• Paulo Vinicius

Resenha: "O Último Jogo" de Rodrigo van Kampen

Seis amigos, companheiros de infância, tem em um campinho de infância lembranças inesquecíveis. Boleiro, Remela, Cabeça, Gordo, Esquisito. Um dia uma árvore aparece no meio do campinho e ela parece que vai atrapalhar o jogo dos meninos. Mas, um último jogo contra os bichos-papões pode ser a solução.


Visão de duas pernas de um menino usando chinelos chutando uma bola em um campo de terra batida. A imagem aparece borrada

Sinopse:


Conto de fantasia de Rodrigo van Kampen que faz parte da antologia Futebol: Histórias fantásticas de glória, paixão e vitórias. Bater aquela pelada todo dia depois da escola. Imaginar-se um grande craque do Barcelona, do Santos, da Seleção. A vida era leve e sem preocupações para os moleques da vizinhança, até uma árvore nascer da noite para o dia bem no meio do campinho. Ninguém parece percebê-la além dos garotos. Para resolver o mistério, eles terão de jogar aquela que talvez seja a última pelada de suas vidas.





Essa vai ser uma resenha que eu vou escrever muito mais no sentimento do que como avaliador propriamente dito. Poucas vezes um conto ressoou tanto comigo como este. Isto porque eu tive um grupinho de futebol exatamente como o descrito pelo Rodrigo. Só que jogávamos em um playground de um condomínio. E aquele foi o nosso mundo durante vários anos de nossa adolescência e início da fase adulta. Jogos históricos aconteceram ali. Rivalidades mágicas surgiram. Craques vieram e passaram. Todos tínhamos apelidos toscos como Nicolete, Leitão, Parede, Rochinha.


A narrativa do Rodrigo conseguiu criar essa conexão comigo. Eu lia as páginas e imaginava as cenas da minha própria história. Impossível não me emocionar com cenas da minha própria adolescência. E o quanto o mesmo aconteceu comigo depois do último jogo: todos crescemos e cada um foi para seu canto. Até tentamos manter contato, mas a vida acaba desfazendo os laços de amizade. Esse sentimento de nostalgia fica marcado no peito. Ele é amplamente explorado pelo autor na narrativa. A gente sente que o autor coloca um pouco de si nas linhas. A escolha da narrativa em primeira pessoa é perfeita para isso porque ela é a melhor condutora para uma história mais íntima.


O elemento sobrenatural está presente e de uma maneira bastante divertida. Não soou estranho e nem um pouco forçado. Até porque o tema da história não eram os monstros jogando futebol, mas a relação dos seis meninos com o campinho de futebol. Como a vida deles, a sua existência até ali era demarcada por aquela pequena bolha de realidade. O último jogo veio cercado de magia e aquele sentimento de ápice e cansaço que gerariam a linha de chegada antes do declínio. Gostei demais desse conto e essa é uma daquelas histórias que eu vou carregar para a vida e vai estar entre os melhores do ano para mim. Rodrigo, seu filho da mãe, só você para me fazer chorar lendo uma história...










Capa de O Último Jogo

Ficha Técnica:


Nome: O Último Jogo

Autor: Rodrigo van Kampen

Editora: Draco

Número de Páginas: 15

Ano de Publicação: 2016


Avaliação:

Link de compra:

https://amzn.to/3kWl6Or









Assinatura Paulo Vinicius - Frase: "Isto é o que você deve se lembrar: o fim de uma história é apenas o começo de outra."