• Diego Araujo

Resenha: "Onda de Crimes" organizado por César Alcazar

Onda de Crimes estreia o selo Safra Vermelha da AVEC Editora com seis contos de literatura policial. Autores do Brasil, Uruguai e Argentina demonstram a capacidade de desenvolver suspense sobre os crimes envolvendo o ambiente sul-americano.

Sinopse:


Atividades suspeitas, tramas macabras, assassinatos misteriosos, desaparecimentos… Nas regiões isoladas e ermas até nas ruas apinhadas das grandes cidades, o crime está sempre à espreita. Reunindo contos de autores do Brasil, Uruguai e Argentina, Onda de Crimes é emoção do início ao fim! O lado mais sombrio da existência humana está à solta em Onda de Crimes, uma antologia que reúne algumas das principais vozes da Literatura Policial latino-americana atual. Da Argentina, Nicolás Ferraro aborda as agruras de uma jovem que acaba envolvida nas aventuras ilegais do próprio pai. Já seu conterrâneo, Kike Ferrari, mergulha nas tensões da tríplice fronteira entre Paraguai, Argentina e Brasil. Nascido no México, mas radicado no Uruguai, Rodolfo Santullo apresenta uma série de mortes desconcertantes no inverno sombrio de Punta del Diablo. Do Brasil, Cláudia Lemes investe no suspense ao retratar um homem vítima de uma perseguição que não consegue compreender. O feminicídio é a base da história narrada por Paula Bajer, na qual uma mulher suspeita que o vizinho é um assassino. Por fim, Cesar Alcázar mostra que segredos obscuros do passado podem gerar uma explosão de violência.




A literatura policial merece reconhecimento, pouco importa se até mesmo o autor do detetive e personagem com o recorde de adaptações em filmes e séries — Sherlock Holmes, de Arthur C. Doyle — desprezou o gênero na época. Os crimes recheados com suspense espalham migalhas de pistas a serem observadas pelos investigadores, elaborando um raciocínio a princípio incoerente, e no fim dando ao leitor a solução de todo o mistério numa lógica compreensível. Nem todo suspense é focado no investigador, há histórias como as do Sr. Ripley — de Patricia Highsmith — onde o personagem até fornece dicas do comportamento e ainda assim surpreende pelas atitudes violentas, como a maioria dos contos retratam neste livro resenhado.


A AVEC Editora inaugura a publicação deste gênero em seu catálogo através da antologia Onda de Crimes, primeiro livro lançado pelo selo Safra Vermelha. Publicado em 2019, o livro reúne seis contos da literatura policial sul-americana, com autores do Brasil, Uruguai e Argentina.


Os contos presentes nesta coletânea são:


1 - "Teia de Aranha" (de Nicolás Ferraro)

2 - "O Estranho" (de Cláudia Lemes)

3 - "A Fronteira do Acaso" (de Kike Ferrari)

4 - "Rosa" (de Paula Bajer)

5 - "Os Pregadores" (de Rodolfo Santullo)

6 - "Aqui Há Monstros" (de César Alcazar)


Seguem as resenhas:


1 - "Teia de Aranha"


Autor: Nicolás Ferraro Avaliação:





A história conta sobre o encontro da adolescente Regina e o pai ausente. Ela vive com a mãe e o irmão mais novo. Eles passam os dias assistindo documentários sobre a vida animal. A vinda do pai quebra a rotina da família e ele decide levar Regina para comprar livros que ela tanto gosta de ler e depois acertar as contas com um problema pessoal. O conto levanta as questões aos poucos e sem pressa de respondê-las, como os detalhes do carro do pai que apresenta certo mistério. Contudo, o carro serve para entendermos suas características quando entendemos sua relação com o carro. Muitas pontas ficam soltas, livres para a imaginação do leitor, pois o foco do conto é mostrar a família problemática de Regina. A escrita aproveita os documentários assistidos pela família e os usa como figura de linguagem nos comportamentos humanos ao longo da história, mesclando a linguagem com o elemento presente no enredo.

Teu pai é um tubarão. Não consegue ficar quieto, porque quando os tubarões param de se mexer, eles morrem.”

2 - "O Estranho"


Autora: Cláudia Lemes Avaliação:




O esposo Fernando pegará o trem de volta ao lar após uma viagem a negócios. Além de reencontrar a esposa Violeta, ele vai conhecer o bebê nascido durante a viagem. É pego de surpresa pelo Estranho durante a caminhada à estação de trem, e terá de lutar por sua vida. A autora deixa pistas sobre o ponto de virada a encerrar o conto, favorecendo o suspense sobre a trama de determinado personagem e mostrando a outra face jamais vista pelo protagonista. Há problemas na hora de expressar as ideias e lembranças de Fernando, sempre resumidas com verbos de pensamento (saber, lembrar, reconhecer) usados pelo personagem, por vezes até no mesmo parágrafo. Há também falhas na revisão, com palavras inadequadas e hífen onde deveria ser travessão.

Ele mentiu, sorrindo. Complementou com uma verdade absoluta: — Te amo.”

3 - "A Fronteira do Acaso"


Autor: Kike Ferrari Avaliação:




Três pessoas tentam cruzar a fronteira: Diego carrega a mochila cheia de cannabis para vender, Caetano é o militante condenado e em fuga, e Roxana é uma menor de idade tentando melhorar de vida através dos contatos da amiga. Os três portarem armas é só mais um acaso nesta história. O desfecho aparece no começo do conto, então retrocede e narra a história imparcialmente às particularidades dos protagonistas. O autor aproveita as diferenças de cada personagem enquanto se reúnem pelo objetivo em comum. Estende o significado da fronteira no título através da tolerância de um protagonista ao outro, cujos limites incertos desenvolvem a expectativa de quando o acaso transforma o rumo da história.

E ninguém é culpado. E ninguém é inocente.”

4 - "Rosa"


Autora: Paula Bajer Avaliação:




Sandra Lopes ouve três tiros e percebe a vizinha Rosa assassinada. A polícia começa a investigação na vizinhança, inspeciona as casas e faz perguntas aos moradores próximos. Ela sabe de tudo, exceto o que dizer à polícia. Narrado em primeira pessoa, a protagonista reflete a insegurança na hora de contar a própria história, bem como a seu sentimento de ansiedade bem apresentado pela autora. Ela acelera certas passagens da história, ansiosa pelo término da situação. Não existe nenhum suspense sobre o assassinato, sendo que a narrativa se foca na protagonista/narradora. É difícil prever a decisão de Sandra.

É no domingo que as coisas acontecem, quando não há nada para fazer e as pessoas têm maus pensamentos.”

5 - "Os Pregadores"


Autor: Rodolfo Santullo Avaliação:




Gladis trabalha em seu restaurante e vê um cliente diferente. Outro desconhecido entra e cumprimenta o cliente, chamando-o de Néstor. Gladis arruma a cozinha e come da própria comida. Terminada sua refeição, volta ao salão e descobre o cliente com uma faca enterrada no peito. Os oficiais da marinha vão ao local do crime e fazem a investigação, pois o lugar é remoto, inacessível a policiais. É o conto mais longo da antologia com os aspectos clássicos das histórias de suspense: há uma morte misteriosa, precisando ser investigada. A trama evolui com acontecimentos suicidas bem trabalhados, sem impor causas simples na situação complicada e nada delicada. Além do suspense, há toques de terror com atitudes abruptas ocasionando mais mortes enquanto o mistério permanece.

Comeram amontoados na cozinha, esquivando-se com culpa ao olhar do morto que não pôde terminar o seu prato.”

6 - "Aqui Há Monstros"


Autor: César Alcazar Avaliação:




Tarciso vive recluso da família, mas a prima Nati insiste em conversar com ele. Ela pede ajuda para encontrar o pai desaparecido, pois o protagonista já foi da polícia e conhece os procedimentos e o pessoal. Ele ajuda contra a vontade, e descobre lados horríveis da humanidade. A história acontece no fim do século XX, demonstrado através das tecnologias existentes na época já defasadas ou inúteis, comparados aos recursos de hoje. Também remete a tempos sombrios de poucas gerações atrás, sem mencionar o nome do período cujos detalhes não nos são dados, apenas o suficiente para qualquer brasileiro compreender do quando retratado. Tarciso narra a própria história cheia de perspectivas violentas e corruptas, todas reconhecíveis aos brasileiros — e de novo, com poucas palavras.


Assim como no conto de Rodolfo, a trama de Aqui Há Monstros desenvolve-se a partir de eventos suicidas. Infelizmente a citação desses merecia mais cuidado. O conto satiriza a recomendação ao jornalismo de evitar a publicação de notícias sobre suicídios, pois segundo um dos personagens: “Dizem que é pra não incentivar os outros”. Só que não existe tal proibição. Notícias deste tipo devem existir para o assunto deixar de ser tabu e ter informações acessíveis quanto a prevenção do suicídio. O problema está na abordagem de certas notícias, por descrever em detalhes o ato, citar alguma causa como justificativa ou o induzir o suicídio como a solução/saída do problema. Todas essas precauções foram ignoradas na relativização feita do conto, que inclusive cometeu dois dos deslizes por um personagem conseguir o que queria após tentar o suicídio porque o pai não aceitava o casamento.

A culpa é um negócio dos diabos.”

Considerações Finais:


Tanto na literatura policial como em outro gênero, as referências de ótimos livros sempre são de histórias estadunidenses ou europeias. Também é possível desenvolver histórias de boa qualidade proporcionando o que os leitores sul-americanos pouco veem nos livros do hemisfério norte: a nossa própria identidade. Longe de condenar autores brasileiros com histórias ambientadas no exterior, eu elogio a abordagem feita nesses contos pelo reconhecimento do lugar onde vivem ao lermos cada conto. Ver a ambientação dos países vizinhos traz o ar de novidade pelo local tão próximo e ainda inacessível por fronteiras mentais pela curiosidade sempre remeter a países distantes.


Nenhum suspense da antologia arrasta o leitor por páginas descritivas de pistas e subtramas tediosas alinhadas ao mistério. Todos propiciam uma leitura espontânea com as poucas páginas reservadas a cada história. Onda de Crimes demonstra a qualidade com que o selo Safra Vermelha pretende trabalhar, com apenas algumas ressalvas citadas na análise de alguns contos.


Link Externo


Cartilha do CVV sobre como a imprensa deve proceder na divulgação de atos suicidas: https://www.cvv.org.br/wp-content/uploads/2017/09/folheto-jornalistas.pdf



Ficha Técnica:


Nome: Onda de Crimes

Organizado por César Alcazar

Editora: Avec

Gênero: Policial

Número de Páginas: 120

Ano de Publicação: 2019


Link de compra:

https://amzn.to/2IanZsj


*Material enviado em parceria com a Avec Editora


Tags: #ondadecrimes #cesaralcazar #aveceditora #safravermelha #crimes #assassinatos #culpa #prisao #medo #tiros #violencia #loucosporlivos #amoleitura #igliterario #parceriaavec #ficcoeshumanas




ficções humanas rodapé.gif

Todos os direitos reservados.

Todo conteúdo de não autoria será

devidamente creditado.

  • Facebook - Círculo Branco
  • Twitter - Círculo Branco
  • YouTube - Círculo Branco
  • Instagram - White Circle

O Ficções Humanas é um blog literário sobre fantasia e ficção científica.