• Paulo Vinicius

As Aventuras de Panda e seus Amigos

Na primeira animação que contou com a participação da dupla Isao Takahata e Hayao Miyazaki, vemos as aventuras de uma linda família de pandas. Garanto que eles vão aprontar todas nesta animação.

Sinopse:


Papai Panda e seu filho Pandy fogem do zoológico e encontram uma casa encantadora onde mora Pamela, uma meiga órfã. Papai Panda se oferece para ser seu novo pai e Pamela se oferece para ser a nova mãe de Pandy.




Esta é uma animação que conta com a dupla Isao Takahata e Hayao Miyazaki. Foi uma das primeiras tentativas dos dois de tentarem algo diferente fora de uma grande produtora. Antes da produção de Panda Kopanda (nome em japonês de As Aventuras de Panda), eles faziam parte da equipe que produziu Lupin III na Toei Animation. Quando projeto não deu certo, eles partiram para essa animação.

A animação é composta por dois episódios. No primeiro vemos como Mimiko conhece Panda e o pequeno Panda. A avó precisa ir cuidar dos assuntos de família, pois um parente havia falecido e deixa Mimiko sozinha em casa. A menina perdeu os pais muito nova e aprendeu a se virar sozinha. Mas, para a sua felicidade ela conhece os dois pandas. O primeiro episódio é mais de apresentação e como Mimiko vai se relacionar com os dois e no segundo vemos a chegada de um circo na cidade. Um pequeno tigre foge para a casa de Mimiko e o pequeno panda e o Tigre vivem várias aventuras.

A recepção de Panda Kopanda foi muito positiva no Japão. Trata-se de uma animação voltada para a família com várias mensagens de amizade e companheirismo. Eu até tentei procurar um sentido mais profundo naquilo que foi apresentado por Takahata e Miyazaki já que ambos são famosos por colocar várias críticas na entrelinhas, mas encontrei pouca coisa. A animação ainda é bem simples devido aos poucos recursos que eles dispunham nesse momento. Mas, tudo é feito de uma maneira muito competente. Acredito até que se formos traçar um comparativo com outras animações do mesmo período feito em grandes estúdios, as diferenças não serão tão absurdas. A trilha sonora se enquadra dentro da proposta de mostrar algo mais infantil e até com alguns absurdos.

Por incrível que pareça o DVD de Panda Kopanda chegou aos EUA como um filme individual fazendo parte de uma coletânea voltada para Isao Takahata. No Brasil ele também foi lançado, embora eu não saiba se a animação tenha sido dublada o que eu acho uma pena. Está aí uma falha por se tratar de uma animação mais voltada para o público infantil.


Takahata e Miyazaki gostam de tecer algumas críticas acerca do comportamento do homem em relação à natureza. Aqui não é exceção. Embora bem sutil, a animação faz uma crítica a zoológicos e circos. No primeiro episódio, Panda e bebê Panda fogem do zoo porque se sentem tristes ao ficarem presos lá. Panda quer encontrar um lugar legal onde ele possa comer bambu e os homens do zoo não dão a ele bambus suficientes. Além disso, o fato de ele não ter companhia além da de seu filho também é motivo de tristeza. Quando ele foge e encontra Mimiko ele encontra um motivo para proteger outra pessoa. A convivência com a menina faz da vida de Panda mais feliz. A liberdade que ele conquista também é ressaltada. Não à toa no final do episódio ele permanece com a Mimiko. Já no segundo episódio a crítica é feita mais no final do episódio. Os donos do circo não se importam com os animais e quando acontece uma encrenca (no caso a enchente) eles abandonam os animais à própria sorte. Claro que isso não é algo generalizado, mas eu percebi o que o autor quis dizer: o fato de os circos tratarem seus animais como se fossem apenas meros objetos que pudessem ser substituídos.

Obs: Estou comentando sobre a crítica de Takahata; de forma alguma essa é a minha opinião.

A animação é repleta de situações completamente nonsense. Por exemplo, Mimiko adora plantar bananeira; Panda e pequeno Panda falam, mas todos os outros animais não. Claramente é uma animação voltada para um público específico, mas me divertiu o completo nonsense dos autores. Ao que me parece, Takahata se baseou na história de Pippi Meialonga, uma personagem de uma história sueca para o qual ele criou Mimiko. A dupla teve que ir até a Suécia pedir autorização para usar essas características nos personagens. E a ideia por trás do Panda vai ser aproveitada posteriormente em animações como Meu Vizinho Totoro. E realmente a concepção é muito parecida.

Certamente eu passaria essa animação para os meus filhos (quando eu os tiver). Panda Kopanda trata da amizade forjada entre humanos e animais através de uma necessidade de ambos por companhia. A animação e a trilha sonora são bem simples muito por causa da falta de recursos ao partir para uma produtora independente. Os autores fazem uma clara crítica à forma como o homem se relaciona com os animais e, principalmente, a circos e zoos. Quero pedir desculpas pelo fato de não ser possível extrair mais coisas da animação. Eu bem procurei, mas Takahata simplificou bastante a história, de forma a alcançar um público maior.

P.S.: Esse panda tem um riso de psicopata que me assusta...

Ficha Técnica:


Nome: As Aventuras de Panda e seus Amigos

Diretor: Isao Takahata

Produtor: Shunzo Kato

Roteirista: Hayao Miyazaki

Estúdio: Tokyo Movie Shinsha/A Productions

País de Origem: Japão

Tempo de Duração: 33 min + 38 min (são dois curtas)

Ano de Lançamento: 1972/1973


Tags: #asaventurasdepandaeseusamigos #hayapmiyazaki #isaotakahata #tokyomovieshinsha #panda #familia #aventuras #comedia #circo #nonsense #ficcoeshumanas






ficções humanas rodapé.gif

Todos os direitos reservados.

Todo conteúdo de não autoria será

devidamente creditado.

  • Facebook - Círculo Branco
  • Twitter - Círculo Branco
  • YouTube - Círculo Branco
  • Instagram - White Circle

O Ficções Humanas é um blog literário sobre fantasia e ficção científica.