• Amanda Barreiro

Resenha: "O Rei Demônio" (Os Sete Reinos #1), de Cinda Williams Chima

Atualizado: 19 de Mai de 2019

Tudo parece desmoronar quando Han rouba um estranho amuleto mágico, proibido desde a época da Cisão. Enquanto isso, a princesa Raisa não se conforma com as futilidades da Corte e rejeita a qualquer custo seus pretendentes. Os dois jovens ainda não sabem, mas são peças de um jogo muito maior do que qualquer um possa imaginar. ​



Sinopse


Aventura, magia, guerra e ambição em uma saga para salvar o Reino de Fells. Os tempos são difíceis na cidade de Fellsmarch, nas montanhas. O jovem Han Alister é capaz de quase qualquer coisa para garantir o sustento da mãe e da irmã, Mari. Ironicamente, a única coisa valiosa que ele possui não pode ser vendida: largos braceletes de prata, marcados com runas, adornam seus pulsos desde que nasceu. São claramente enfeitiçados - cresceram conforme ele crescia, e o rapaz nunca conseguiu tirá-los. Certo dia, depois de uma discussão, Han toma um amuleto de Micah Bayar, filho do Grão Mago, para evitar que o rapaz o usasse contra ele. Han logo descobre que o amuleto tem uma história maldita - ele pertenceu um dia ao Rei Demônio, o mago que quase destruiu o mundo, mil anos antes. Com um artefato mágico tão poderoso em jogo, Han sabe que os Bayar farão de tudo para recuperá-lo. Enquanto isso, Raisa ana’Marianna, princesa herdeira do Reino de Fells, enfrenta suas próprias batalhas. Ela acaba de retornar à corte depois de três anos de relativa liberdade com a família do pai no Campo Demonai. Raisa poderá se casar ao completar 16 anos, mas ela não está muito interessada em trocar sua liberdade por aulas de etiqueta e bailes esnobes. Almeja ser mais que um enfeite, aspira ser como Hanalea, a lendária rainha guerreira que matou o Rei Demônio e salvou o mundo. Mas parece que sua mãe tem outros planos para ela - planos que incluem um pretendente que renega tudo que o reino representa. Os Sete Reinos tremerão quando as vidas de Han e Raisa colidirem nesta série emocionante da autora Cinda Williams Chima.



Aventura Young Adult


O modelo tradicional da literatura fantástica ainda é uma opção muito escolhida por diversos autores por oferecer uma base segura para a escrita, um ambiente já familiar de criação. É justamente esse estilo o atrativo para muitos leitores do gênero, inclusive, com suas aventuras épicas e histórias de guerra e magia. O Rei Demônio é o primeiro livro da quadrilogia Os Sete Reinos e o início de uma jornada jovem, porém sólida e concentrada em seguir os passos dos grandes clássicos.

Exploramos a história a partir dos pontos de vista de Han Allister e da princesa herdeira Raisa ana’Mariana. Inseridos em diferentes realidades, ambos compartilham o reino de Fell, seguem os ditames da Corte e dos clãs, respeitam culturas, tradições e leis que protegem o mundo desde a Cisão, causada pela loucura e pelo poder descontrolado do Rei Demônio, o mago mais temido que já existiu. Tantas características incomuns apenas reforçam todas as diferenças entre os dois personagens: enquanto um vive na mais completa miséria e tenta a todo custo sair da vida marginal de pequenos roubos, lutando pela sobrevivência dia após dia, a outra sequer se dá conta da existência de tamanha pobreza em seu reino.



O contraste entre nobreza e plebe é um clichê muito explorado e um tanto cansativo, na minha opinião. A mocinha com seus problemas de gente rica, pulando de um baile para outro, recusando pretendentes, determinada a viver sua juventude, me deixou realmente entediada em diversos momentos. Espero que Raisa tenha uma evolução melhor nos livros futuros, mas em O Rei Demônio ela mostrou-se uma personagem fraca, sem uma motivação forte o suficiente para me fazer acreditar na ideologia passada pela autora. Aliás, Raisa é tão artificial que mal me parece uma personagem feminina escrita de fato por uma mulher.


Han Allister, por outro lado, tem os trechos mais interessantes e consistentes da narrativa. Apesar de uma óbvia jornada do herói e dos clichês envolvendo essa construção típica do personagem, cabe a ele a parte movimentada da trama, cheia de adrenalina e mistérios. A personalidade de Han é, enfim, muito superior à de Raisa. Atrelada à narrativa de Han está também a cultura dos Sete Reinos, explorada pela autora nos clãs, artefatos mágicos e na magia em si, tornando-se o grande destaque da trama. Muitos elementos contribuem para um enredo mais forte e interessante nos pontos de vista do personagem.

“Os donos da rua passavam o tempo lutando um contra o outro quando deveriam ter enfrentado aqueles que tinham o verdadeiro poder.”

Por falar em worldbuilding, essa é talvez a melhor característica da escrita de Chima. Os Sete Reinos, dos quais, parece-me que por enquanto, só exploramos a fundo o de Fells, mostram um panorama muito bem montado e cheio de detalhes interessantes. O sistema de magia é bom, fácil de compreender e coerente, apesar de bastante simplificado, e a questão política por trás do controle da magia também é bem colocada. A história parece ter uma boa perspectiva para seus quatro livros, se a autora conseguir manter a qualidade da criação de mundo e evoluir seus personagens de forma mais coerente e intrigante.


Problemas à parte, O Rei Demônio é uma fantasia com boa ênfase em aventura e cheia de contornos clássicos, com magos, artífices, curandeiros, guerreiros, mercadores e tudo que adoramos nas grandes histórias. Aos que rejeitam um pouco o toque Young Adult, asseguro que o foco da narrativa definitivamente não é esse, apesar de termos dois protagonistas jovens, com seus dilemas de adolescentes e vidas pessoais atribuladas, pois o enredo construído por Chima é maior do que seus próprios personagens.


“De onde vem isso?, perguntou-se ele. A ideia de que você merece mais do que a sua cota do mundo?”

Apesar de não inovar e repetir clichês do gênero a todo momento, O Rei Demônio é uma boa fantasia, cumpre com o entretenimento prometido e surpreende, até, com um ritmo de leitura gostoso e instigante. Os próximos volumes provavelmente trarão uma aventura ainda maior e mal posso esperar para continuar explorando os Sete Reinos.



Ficha técnica:


Título: O Rei Demônio

Autora: Cinda Williams Chima

Tradução: Ana Resende

Série: Os Sete Reinos vol. 1

Editora: Suma

Número de páginas: 384

Ano de lançamento (no Brasil): 2014

Gênero: Fantasia YA


Livro cedido em parceria com a editora Companhia das Letras


Outros volumes:

A Rainha Exilada vol. 2


Link de compra: https://amzn.to/2Bm6uSH


Tags: #sevenrealms #ossetereinos #oreidemonio #cindawilliamschima #editorasuma #ciadasletras #youngadult #literaturaya #fantasia #leiafantasia #fantasiaya #aventura #worldbuiling




ficções humanas rodapé.gif

Todos os direitos reservados.

Todo conteúdo de não autoria será

devidamente creditado.

  • Facebook - Círculo Branco
  • Twitter - Círculo Branco
  • YouTube - Círculo Branco
  • Instagram - White Circle

O Ficções Humanas é um blog literário sobre fantasia e ficção científica.