contivesse todo o registro da humanidade. Nesse sentido, ao mesmo tempo que todos esses elementos nos são terrivelmente familiares e até mesmo convidativos pelo lugar comum que representam no nosso imaginário, também tornam o livro sobrecarregado de conteúdos bastante previsíveis.


A imagem mostra várias estantes com muitos livros, formando uma enorme biblioteca.
Fonte: Pinterest

Um ponto que preciso mencionar sobre a minha experiência com o livro do Fabio é que, apesar de passar a impressão inicial de se tratar de uma história cujo elemento central é o Ex Libris propriamente dito, o que centraliza a trama é a paixão entre os dois jovens. Em dado momento, o relacionamento ganha tamanha importância que as pontes narrativas que estavam sendo construídas até então parecem sumir de foco. Como resultado, algumas questões ficaram soltas e outras pareceram não fazer muito sentido, inclusive contradizendo alguns caminhos que foram seguidos.


Muito desse incômodo com relação ao romance superdesenvolvido entre Sam e Davi vem pelos próprios personagens, pouco carismáticos e vacilantes. Percebo que é interessante a escolha por duas pessoas comuns para uma jornada tão relevante e especial, fugindo ao estereótipo do herói e até mesmo do escolhido, mas não posso deixar de notar o quanto as personalidades atribuídas a eles são frágeis.


Apesar das críticas, é preciso deixar claro que Ex Libris tem uma escrita leve e fluida, bem articulada e envolvente. O autor fez um bom trabalho em retomar os clichês relativos aos destino e construir sua própria releitura acerca desse tema tão inquietante e controverso. Gostaria de ter visto alguns pontos que considero importantes para a história melhor estruturados, mas é uma leitura recomendável para um bom entretenimento e, sem dúvida, algumas reflexões.









Ficha técnica:


Título: Ex Libris

Autor: Fabio Brust

Editora: Avec

Páginas: 392

Ano de lançamento: 2020


Livro cedido em parceria com a editora Avec.