• Paulo Vinicius

Yuru Camp: o anime good vibes

Um grupo de garotas que se reúnem para acampar. Pode parecer um tema chato, mas se tornou uma das sensações dos últimos anos. Venham conhecer estas garotas incríveis e o cotidiano desse clube diferente.



Sempre procuro alguma coisa nova e empolgante nessa internet da vida. Aquele anime de conspiração repleto de reviravoltas, ou o shounen de lutinha da vez. Mas, às vezes, a gente só quer dar uma relaxada e curtir algo descompromissado. Animes de cotidiano (os slice of life) servem para isso. Apresentando histórias divertidas e empolgantes, são narrativas para fazer a gente se esquecer dos problemas de vez em quando e curtir energias positivas. Apesar de que existem alguns desse tipo bem tensos. Mas, desde que eu comecei a assistir animes (há uns vinte anos pelo menos) nunca tinha visto nada tão relax e bacana quanto Yuru Camp. É uma daquelas histórias despretensiosas que aparecem uma vez a cada década. Acho que nem a autora esperava que fizesse tanto sucesso. E essa animação, mesmo sendo bem peculiar, alcançou uma grande audiência e ganhou uma segunda temporada que consegue estar tão divertida (ou mais até) do que a primeira. Mas, o que é Yuru Camp?


Yuru Camp, ou Laid-Back Camp, é uma animação baseada no mangá de mesmo nome escrito pela Afro. Até o presente momento o mangá contém 11 volumes e continua em publicação regularmente desde 2015 na Manga-Time Kirara Forward. Nos EUA, o mangá vem sendo publicado pela Yen Press, com 9 volumes publicados até o momento. A adaptação conta com duas temporadas de 12 episódios cada e 3 OVAs e gerou um spin-off chamado Heya Camp que é um anime com pequenas cenas de poucos minutos com as personagens da série. Tem também um live-action com uma temporada completa com doze episódios e uma segunda planejada para começar em abril de 2021. Afro, a criadora do mangá, diz ter ficado surpresa com a boa aceitação do público. Tanto que a primeira temporada da animação foi feita com baixo orçamento pelo estúdio C-Station que nem é tão conhecido assim. Mas, a equipe de produção entregou um produto bastante competente. A segunda temporada parece ter tido um orçamento maior já que a animação conta com um bom mix de animação 2D e tomadas em 3D.


Nadeshiko, uma garota alegre e energética, chega a sua nova escola e sai atrás de um clube novo para se dedicar. No meio do caminho ela faz amizade com Rin, uma menina quieta, porém simpática. Depois de muito procurarem elas encontram uma sala no formato de um corredor pequeno com vários nichos e objetos diferentes lá. Ao entrar na sala do "clube" elas conhecem Ogaki e Aoi, as outras duas integrantes do clube. Elas explicam que o clube é para atividades externas e não há necessidade de ter uma sala grande. Ogaki e Aoi curtem acampar nas horas livres. É o começo de uma grande amizade entre as quatro meninas. A supervisora do clube é a professora Minami que no começo não quer saber muito de acampar, mas aos poucos vai sendo conquistada pelas atividades ao ar livre. Durante a primeira temporada, Nadeshiko vai sendo apresentada aos prazeres de acampar: desde escolher o lugar, até montar o acampamento e curtir alguns dias com as amigas.


Um dos pontos altos da animação é a trilha sonora. Okay, é aquela música para fazer você relaxar e dormir, mas esse é o objetivo da série (não fazer você dormir, é claro rsrsrs). As músicas combinam bem com o estilo reflexivo e meditativo da série. Alguns momentos divertidos, mas na maior parte do tempo mais calmas e compassadas. A animação também é bem feita. Eles partiram de lugares reais para montar as cenas e souberam trabalhar nas cores e nos efeitos. Os cenários abertos são realmente bonitos. Na segunda temporada, o estúdio mesclou elementos em CG o que deu um efeito ainda melhor. Isto é feito com sutileza sem carregar demais nas animações, o que dá um efeito de harmonia. As personagens também são bastante expressivas, ajudando o espectador a sentir mais empatia por elas.



Falando um pouco sobre as personagens, começo pela Nadeshiko. Sem dúvida alguma ela rouba a cena na primeira temporada com sua felicidade e energia. Ela serve como um personagem-orelha, nos apresentando o que é uma viagem de camping, como se faz, quais as precauções. A personagem acaba servindo como ponto de ligação entre todas as outras. Principalmente incorporando Rin que é avessa a entrar em clubes. Uma coisa legal da Nadeshiko é a inocência dela em relação às coisas. Um plot simples da personagem é quando ela se encanta por um acendedor a gás estiloso na loja de camping. A partir dessa vontade dela, ela vai fazer todos os esforços para conseguir comprar o acendedor. São plots simples como esse que são a graça do anime. Na segunda temporada temos uma Nadeshiko mais responsável, embora ainda muita divertida tentando alcançar diversos objetivos diferentes.


Já a Rin é uma personagem que já conhecia a ideia de camping porque seu avô a introduziu à atividade. Só que ela curte acampar sozinha, não gostando de fazer isso em grupo. Ela tem uma postura contemplativa sobre o que ela faz. Durante suas viagens, um de seus passatempos é passear pelos lugares aproveitando o cenário e as comidas locais. Como ela se habituou a acampar sozinha, Rin é bastante independente e tem um vasto conhecimento sobre atividades ao ar livre. Ao longo da primeira temporada, Nadeshiko tenta convencer Rin que acampar com um grupo consegue ser tão divertido quanto fazer sozinho. E o mais legal é a série não recriminar esse comportamento. A autora coloca apenas que são formas diferentes de se aproveitar a atividade de camping. Isso até gera um pequeno plot na segunda temporada. Outro dos plots pequenos e divertidos é o da Rin lutando para tirar sua carteira de motorista e comprar uma lambreta.


Ogaki e Inuyama acabam não sendo muito dissociadas uma da outra. Tem características distintas, mas ainda não vimos a série trabalhando-as individualmente. Ogaki é a presidente do clube. Atrapalhada e cheia de manias, é uma das personagens mais divertidas da série. Ela é quem apresenta as atividades de camping para a Nadeshiko, ao lado da Rin. Ela tem um trabalho em uma loja de artigos esportivos, o que garante dinheiro para ela conseguir comprar equipamentos de camping. Inuyama é uma personagem mais quietinha, porém amigável. Com uma paixão por animais, ela é a prática da turma. Também conhece bastante sobre como preparar alimentos durante o acampamento. Inuyama funciona como um contraponto à maluquinha da Ogaki.



Outras personagens entram no decorrer da trama. A supervisora do clube começa a fazer cada vez mais parte das atividades. Ela que curte um saquê e relaxar, passa a gostar de passar tempo ao lado das meninas. A melhor amiga da Rin, Ena, é convidada a fazer parte do grupo. Ela vem junto do seu cachorrinho que é uma fofura. Enfim, a série vai trabalhando todas essas personalidades que vivem suas vidas ao mesmo tempo em que se dedicam a um hobby divertido que ocupa os seus momentos de folga. A primeira temporada é mais focada na Nadeshiko, mas a partir da segunda vemos que a direção está mais solta e explora outras personagens como episódios focados na Rin, ou na irmã da Nadeshiko. Elas passam a tomar as atividades com mais tranquilidade e investem em verdadeiras excursões. A série começa devagar, mas o espectador acaba se acostumando com o ritmo dela. Estou torcendo por uma nova renovação de temporada da série porque ela me proporciona alguns dos meus melhores momentos durante a semana.



0 comentário