• Paulo Vinicius

O que eu curti e o que eu abandonei na temporada de animes de julho de 2021

Uma temporada mais morna do que a passada, mas com bastante surpresas esperando os espectadores. E será que foi só eu que percebi ou estamos na moda dos animes sobre pessoas com poderes psíquicos?



Aqui estou eu de volta com essa coluna que eu estreei lá na temporada de abril. Bem, a coluna ainda não tem nome. Aceito sugestões, viu!


Essa temporada de julho tem sido um pouco menos emocionante de abril que tinha vários animes muito bons. A qualidade estava lá no topo e montar uma lista com cinco melhores foi bem complicado. Geralmente incluo nesse top5 aqueles animes que assim que saem, costumo parar para assistir. E eu tinha vários (inclusive um que está na minha lista atual, mas acabou perdendo aquele brilho para mim). Não contabilizei quantos assisto na coluna passada, mas agora posso dizer que assisto ao todo, no momento, 19 animes sendo que onze deles estrearam em julho. Ou seja tem oito continuações aí que não vão entrar na lista. Meu top 5 vai ser de inéditos até porque acredito que se você está assistindo uma continuação é porque a história já te conquistou de alguma forma. Outro anime que vou deixar de fora é Kaizoku no Oujo (ou Fena, The Pirate Princess) porque estreou agora em meados de agosto e não consegui sentir bem a pegada da história. Enquanto outros eu já assisti a seis ou sete episódios, comparar um que assisti só a dois (ainda não assisti o terceiro que saiu essa semana) não é justo.


Acredito que algumas pessoas que me conhecem vão se surpreender com as minhas escolhas dessa temporada.


1 - Kageki Shoujo



Comentários: E aqui está a minha animação favorita da temporada. Sim, parece bizarro mas Kageki Shoujo é viciante. E é uma história boba, bem slice of life mesmo. Mas a trama em si envolve uma trupe de garotas que acabam de entrar para a Kouka High School, uma escola famosa por só aceitar garotas para peças teatrais. Na Kouka, as alunas representam papéis masculinos e femininos e apresentam peças a cada estação. Dentro dessa escola se formam as melhores atrizes de teatro do Japão. Temos um par de protagonistas sendo uma delas Sarasa Watanabe sempre quis ser uma atriz do teatro kabuki, mas um acontecimento trágico em sua infância a afasta dos palcos. Sarasa é uma garota talentosa e sua altura chama a atenção além de sua infinita energia. Seu sonho é interpretar Lady Oscar no palco da Kouka. Ai Warase é a outra protagonista e ela foi uma idol durante a adolescência. Por conta de abusos sofridos em casa, ela se tornou uma pessoa que não consegue expressar emoções e sente medo de estar com homens. Ir para a Kouka é uma forma de se esconder e tentar superar seus medos.


O anime é ágil e mesmo Sarasa sendo uma versão da Usagi Tsukino (de Sailor Moon) com aquele estilo atrapalhado e divertido, a personagem é cativante. Nos momentos em que ela precisa mostrar talento, todos percebem que ela tem algo de especial. Os problemas de Ai são apenas um dos assuntos sérios tratados no anime, como bulimia, assédio moral e outros. Não se deixem enganar pelo aspecto colorido e alegre da animação porque não é tudo o que tem ali. Conhecemos também um pouco sobre o mundo do teatro no Japão que pode surpreender a muitas pessoas. A animação é do estúdio Pine Jam e como se trata de um slice of life mais focado nas personagens, não precisa ser espetacular e nem compromete muito.


2 - Scarlet Nexus



Comentários: Se não tivesse Kageki Shoujo, Scarlet Nexus seria a minha escolha como melhor da temporada. Tem algumas animações e momentos estranhos? Tem. Mas, como esse anime é bem feito. E tem uma narrativa misteriosa que sempre traz o espectador de volta para o episódio seguinte. Entre Night Head e Scarlet Nexus, teoricamente o primeiro se sairia melhor no aspecto técnico, mas os personagens e a trama entregam bem. E pensar que o anime é baseado em um game que já saiu para PS5 e Xbox (Sunrise, cadê a versão do Switch, hein??). Normalmente animações baseadas em games não costumam ser legais, mas essa é a segunda vez esse ano que sou surpreendido pelo contrário (Hortensia Saga foi o outro). A animação é da Sunrise.


A história se passa em um futuro próximo quando organismos chamados os Outros passam a se alimentar das pessoas. Nesse futuro, a maior parte da população é capaz de usar poderes psíquicos até um certo nível. Tudo é feito através da mente, desde transações bancárias, acessar a rede de computadores, assistir TV ou até sinalizações na rua. Aqueles que possuem poderes marcantes são convocados a fazer parte de uma força de defesa para lidar com os Outros. Yuito Sumeragi é filho do presidente e seu irmão ocupa um cargo chave nas forças de defesa. Muito é esperado de Yuito, mas seu talento psíquico é bem mediano sendo ele capaz apenas de usar uma telecinese de baixo contato, sendo empregada para manipular suas duas katanas à distância ou arremessar alguns tipos de objetos. Ao entrar para as Forças de Supressão, ele conhece Kasane Randall, uma garota que possui quase os mesmos poderes que ele, mas que lhe faz lembrar de uma garota que o salvou no passado.


3 - Night Head 2041



Comentários: Tecnicamente Night Head 2041 só fica atrás de Kaizoku Oujo. Uma daquelas animações de tirar o chapéu e só ficar curtindo o visual o tempo todo. Mas, a animação não é só isso e possui uma história muito boa em uma sociedade distópica futurista. Aparentemente temos duas narrativas acontecendo com núcleos de personagens distintos que volta e meia se cruzam por algum motivo. Só que não sei porque mas Night Head não foi capaz de me cativar completamente. Sabe quando você se sente que falta alguma coisa? Sempre curto quando vou assistir um episódio, mas não é aquele anime que volto imediatamente para assistir. O design de personagens me incomodou só um pouquinho porque me pareceu que o autor quis fazer todos serem cool demais (D_Cide Traumerei sofre do mesmo problema). Meu destaque vai para o uso fantástico do CGI que acho que em seis episódios só em um momento me incomodou um pouquinho. O visual cyberpunk da cidade também é incrível. Night Head foi produzido pelo estúdio Shirogumi.


O mundo acaba de sair de uma Terceira Guerra Mundial que abalou totalmente as estruturas sociais. Em prol de uma sociedade mais eficiente, alguns elementos culturais foram eliminados e aqueles que insistem em replicá-los são presos pelas forças de segurança. Ou seja, acreditar em uma religião é considerado uma violação das regras locais. Até mesmo ler um livro de fantasia pode levar uma pessoa a acreditar em algo irracional. Ou seja, imaginem uma sociedade que leva o racionalismo à sua última potência. Naoya e Naoto Kirihara finalmente obtém sua liberdade após anos sendo mantidos em cativeiro. Eles foram entregues por seus pais, ainda pequenos, a uma instituição porque eles haviam manifestado poderes psíquicos que poderiam ser potencialmente perigosos. Mas, em uma sociedade de alto controle como a atual, parece que os irmãos Kirihara parecem sempre estar no lugar errado e na hora errada. E eles acabam sendo perseguidos por Yuya e Takura Kuroki que fazem parte das forças especiais. Os quatro parecem ter uma estranha e inexplicável conexão.


4 - Shiroi Suna no Aquatope



Comentários: Em todas as temporadas de anime, sempre busco aquele anime que é o meu mundinho feliz e vibrante da temporada. Quando posso escutar músicas relaxantes e nada violento acontece. Aquele slice of life que lembra Yuru Camp ou Super Cub e você só relaxa. Desde que Aquatope foi anunciado, sabia que essa seria a escolha da temporada. Tanto que fiquei ansioso para que a PA Works, o estúdio que produziu o anime, divulgasse logo a data de estreia. Para quem não conhece, o PA Works é famoso por esse tipo de animação sendo que Shirobako (slice of life sobre um estúdio de animação) e Hanasaku Iroha (slice of life sobre uma pensão que fica em uma mansão japonesa antiga) são meus animes favoritos desse estúdio. E até que curti a qualidade da animação de Aquatope com fluidez e cores vibrantes ocupando a tela.


A história é um slice of life (é claro) sobre uma garota chamada Kukuru Misakino que é neta do dono de um aquário chamado Gama Gama. Eles moram em uma pequena cidade em Hokkaido e o aquário está passando por maus bocados. Os visitantes não estão vindo em quantidade e as finanças estão uma completa bagunça. O avô de Kukuru pretende fechar o Gama Gama no final do verão já que sua saúde não é mais a mesma e ele prefere passar dias tranquilos ao lado de sua família. Mas, Kukuru ama o Gama Gama e está fazendo de tudo para salvar o lugar. Seu avô deixa ela ser diretora interina do aquário até o final do verão. Fuuka Miyazawa está saindo de Tokyo triste e abalada com o fim de seu sonho de se tornar uma idol. Depois de muito esforço e tentativas, ela não consegue mais seguir em frente. Seu lugar como vocalista foi tomada por uma amiga sua, após ela ceder seu lugar a ela. Ao voltar para casa, Fuuka decide ir para Hokkaido em um impulso já que ela sempre gostou do mar. É aí que as vidas de Kukuru e Fuuka se encontram e a ex-idol decide trabalhar no aquário.


5 - Deatte 5-byou de Battle


Comentários: Se tem o meu slice of life favorito da temporada, tem que ter também o meu bicho estranho da temporada (meu querido odd ball). Aquele anime que é bizarro, esquisito e você não faz ideia do por que assiste, mas sempre volta na semana seguinte para continuar o masoquismo. Odd Taxi foi surpreendentemente legal, mas esse não sei o que pensar. Só sei que a história é maluca com personagens colocados em um battle royale completamente sem noção e algumas pessoas com poderes estranhos. Sério, o autor pesou a mão nos poderes estranhos. Só para vocês terem uma ideia de alguns: o protagonista tem um poder no qual ele tem qualquer poder que ele quiser desde que a outra pessoa acredite que ele tem, tem outro personagem que é capaz de ficar invencível por 5 segundos, a personagem que dispara armas mortais a partir de seus fluidos corpóreos, e o nerd que possui um escudo contra qualquer disparo energético. Parece ser uma história clichê com um personagem apelão, mas só tem um probleminha: o protagonista é um maldito miserável que você não torce por ele. E sabe blefar como poucos.


Akira Shiroyanagi é um garoto inteligente e introvertido que não vê graça em sua vida. Ele deseja emoção, ser capaz de colocar sua vida em jogo e sentir algo mais. Um dia ele se vê levado a um lugar estranho onde ele acorda algemado. Uma criatura chamada Mion reuniu pessoas de todos os tipos nesse lugar e decidiu realizar jogos colocando a vida das pessoas em jogo. Cada um que foi capturado recebeu um poder especial qualquer que é revelado dentro de sua cela. Agora eles precisam participar de vários jogos. O objetivo? Sair vivo.









Posts recentes

Ver tudo