• Paulo Vinicius

Porco Rosso

Marco Rosso é um piloto de avião que participou da Primeira Guerra Mundial. Após uma tragédia, ele se transformou em um porco e passa a viver uma vida mais tranquila. Mas, sua tranquilidade vai chegar ao fim graças a um ganancioso piloto norte-americano e um grupo de piratas aéreos.

Sinopse:


Na Itália, durante o período entre as duas guerras, com um fundo de recessão econômica e de ascensão do fascismo, perdido numa ilha deserta no mar Adriático,, um ex-piloto emérito da Força Aérea Italiana, se vê transformado em um porco e converte-se em caçador de recompensas. Ele se chama "Porco Rosso". A bordo de seu hidroavião vermelho, ele tem muitas aventuras: de caça aos piratas do ar que fizeram um hábito de roubar os turistas que visitam a região, o resgate de passageiros tomados como reféns, duelos aéreos, "corridas" de hidroavião, subterfúgios para semear a polícia secreta italiana ... a vida do piloto é agitada e cheia de aventuras.




Esta animação tem uma história, no mínimo, curiosa. Cansados da produção de Túmulo dos VagaLumes e Nausicaa, Miyazaki teve a ideia de produzir alguma animação leve e com uma história simples de forma a fazer os membros do estúdio descansarem. Só que a animação ficou tão boa que Porco Rosso figura entre as melhores animações do estúdio. Porco Rosso chegou a ser distribuído em diversos países e teve até dublagem internacional por atores como Jean Reno que dublou o protagonista na cópia enviada para a França.

Marco Porcelino Rosso foi um piloto da Força Aérea Italiana que atuou na Primeira Guerra Mundial. Cansado de batalhas e após um incidente envolvendo os seus companheiros, ele volta ao mar Adriático para viver uma vida tranquila e sossegada. Mas, algo estranho lhe aconteceu: ele se transformou em um porco. Se envolvendo em batalhas aéreas, campeonatos de acrobacias e derrotando piratas, Marco continua sua vida até que um piloto norte-americano Donald Curtis consegue derrubar Marco do ar. Ele então precisará retornar à Milão, na Itália, para reformar seu avião e se preparar para uma revanche contra Curtis. Em uma jornada para descobrir quem ele é, Marco encontrará Fiona Piccolo, uma talentosa designer de aviões que o fará suar a camisa.

Miyazaki é um fã de aviação. Ele já comentou em diversas entrevistas o quanto gostava dos antigos pilotos da Primeira Guerra Mundial, bravos homens que se colocavam no ar e disputavam com seus rivais quem era o melhor. Para ele, era como um duelo acontecido no Velho Oeste americano. E este amor pelos dogfights, ou seja, pelas disputas entre aviões antigos foi transportada para essa animação. Podemos ver ao longo do filme o quanto Miyazaki se preocupou com os detalhes como o momento em que Fiona desenha o modelo do novo avião de Marco. Fora que o próprio protagonista é baseado na lenda do Barão Vermelho, um heroi da aviação da Primeira Guerra Mundial.

A animação de Porco Rosso é um misto de influências ocidentais e a de animes japoneses antigos como Lupin. Os traços são exagerados ao mesmo tempo em que são estilosos. Os inimigos são claramente identificáveis tendo aquelas expressões estranhas típicas de desenhos da Hanna-Barbera. Toda a animação é muito colorida, dando aquele aspecto mais leve e brincalhão, objetivo principal do filme. Os cenários usados novamente estão na Itália. Miyazaki pesquisou bem o modelo das casas mediterrâneas. Isso já podia ser observado em Serviço de Entregas da Kiki, mas em Porco Rosso as casas são mais esparsas porque Marco frequenta pequenas ilhas do Adriático. Adorei a forma como Miyazaki imaginou, por exemplo, o restaurante da Gina com aquele espaço aberto típico de um bistrô ou parte da cidade de Milão quando Marco está na oficina Piccolo.


A animação possui elementos bem sutis em sua temática. Ele critica, por exemplo, as consequências da guerra para as pessoas que ficam esperando seus entes queridos. Gina teve seu marido (companheiro de Marco) morto durante uma das ofensivas italianas. Ela agora não deseja mais casar por conta da tristeza que carrega ao ter perdido seu amor. Marco também foi profundamente marcado pela guerra. Ele viu seus amigos serem mortos um a um. Uma das sequências mais bonitas da animação é quando ele está inconsciente e voa acima das nuvens. Ele vê todos os aviadores mortos subindo com seus aviões ao céu. O elemento da crítica é em ver quantos aviões subiram ao céu formando praticamente uma revoada indistinta de aviões. Miyazaki critica a tolice por trás dos conflitos.

O cenário é a Itália na década de 1930. Aqui a gente começa a ver pequenos detalhes sobre a ascensão do fascismo. Só achei que Miyazaki errou um pouco na datação. Mussolini sobe ao poder muito antes de Hitler, no início da década de 1920. Marco é considerado subversivo por não apoiar o novo regime. Todos os que fossem contra o regime deveriam ser imediatamente apreendidos. Existe todo um clima de medo vivido pelas pessoas. Apesar de apoiarem o novo regime que buscava reconstruir a Itália, a população estava amedrontada com as ações extremas do Duce. Outro ponto interessante: antes a Itália apoiava os aliados contra a Alemanha e agora era uma de suas aliadas. Marco percebe a bobagem da política de nações e isto talvez tenha contribuído para sua melancolia.

Marco ser um porco é uma alegoria usada por Miyazaki para compor a personalidade do protagonista. Ele abandonou sua vida de heroi para se tornar um homem individualista e sem se apegar demais às pessoas. Antes de conhecer Fiona tudo o que ele queria era uma boa bebida, um combate interessante e muito dinheiro. Ou seja, ele havia se tornado literalmente um porco. Para que ele possa deixar de ser um porco, Marco precisaria se reencontrar como heroi, entender os motivos pelo qual ele deve proteger as pessoas que ama. A animação Porco Rosso nada mais é do que uma longa jornada do heroi. Jornada esta psicológica e não física na qual o protagonista vai precisar se conscientizar da necessidade de recuperar o coração de um aviador. Gina e Fiona vão ser os elementos transformadores do caráter do protagonista.

Gostei bastante da animação: divertida e cerebral aonde precisava ser. Mesmo o inimigo,Curtis, é um cara engraçado. Porco Rosso não tem as mesmas pretensões reflexivas de Túmulo dos VagaLumes, mas é uma animação que trata da guerra e das tolices que fazemos durante ela. O ritmo da história é muito bom e quando menos esperamos o filme acaba. Típico do Miyazaki.

Na próxima semana vou falar aqui de The Ocean Waves, uma animação pouco conhecida do estúdio Ghibli.

Ficha Técnica:


Nome: Porco Rosso

Diretor: Hayao Miyazaki

Produtor: Toshio Suzuki

Roteirista: Isao Takahata

Estúdio: Studio Ghibli

País de Origem: Japão

Tempo de Duração: 94 min

Ano de Lançamento: 1992


Tags: #porcorosso #hayaomiyazaki #isaotakahata #toshiosuzuki #piloto #aviacao #primeiraguerramundial #piratas #combatesaereos #ficcoeshumanas








ficções humanas rodapé.gif

Todos os direitos reservados.

Todo conteúdo de não autoria será

devidamente creditado.

  • Facebook - Círculo Branco
  • Twitter - Círculo Branco
  • YouTube - Círculo Branco
  • Instagram - White Circle

O Ficções Humanas é um blog literário sobre fantasia e ficção científica.