• Paulo Vinicius

Sussurros do Coração

Shizuku é uma menina de 14 anos que precisa descobrir o que fará de sua vida. Durante esta fase de descobertas, ela descobre que todos os livros que ela pega emprestados na biblioteca passaram pelas mãos de alguém chamado Seiji. Ela fica curiosa e decide investigar quem é esta pessoa.

Sinopse:


Shizuku, uma estudante que sonha ser uma escritora e decide, durante o verão, ler vinte livros. Mas, curiosamente, todas as edições que Shizuki pegou na biblioteca já haviam sido lidas por um tal de Seiji Amasawa.




Geralmente entre duas animações pesadas, os diretores do Studio Ghibli costumam fazer com que os integrantes do estúdio produzam algo de forma mais livre. Assim foi com Only Yesterday e assim é com Sussurros do Coração. Nesta animação em que apenas o roteiro foi feito por Miyazaki temos mais um slice of life, ou seja, história do cotidiano. A recepção da animação foi bem mediana, não chegando a alcançar os números de outros sucessos do estúdio como Pom Poko ou Porco Rosso. No Brasil, ele foi apenas recentemente lançado em DVD e Blu-Ray.

A história se centra na protagonista Shizuku Tsukishima, uma menina de 14 anos que se encontra em uma fase da vida em que precisa tomar decisões. O nome Sussurros do Coração tem a ver com o seu próprio coração que está clamando por mudanças em seu modo de vida. Tsukishima é uma leitora ávida que passa suas tardes na biblioteca lendo todo o tipo de livros. Yuko, sua melhor amiga, está com problemas porque passou a receber cartas de um admirador secreto, mas ela gosta mesmo é de Sugimura, um dos melhores jogadores de beisebol da escola. Por sua vez, Sugimura (que troca gracinhas às vezes com Tsukishima) gosta mesmo é da própria Tsukishima. Tudo muda quando Tsukishima repara que em todos os livros que ela pega emprestado da biblioteca municipal o nome de um menino chamado Seiji Amasawa vem sempre antes do dela. Ela fica curiosa e decide investigar. Quando estava chegando à biblioteca ela cruza com um gatinho de rua com um estranho comportamento. Ela decide então seguir o gatinho e encontra uma estranha loja de antiguidades. Lá ela fica encantada com uma estranha estátua no formato de gato chamada Baron. Ah... tudo isso e um estranho garoto que fica tirando uma com a cara dela. O que tudo isso tem a ver com a história? Ora, mudanças.

A trilha sonora é extremamente agradável. A sonoridade leve e feliz está presente por toda a animação. A própria canção adaptada por Tsukishima vem de uma velha canção de John Denver chamada "Country Roads". Aliás, vale a pena destacar a crítica sutil feita por Miyazaki neste filme. Podemos associar a brincadeira feita por Tsukishima com Concrete Roads à extrema urbanização de Tóquio. As ruas de concreto que tomaram as belas colinas e impediram as pessoas de terem um contato maior com a natureza. Tema este que foi bem abordado em Pom Poko, com os tanukis sendo expulsos de seu lar.

A letra da música abaixo eu encontrei no seguinte link:

Country Road (tradução da música)

Country Road

Country Road Kono michi zutto yukeba Ano machi ni tsuzu iteru Kiga suru Country Road Hitori bocchi osorezu ni Ikiyouto yume miteta Samishi sa oshikomete Tsuyoi jibun to mamotteiko

Country Road Kono michi zutto yukeba Ano machi ni tsuzu iteru Kiga suru Country Road

Aruki tsukare tatazumuto Ukandekuru furusato no machi Oka o maku saka no michi Sonna boku o shikatte iru

Country Road Kono michi zutto yukeba Ano machi ni tsuzu iteru Kiga suru Country Road

Donna kujike soona to kidate Kesshite namida wa misenaide Kokoro nashika hochou ga hayaku natteiku Omoide kesutame

Country Road Kono michi furusato e tsuzuite mo Boku wa ikanai sa Ikenai Country Road

Country Road Ashita wa itsu mo no boku sa Kaeritai kaerenai Sayonara Country Road

Country Road (Tradução)

Estrada do Interior, Sinto como se esta estrada realmente longa levasse àquela cidade. Estrada do Interior.

Decidi não ter mais medo de estar sozinho. Este era meu sonho... Afastar meus sentimentos tristes e proteger minha força interior. Não importa que tristezas venham, Estrada do Interior, Sinto como se esta estrada realmente longa levasse àquela cidade. Estrada do Interior.

Irei segurar minhas lágrimas. Se caminhar mais rápido, Posso me esquivar daquelas lembranças dolorosas. Estrada do Interior,

Estrada do Interior, Sinto como se esta estrada realmente longa levasse àquela cidade. Estrada do Interior.

Mesmo que esta estrada leve ao interior, Nós não podemos ir. Não podemos ir, Estrada do Interior. Estrada do Interior,

Amanhã irei ser eu mesmo uma vez mais. Quero retornar, mas não posso. Adeus Estrada do Interior...


Gostei demais da animação. Novamente o estúdio se supera na sua capacidade de compor amplos espaços. Mesmo o ambiente urbano não me incomodou porque a paleta de cores usada é sempre muito alegre, combinando com o sentimento da animação. Tudo é muito grande e a paixão de Tsukishima por lugares elevados faz com que ela nos presenteie com lindas tomadas de câmera. Senti um pouco daquele sentimento de familiaridade e percebi muitas relações com os cenários usados no final de Pom Poko. Quanto aos personagens, eles seguem os padrões de animes japoneses, nada como em Only Yesterday onde Isao Takahata procurou inovar. Acho que neste caso aqui nem era necessário.

O enredo nada mais é do que uma jornada de crescimento. A personagem se sente incomodada agora pelo seu status quo. A sua vida de antes não é mais capaz de abarcar as mudanças pela qual o seu corpo e o seu coração estão passando neste momento. É uma história de uma adolescente que se vê cercada de decisões a serem tomadas e ela reluta já que tudo que ela deseja é continuar a ter sua vida simples de antes. Quando ela começa a se relacionar com Seiji ela se vê perdida e não sabe o que fazer. Ambos são muito importantes um para o outro já que a companhia e a integração entre os dois personagens faz com que eles desejem mudar. Para Seiji isso significou se decidir ir a Cremona para aprender as técnicas de construir um violino; para Tsukishima isso significou abandonar sua antiga vida de lado e tomar decisões com coragem.

Os outros personagens acabam gravitando ao redor dos dois protagonistas. A própria família de Tsukishima não interfere na história. Só vamos sentir a presença dos pais quando as notas da protagonista caem na escola. Já Yuko acaba servindo como o elo de ligação entre Tsukishima e sua antiga vida. Quando a protagonista toma sua decisão ela precisa ir até Yuko contar sobre o ocorrido para só então levar a cabo os seus objetivos. É como se a protagonista estivesse se despedindo de sua antiga vida.


Os elementos fantásticos acabam servindo muito mais para tirar a personagem do seu equilíbrio. O gatinho e o próprio Baron servem para levar a personagem a repensar os seus conceitos. Achei interessante que Miyazaki quis passar para o espectador que a fantasia pode estar em qualquer lugar. Podemos encontrar com um tanuki ou um gatinho maluco a qualquer momento de nossas vidas. Aliás, é essa magia que nos faz crescer e nos desenvolver. Magia esta que não precisa ser um dragão ou um feiticeiro invocando uma bola de fogo, mas simplesmente algo para nos tirar do lugar comum. Nesse ponto o roteiro se supera muito.

Sussurros do Coração é uma excelente animação. Normalmente a premissa dele acaba afastando os espectadores considerando-o bobo e sem muita ambição. Cuidado! Como eu já disse em outras resenhas, Miyazaki tem o poder de tornar qualquer tipo de roteiro interessante. Leia nas entrelinhas daquilo que é apresentado em Sussurros do Coração. Você vai se surpreender com o que é apresentado. Para mim, foi uma tarde bem prazerosa assistindo ao filme. Nem senti o tempo passando.

Na próxima semana, a animação que eu considero a segunda melhor do Studio Ghibli: Princesa Mononoke.

Ficha Técnica:


Nome: Sussurros do Coração

Diretor: Yoshifumi Kondo

Produtor: Toshio Suzuki

Roteirista: Hayao Miyazaki

Estúdio: Studio Ghibli

País de Origem: Japão

Tempo de Duração: 111 min

Ano de Lançamento: 1995


Tags: #sussurrosdocoracao #toshiosuzuki #hayaomiyazaki #studioghibli #crescimento #amadurecimento #sliceoflife #violino #musica #ficcoeshumanas







ficções humanas rodapé.gif

Todos os direitos reservados.

Todo conteúdo de não autoria será

devidamente creditado.

  • Facebook - Círculo Branco
  • Twitter - Círculo Branco
  • YouTube - Círculo Branco
  • Instagram - White Circle

O Ficções Humanas é um blog literário sobre fantasia e ficção científica.