• Amanda Barreiro

Resenha: "De Volta Para Casa" (Crianças Desajustadas vol. 1), de Seanan McGuire

Atualizado: Jan 15

O internato da senhora Eleanor West acaba de receber Nancy, mais uma menina que não consegue se ajustar à vida normal após retornar de seu mundo encantado. Mas uma tragédia na escola vai deixar tudo ainda mais complicado.



Sinopse


"...e a única pessoa que pode lhe dizer como sua história termina é você".

Crianças sempre desapareceram nas condições certas: escorregando pelas sombras debaixo da cama, atrás de um guarda-roupa ou caindo em buracos de coelhos e em poços velhos, para emergir em algum lugar... diferente.

Nancy viajou para um desses lugares, e agora está de volta. As coisas que ela viu... mudam uma pessoa para sempre. E as crianças sob os cuidados de Eleanor West compreendem isso muito bem: cada uma delas procura a porta de volta ao seu próprio universo fantástico, mas poucas conseguem encontrá-la. Afinal, mundos mágicos têm pouca utilidade para crianças cujos milagres já foram usados.

A chegada de Nancy marca também uma terrível mudança no internato. Há uma escuridão pairando à cada esquina, e quando a tragédia ataca, Nancy e seus colegas precisam desvendar o mistério.

Não importa o custo.



Lar é onde seu coração está


Poucos autores sabem escrever bem histórias curtas. Boa parte se perde num mar de descrições, palavras complicadas e floreios desnecessários. Outros, ainda, batem cabeça até encontrar o que julgam ser o ponto perfeito para iniciar o clímax, para conduzir ao desfecho, para transformar o protagonista em herói... Não há espaço para tanto nos contos e nas novelas, e é aí que muitos escritores se perdem. Bom, definitivamente esse não é o caso de Seanan Mcguire. Mas, tal não é o caso da autora de De Volta para Casa, pois ela sabe contar uma boa história.


Partindo de uma premissa de mundos paralelos e encantados começamos a história de Nancy e do internato de Eleanor West. Isto é algo muito próximo do que já conhecemos em Alice no País das Maravilhas, por exemplo, onde a criança encontra um portal existente apenas para ela, uma passagem para um lugar especial, mágico e, por que não, personalizado. Ao trabalhar com esses elementos, a autora nos remete à nossa própria juventude: aquela sensação de não pertencer a algum lugar, de não ser compreendido, de não se encaixar, de ser diferente das expectativas colocadas por todos sobre nós. Tudo isso é apresentado de forma relevante e sensível.


Arte por Jim Warren

A trama, na verdade, assume para si esse comprometimento com os sentimentos e sensações dessa fase transicional que é a adolescência. Coloca também todos os questionamentos, as dúvidas e as crises de identidade em primeiro plano. Tudo muito bem encaixado dentro da temática dos diversos mundos pelos quais os estudantes já passaram. Destaco isso de forma tão enfática porque, além de ser a parte mais interessante da história, é também a mais bonita e fundamental para compreender todo o sentido de De Volta para Casa.


"Pela primeira vez não tínhamos que fingir ser alguma coisa que não éramos. Podíamos só ser. Isso fazia toda a diferença do mundo."


Falando um pouco dos personagens, outro ponto vital para a dinâmica da história, temos Nancy, Sumi, Kade, as gêmeas Jack e Jill e a Eleanor West, a proprietária do internato, como figuras principais. As cento e tantas páginas podem parecer muito poucas para desenvolver tantos personagens, mas aí é que está o erro em fazer qualquer suposição sobre esse livro. Eu garanto que há espaço suficiente para todos e acabamos tão íntimos deles, conhecemos suas personalidades e seus corações.



Nancy é a protagonista deste primeiro volume (os outros livros da série serão sobre os outros personagens), uma menina tímida, silenciosa, discreta e mortificada por não mais pertencer ao Salão dos Mortos. Nancy é assexuada e, não bastasse a bela representatividade, esse é um ponto muito bem trabalhado e importante para a construção da personagem. Além da sexualidade, a questão de gênero também é apresentada de forma sensível e honesta, perfeita para incorporar o diálogo com o público-alvo jovem. Quero deixar bem claro, entretanto, que, de forma alguma, o livro trata sobre sexo, já que são coisas bastante distintas.


"Narre as coisas impossíveis, transforme-as em uma história e elas podem ser controladas."


Mas, não é só de fantasias e mundo paralelos que De Volta para Casa se sustenta. A trama decola com a chegada de Nancy ao internato e uma sucessão de fatos trágicos e misteriosos se desenrolando. A acusação parece óbvia: a novata veio do Salão dos Mortos, não se identifica com a maior parte dos alunos e, naturalmente, tudo estava indo bem até a sua chegada. A trama ganha ares de investigação e assume, gradativamente, um tom mais sério e urgente. A condução da narrativa é de uma habilidade incrível: Seanan Mcguire provoca o leitor a cada página, puxa e contorce os eventos e os arremata de forma surpreendente, inteligente e muito instigante. É incrível como a autora conseguiu passear por todas as etapas da história de forma tão natural e bem-feita em tão pouco espaço.


Não bastasse uma história bem construída e personagens interessantes e de fácil identificação, a autora discute temas relevantes como as relações familiares, a aceitação, a necessidade de sentir-se parte de um grupo e as descobertas de gênero e sexualidade. Ao tratar de forma delicada sobre assuntos tão complexos para os jovens, cria-se enorme responsabilidade em conduzir essa narrativa de forma apropriada e deixar ali uma mensagem de conscientização e acolhimento. A autora dá voz a anseios e medos de todas as idades e nos oferece um livro honesto, bonito e absolutamente brilhante.


"Você não é o arco-íris de ninguém.

Você não é a princesa de ninguém.

Você não é o portal de ninguém, além de si mesma, e a única pessoa que pode lhe dizer como sua história termina é você."


De Volta para Casa é leitura obrigatória para os amantes de mundos mágicos, para os sonhadores e para qualquer leitor apaixonado por uma história bem contada. É aquele tipo de livro que permanece com a gente mesmo depois de terminada a leitura, tamanha a conexão que criamos. Afinal, quem nunca desejou um mundo mágico só para si? A boa notícia é que a Morro Branco está fazendo um trabalho ótimo com as continuações e eu não vejo a hora de ler os próximos livros!




Ficha técnica:


Título: De Volta Para Casa

Série: Crianças Desajustadas #1

Autora: Seanan McGuire

Tradução: Ana Death Duarte

Editora: Morro Branco

Páginas: 184

Ano de lançamento (no Brasil): 2018

Gênero: Fantasia, Young Adult


Outros Volumes:

Entre Gravetos e Ossos (vol. 2)


Link de compra:

https://amzn.to/2YWWHMz


*Material enviado em parceria com a Editora Morro Branco



Tags: #seananmcguire #morrobranco #fantasia #youngadult #leiafantasia #amofantasia #leiayoungadult #ya #teen #representatividade #lgbtq #mundosparalelos #novellas #hugoawards #nebulaawards #locusawards





ficções humanas rodapé.gif

Todos os direitos reservados.

Todo conteúdo de não autoria será

devidamente creditado.

  • Facebook - Círculo Branco
  • Twitter - Círculo Branco
  • YouTube - Círculo Branco
  • Instagram - White Circle

O Ficções Humanas é um blog literário sobre fantasia e ficção científica.