• Paulo Vinicius

Diários de Quarentena: Adriana Alves (parte 3)

O que fazer quando entramos naquele período da quarentena em que não sabemos mais o que fazer? Como encontrar diversão nesses tempos insanos. Essa vai ser a busca da Adriana na terceira parte do seu diário em que ela vai tentar dar sentido às coisas.



Playlist das postagens da Adriana:


Parte 1 (publicada em 24/10)

Parte 2 (publicado em 01/11)

Parte 4 (publicado em 05/12)



________________________________________________________________________


25/05/2020

DIÁRIOS DE QUARENTENA, DIA 21:

Hey, acho que já estamos três meses de quarentena, certo? Sinto que depois que isso tudo passar, irei precisar fazer uma terapia para um vício sério que me tomou nesse tempo; o de assistir séries e ler livros! Acho que vou criar um grupo de apoio "VSL", uma sigla para Viciados em Séries e Livros", e pode parecer engraçado (na verdade é mesmo), mas não consigo parar fazê-lo. Quando não estou assistindo ou lendo, estou pensando na próxima coisa que irei ler e assistir, até mesmo nas minhas horas de sono, sonho com essas coisas! Minha cabeça está uma loucura mesmo.

- Olá, me chamo Adriana Alves, tenho dezoito anos e sou viciada em assistir séries e ler livros.

- Estamos com você, Adriana. - Todos em uníssono.

Viu só? Nem preciso dizer mais nada. E coloquei dezoito anos porque dada a minha data de aniversário, provavelmente terei dezoito quando a pandemia acabar.

Enfim, deixando toda essa situação de lado, vamos ao meu dia: com certeza estive assistindo série durante toda a manhã e tarde também. Quando se tem três crianças em casa, é complicado fazer qualquer coisa em paz, mas além delas, temos três adultos também, então nos viramos. Às vezes, minha irmã cuida das crianças na sala enquanto eu assisto ou leio algo, e depois nós trocamos para que ela possa fazer o que quiser também. Funciona bem.

Não me lembro de ter feito nada diferente hoje, além de procurar a tampa do meu fone pela casa inteira. Não sei o que há comigo e esses fones semanais, mas é complicado. Uma vez, comprei um no sábado e no domingo ele não estava mais funcionando, sem chance de troca. Antes da quarentena começar, pedi a minha mãe que comprasse um, já que o meu tinha ficado ruim, mas esse também se foi. Pelo menos ele durou três meses, um recorde para mim. No sábado, quando fui no mercado com minha mãe, a convenci de comprar outro para mim, mas como estragar fones é minha sina, perdi a tampinha do lado esquerdo no domingo e não faço ideia de como o fiz. Parece que o objeto foi sugado pelo chão, ou algo assim. Cheguei a conclusão de que minhas relações com fones de ouvido são muito complicadas.

Esse foi o resumo do meu dia. Realmente espero poder encontrar essa coisa, antes que eu acabe destruindo meu fone inteiro. Laters baby!

Ass: Adriana Alves.



26/05/2020

DIÁRIOS DE QUARENTENA, DIA 22:

Olá! Hoje foi um dia bem frio, e apesar do sol ter aparecido um pouco, ele não estava tão quente. Sabe, sempre tem alguém que pergunta: você prefere frio ou calor? Geralmente eu sou a pessoa que pergunta, na verdade, mas quando me perguntam de volta, não sei bem como responder. Normalmente digo: calor, porque quando estamos com muito calor, tomamos banho, ou bebemos algo gelado e conseguimos ficar bem por um tempo, até que estejamos queimando novamente, e eu posso usar shorts, já que não gosto de vestir calças. Já no frio, por mais que você coloque muitas roupas, ou se cubra com várias cobertas, uma pequena entrada de ar faz com que seu corpo se arrepie rapidamente. É como se nunca conseguíssemos ficar quentes o suficiente. Mas na minha cabeça o que se passa é: não gosto de muito calor e nem de muito frio, um equilíbrio entre os dois é perfeito, mas é bem difícil obter um equilíbrio entre eles. Nosso estado é muito extremo; ou está frio demais, ou está calor demais. Cadê o meio termo?! Para mim, a melhor parte da chegada do inverno, são as roupas maravilhosas que posso estrear, quer dizer, agora nem isso. Estou me contentando com meus casacos e calças de ficar em casa, e podem ter certeza, não há nada de especial neles.

Cortando minhas divagações, mais cedo, coloquei Moana para as crianças assistirem na TV hoje. Essa foi minha animação favorita da Disney por um longo tempo em 2018. Achei muito interessante o fato do filme mostrar uma cultura tão diferente, já que o ponto principal do filme, além dele todo, nos mostra uma crença tão bonita e importante para as pessoas de um determinado lugar. Além de todas as músicas que eu e as crianças adoramos.

Eu, como a boa "geek" que sou, hoje, voltei a ler as HQs da Supergirl e a história é tão diferente da série! Com certeza gostei mais da série, pois tem muito mais detalhes e coisas diferentes que fazem com que a história seja boa, mas confesso que há coisas nas HQs que seriam perfeitas para alavancar a série. Não entendo porque a CW fugiu tanto da história original, já que mesmo não sendo tão interessante quanto a série, a história das revistas com alguns ajustes, faria, na minha opinião, um grande sucesso. Acho que o foco deles é mais com o dinheiro mesmo. É como se reescrever a história fizesse com que as chances de aumentar o lucro fossem bem maiores, já que é algo diferente do já vimos. Aprecio o trabalho deles, no entanto.

Me pergunto, às vezes, como consigo estar tão cansada antes das 11h da noite, se não faço praticamente nada o dia inteiro. Se pudesse, eu ficaria até o meu limite de sono assistindo ou lendo coisas que me deixam ansiosas na hora de dormir, para que eu não precise ficar ansiosa, já que saberia o que aconteceu, mas simplesmente não consigo. Se fico acordada até muito tarde, além de ter dificuldades para dormir depois, acabo ficando muito cansada o dia inteiro, já que não consigo dormir até tarde e muito menos de tarde. Acho que tenho que apenas que aceitar que sou "molenga" quando se trata de dormir. Estou me sentindo muito menos preguiçosa que o normal, falando nisso, e acho meio assustador. Nossa, eu poderia escrever um romance com todo esse drama que faço, haha!

Até mais!

Ass: Adriana Alves.

28/05/2020

DIÁRIOS QUARENTENA, DIA 23 E 24:

Hey! Já vou logo começar me justificando por não ter escrito aqui ontem, eu dormi cedo demais, mesmo estando animada para escrever sobre um filme muito especial que assisti ontem com as crianças, além de ter sido aniversário da minha irmã.

Bom vou começar pelo aniversário, ontem minha irmã mais velha fez 21 anos e ainda é estranho pensar que ela já avançou tanto de idade, porque ela é apenas três anos mais velha que eu, então me lembro perfeitamente da época que costumávamos brincar juntas, de bonecas e de várias outras coisas. Sinto que ela mudou muito com o passar dos anos, na verdade, é bem notável o quanto ela mudou, mas nossa relação continua boa e eu fico feliz com isso. Não consigo me imaginar tendo relações ruins com nenhum dos meus irmãos, pois sempre fomos muito unidos, mesmo não sendo uma família muito carinhosa. Então acho que o dia de aniversário dela foi bom junto conosco, apesar da pandemia.

E quanto ao filme "especial" que citei, foi Frozen. Fala sério, a história daquele filme é incrível e o filme todo tem um design muito lindo. É encantador todos aqueles efeitos. Me lembro que ele lançou quando eu tinha dez anos e já naquela época, fiquei deslumbrada com tudo, praticamente todas as crianças no mundo ficaram e até hoje ficam. É um pouco estranho observar que as crianças de hoje gostam tanto de uma animação que foi lançada há sete anos. Esse realmente foi um trabalho notável da Disney. Eu, particularmente, gosto de todos eles. Animações são, definitivamente, a minha coisa! Depois disso, estive fazendo trabalhos da escola e lendo algumas coisas.

Já hoje, assisti Batman vs Superman e finalmente pude entender do que o filme se tratava. Em 2016, quando ele foi lançado, eu o assisti no cinema ao invés de Zootopia, por insistência da minha irmã e não entendi absolutamente nada. Ainda não tinha conhecimentos sobre super-heróis naquela época, sequer gostava deles, então aquele filme não foi nada interessante para mim, nem me lembrava das cenas, pois acho que não estava prestando atenção. Hoje, no entanto, pude entender toda a história e ver o quão ela faz sentido. Até vi que a maravilhosa Diana Prince, vulgo Mulher-Maravilha está presente nele. Fico feliz por ter o assistido novamente.

Além disso, continuei a ler as HQs da Supergirl e terminei hoje. As histórias são muito boas, apesar da jogada deles de nos fazerem ler outras revistas (o que eu não fiz), para entender certos pontos. As séries que assisto também tem isso. Como tem sempre um crossover anual, nós temos que assistir pelo menos as partes em que os outros super-heróis aparecem, se não, não conseguiremos entender em que parte o personagem chegou a tal ponto. É uma jogada muito inteligente, confesso.

Por enquanto, só tenho isso a dizer. Sejam bons e até mais!

Ass: Adriana Alves.

29/05/2020

DIÁRIOS DE QUARENTENA, DIA 25:

Eu nem sei mais o que escrever aqui, parece que meus dias nunca são interessantes o suficiente e meus pensamentos são momentâneos, então vêm outros e outros e, no fim, não consigo reproduzir metade deles na minha escrita. Acho que é isso que me acontece quando escrevo alguma história; por mais que eu esteja animada, aquilo acaba se tornando cansativo para mim e quando vou ver, não consigo escrever mais nada, preciso mudar para um tópico novo. Porém, isso não se encaixa aqui. Estive escrevendo sobre mim desde o começo, apesar das diversas divagações e acho importante manter esse compromisso. Acho que se estivesse saindo, vivendo (não sobrevivendo como estamos fazendo) e socializando, teria muito mais coisas para contar. Minha vida não é a mais interessante do mundo, mas com as histórias que arrumo, consigo prender alguém por um longo tempo.

Falando em socializar, tive uma discussão muito estressante hoje com meu amigo Juan. Ele, como sempre, estava fazendo piadas com assuntos importantes e eu, como sempre, o repreendi por isso, mas ele não sabia o momento de parar e isso me irritou profundamente. Estávamos conversando sobre violência doméstica, um assunto absurdamente importante na atualidade. Todas essas mulheres que sofrem todos os dias e aquelas que chegaram há um ponto de nunca poder ter um final feliz, elas merecem respeito e merecem ser ouvidas. Todo o momento em que eu explicava e ele ria, só passava pela minha cabeça a seguinte frase: é assim que tudo começa. Juan é novo demais para entender a importância de toda essa situação que expliquei para ele hoje, pontuando o tanto de mortes que os homens causam as mulheres e que o número é tão absurdo, que este tipo de ato ganhou o próprio nome: Feminicídio. Isso me deixou tão chateada, que até mesmo pesquisei gráficos e relatos na internet e mandei para ele ver. Ele precisa estar consciente disso, precisa ser melhor que isso.

Além de tudo isso, tive um longo tempo conversando com fãs da Supergirl via WhatsApp e essas meninas e alguns poucos meninos, são uma loucura. Eu achava que já tinha visto todo o tipo de briga por artistas pelo Twitter e os fandoms que participei, mas esse é, sem dúvidas, o mais problemático. E por incrível que pareça, não me meto no meio dessas discussões. Se alguém pedir minha opinião, dou de bom grado, mas na maior parte do tempo, estou apenas rindo e me perguntando como eles conseguem levar todas essas brigas sem sentido a sério. Agora, com o que estamos passando, ficamos com mais tempo livre para pensar em vários tipos de argumentos para brigar por casais de série no Twitter, ao invés de apoiar os nossos artistas. É sem noção, mas é divertido, pelo menos para mim, que não estou no meio.

Finalizei meu dia assistindo a série ODAAT, sim, isso foi uma sigla, porque o nome da série é muito grande e já citei ela por aqui antes e descobrindo que minha minha tia está grávida. Vamos ter um novo membro na família!

Ass: Adriana Alves.

30/05/2020

DIÁRIOS DE QUARENTENA, DIA 26:

Nossa, nós já estamos no final de maio! Eu estava pensando sobre tudo isso que está acontecendo no mundo e é algo que nunca passou por minha cabeça. É claro que houve outras doenças antes, doenças graves que mataram diversas pessoas, mas nunca cheguei a pensar que isso aconteceria durante minha geração. Ainda é meio surreal todas essas mortes acontecendo, todas essas pessoas de máscaras e presas em casa com medo de ser a próxima vítima da doença. Acho que muitos de nós não esperava que isso pudesse acontecer de novo.

Hoje é um sábado, como sempre muito diferente do que seria um sábado antes da pandemia. Não fiz muitas coisas interessantes, como sempre assistindo séries. Tive um único acontecimento que considerei realmente diferente em meu dia, que foi uma longa conversa/discussão com a filha da minha vizinha, aquela que costumava ser minha melhor amiga, mas nunca foi completamente sincera comigo.

Confesso que quando lembro de nosso tempo de amizade, sinto saudades, mas é algo que sei que não posso ter de novo porque sei que não é confiável, por mais que ela insista às vezes. Me lembro que ela vinha em minha casa e eu colocava videoclipes na TV, nós fazíamos diversas danças e cantávamos muito; são dessas partes que sinto falta. No fundo, sei que a família dela nunca gostou de mim realmente, mesmo que alguns deles ainda falem comigo hoje em dia, e isso fez com que eu não gostasse da maioria deles também, afinal, é meio difícil gostar de alguém que te julga por ser quem você é, algo que você não pode mudar e nem quer.

Enfim, a discussão toda foi via WhatsApp, e depois de conversarmos, chegamos a um acordo, acho que ficaremos bem com isso. Como eu já disse antes, só quero ter um pouco de paz.

Não me lembro de ter lido muito hoje, mas mergulhei fundo no universo de HQs da DC Comics. Não, eu não li elas, mas fiz uma profunda pesquisa sobre todos os tipos de histórias que eles escrevem e foi animador saber o tanto de coisas que ainda tenho para descobrir nessas histórias.

Resumindo o meu dia, foi isso que aconteceu. Fico feliz por ter conseguido algum sucesso nessa briga de anos e agradeço por estar bem depois de todo esse tempo. Até mais!

Ass: Adriana Alves.

31/05/2020

DIÁRIOS DE QUARENTENA, DIA 27:

Bom, olá! Estou feliz por poder contar os relatos de meu dia entediante mais uma vez. Sabe, eu não reclamo com minha mãe que estou cansada de ficar em casa, ela diz isso pra mim e nós conversamos sobre. São tempos de infinitas reclamações e tristeza. Antes da pandemia, nós costumávamos sair, muito mesmo! As pessoas costumam nos chamar de "rueiras", isso nas gírias antigas, porque nos considero "rolezeiras", haha! É doloroso para todos nós aqui de casa, assim como tenho certeza que está sendo para muitas outras pessoas por aí. Meu conselho é: reclamem, mas não muito.

Hoje assisti ao filme do Aquaman e é muito bom. Antes de assistir Liga da Justiça, eu não gostava nada da ideia de assistir um homem que respira debaixo d'água e é chamado de Mestre dos Mares, mas me surpreendi com o quanto a história é envolvente. É como sempre dizem; nunca julgue um livro pela capa. Mas por mais que todo mundo se esforce, nunca será assim. Até estudei sobre isso em sociologia uma vez. É indispensável estudar a história enquanto a conhece. Realmente podem vir coisas boas disso.

Também assisti a uma animação nova do Batman. É estranho como, mesmo com todo o avanço na tecnologia, os personagens do desenho ainda parecem robôs sem expressão. Mas quero deixar claro que gostei muito da história. Além disso me esforcei para fazer e entregar vários trabalhos da escola.

No fim do dia, assisti aos últimos episódios da terceira temporada da série ODAAT, e me emocionei diversas vezes. A série mostra o cotidiano de uma família cubana que vive nos

Estados Unidos, e apesar de ser muito engraçada, ela retrata assuntos muito sérios e emocionantes. Sempre tenho algo a levar de cada um dos episódios que assisto e acho isso muito importante.

Sem muito mais a escrever, acrescento aqui uma reclamação por não poder sair de casa:

está sendo doloroso, mas posso sobreviver. Até a próxima!

Ass: Adriana Alves.

01/06/2020

DIÁRIOS DE QUARENTENA, DIA 28:

Hey, chegamos em Junho, o mês dos namorados! Adoro ler todas as lamentações e histórias engraçadas que as pessoas têm a dizer no Twitter. Eu com certeza tenho alguns relatos para rirem de mim também. Tem alguns casais realmente lindos, com histórias lindas, que nos fazem pensar que nunca encontraremos alguém que irá nos amar verdadeiramente, mas isso besteira. Ainda acredito no amor e na existência pessoas que nasceram para estar juntas. Nós precisamos dessas crenças para viver, se não, o que resta?

Bem, minha irmã resolveu criar um canal de games no YouTube e ela está bem animada com isso. Já faz alguns meses que ela têm desenvolvido esse projeto e parece estar dando certo. Ela tem muitos pequenos fãs que adoram vê-la jogando e, apesar de não me interessar muito, fico feliz por ela. Meu irmão mais novo também tentou criar um, mas ele prefere ficar brincando, invés de passar tempo gravando vídeos, então não deu muito certo.

Assisti a uma animação do Batman hoje, mas só porque tinha a Arlequina. Confesso que não sou muito fã do Batman. A história da origem dele é realmente tocante, mas o homem que ele se tornou nunca me agradou muito. Tá okay, o Batman é justiceiro e tudo mais, mas custa dar um sorriso de vez em quando? Nunca gostei muito de heróis egocêntricos e mal-humorados como ele e Homem de Ferro. Acho que se esses dois fizessem parte do mesmo universo, iria acontecer alguma briga feia. Pensando bem, seria legal.

Algo que não posso deixar de citar é que fiz um desenho da antiga Arlequina hoje que me rendeu muito esforço por alguns detalhes pequenos e pelo tamanho que o fiz e quando já tinha terminado e me preparava para pintá-lo, deixei cair um tubo de cola em cima. Confesso que chorei, porque tive que o refazer e nunca ficou igual o primeiro, apesar de minha mãe ter dito que estava lindo.

Li algumas conversas em chats ao vivo no YouTube que minha mãe assiste. Ela cismou de assistir animais em seu habitat natural ao vivo. Gosto de documentários, que realmente ensinam e mostram como os animais vivem, não assistir eles fazendo, às vezes, alguma coisa interessante, sem som algum. Essa parece ser a coisa dela, no entanto. Ela adora conversar no chat ao vivo com outras pessoas sobre as coisas que eles estão assistindo, é engraçado de se ver. Me lembro uma série que assisti sobre um adolescente autista, ele tinha fascínio por pinguins, tudo dele era sobre pinguins e ele até mesmo os assistia ao vivo na Internet. Ele está certo, Pinguins são tão fofos!

Isso é tudo por hoje. Até mais

Ass: Adriana Alves.

02/06/2020

DIÁRIOS DE QUARENTENA, DIA 29:

Olá! Esqueci de dizer que esse mês também é o da minha mãe, ela faz aniversário dia 18! Parando para pensar, ela está ficando cada vez mais vivida. Gosto quando ela nos conta histórias da infância, adolescência e até vida adulta antes de nós chegarmos, é muito bom ouvir e tentar imaginar uma versão mais nova dela fazendo todas essas coisas de crianças e adolescentes.

Uma coisa que tenho feito muito nessa quarentena é desenhar. Sempre gostei de o fazer, mas não costumava ter tempo. Quer dizer, na minha cabeça, eu nunca tinha tempo para nada, apesar de apenas estudar, acho que era pura preguiça mesmo. Mas voltando ao assunto, agora tenho muito tempo para desenhar e faço pelo menos um por dia, porque demora muito fazer todos os detalhes. Não costumo pintar meus desenhos, pois tenho medo de estragar e me parece mais bonito preto e branco. Hoje fiz um desenho que demorou duas horas para ficar pronto e me rendeu muita dor nas costas.

Fiz também um desenho para minha sobrinha pintar e no final ela estava triste porque, de acordo com ela, a pintura dela estava feia e a minha bonita. Claro que peguei seu desenho e mostrei para todos em minha casa, fazendo questão de pedir elogios exagerados para cada um deles. No fim, ela ficou feliz.

Lembro que quando eu tinha 4 anos, escrevi um bilhete de dia dos pais para meu padrasto, estava escrito "Te amo, Vado", ele, que na verdade se chama "Vando", plastificou e o guarda até hoje.

Li uma HQ da Arlequina chamada "Harleen", que mostra como a Harley era antes de ficar louca. Diferentemente das outras que li, que narram resumidamente sua história, essa é uma HQ grande, de três edições, que conta a história de um modo muito profundo. Mostra como ela foi manipulada e como a loucura recém-chegada a fazia sofrer. Acho que é por isso que gosto tanto da Harley, porque por baixo daquelas piadas e loucuras que todos veem, existe uma mulher forte e triste que se perdeu no meio do caminho e a história é muito interessante.

Revirando minhas coisas hoje, encontrei vários desenhos e provas antigas que fiz. Guardo todas desde o 8° ano, porque acho que posso precisar um dia. Dentre todos esses papéis, encontrei uma poesia romântica que escrevi aos 13 anos e uma carta de amor que recebi aos 14. Há algo especial nessa carta, que nunca foi respondida, que faz com que eu guarde-a até hoje. Acho que é arrependimento, na verdade. Não penso muito nisso, pois já passou há tempos, mas sei lá, poderia ter dado certo se eu estivesse pensado direito. Enfim, até a próxima!

Ass: Adriana Alves.

03/06/2020

DIÁRIOS DE QUARENTENA, DIA 30:

Uau, eu jurava que hoje era uma terça-feira! Acho que não tem como eu ficar mais confusa com os dias da semana nessa quarentena do que já estou. O único dia que sei com convicção quando chega é domingo, pois só passa programas chatos na televisão.

Então, está rolando todos esses assuntos polêmicos sobre política e racismo no momento. Vi muitos posts no Twitter sobre o caso do homem negro que foi assassinado injustamente pela polícia nos Estados Unidos nos últimos dias. É realmente incrível ver como tantas pessoas estão se sensibilizando e se posicionando sobre isso. Não sei se o racismo será combatido completamente algum dia, mas acredito que com todas essas pessoas lutando, esse dia irá chegar.

Passei exatamente cinco horas de meu dia fazendo um desenho que me custou muito estresse e muitas dores nas costas que já não estavam muito bem. O desenho se tratava do rosto de uma pessoas, algo que dificilmente faço, pois além de ser trabalhoso, não sou muito boa nisso, mas hoje tentei. Particularmente, gostei do resultado, mesmo não sendo exatamente o que eu esperava.

Por incrível que pareça, não assisti nenhuma série hoje, apesar de estar muito ansiosa pela quarta temporada da série que estou assistindo. Apenas li uma HQ em inglês e tentei realmente entender tudo. Sabe, tem tantas coisas que podemos aprender nesse tempo em que não temos nada para fazer. Minha mãe, por exemplo, está mais "antenada" que nunca. Ela que abominava qualquer tipo de rede social, está sempre no celular para saber os assuntos do momento ou qualquer outra coisa que possa distraí-la.

Hoje cedo, eu estava assistindo alguns vídeos no YouTube, até que cheguei há alguns vídeos antigos de músicas da novela Isa TKM. Se bem me lembro, eu deveria ter uns 8 anos e minha irmã 11 na época que essa novela passava na TV. Corrigindo um engano meu, essa sim foi a primeira vez que me vi viciada em algo relacionado a novelas e músicas. Eu sequer tinha um celular na época, mas esperava ansiosamente pelo horário que a novela passava. Provavelmente vou vir daqui há alguns dias e dizer que estava enganada de novo, de que esse não foi meu primeiro fandom, mas quem pode criticar? Começo a gostar tão rápido das coisas, que sequer consigo lembrar em qual momento comecei com isso.

Meu conselho de hoje é também para mim mesma: não finja gostar de alguma coisa apenas para agradar outras pessoas, isso é burrice.

Ass: Adriana Alves.

04/06/2020

DIÁRIOS DE QUARENTENA, DIA 31:

Hey, tive sonhos estranhos essa noite, mas acordei bem disposta.

Assisti um filme muito legal "Guardiões da Galáxia Volume 2", não consegui acreditar que não tinha assistido esse ainda, porque assisti absolutamente todos os filmes da Saga do Infinito e jurava que já tinha visto esse. Eu estava enganada. Apesar de toda decepção, amei o filme e já espero uma continuação.

Também li uma one-shot, que é toda história de um capítulo só, e amei. Era um conto de Natal e amo contos de Natal. O conto em questão, era um romance com toque de mistério leve durante os acontecimentos. Algo como um milagre de Natal ou sei lá, só sei que gostei muito.

Sabe, Natal é meu feriado favorito do ano. Não só por causa dos presentes, já que não ganho nenhum, mas pelo significado importante que tem, sobre a união que esse dia traz e a felicidade que as pessoas sentem. Amo todos os enfeites e as roupas e as comidas. Para mim, o Natal é simplesmente maravilhoso!

Me lembro de uma vez que minha família foi passar o Natal na casa da minha avó, na época ela ainda era viva, e nós estávamos todos felizes. Se não me engano, foi o último Natal que passamos todos juntos na casa da minha avó, mas foi um dos melhores. Minha mãe tem cinco irmãs mais novas e um irmão e todos eles tem vários filhos, então a casa estava muito cheia e muito animada. Nesse dia, havia um "Papai Noel" em frente a casa da minha vó e lembro-me que quando o vô, invés de ficar feliz, corri para dentro de casa chorando, pois fiquei com muito medo. Eu era uma criança muito medrosa, até hoje sou, mas ter medo do Papai Noel foi o cúmulo para mim, haha!

Enfim, nessa mesma história também falava sobre o significado de amor. Quero dizer, qual a primeira coisa que passa em nossa cabeça quando nos perguntam: o que é o amor? Não tenho muita experiência de vida para explicar e muito menos palavras certas, mas essa escritora o fez com tanta mestria que conseguiu me emocionar. O amor está implícito em todas as pequenas coisas, afinal.

Enfim, foi intenso e importante falar sobre essas coisas hoje. Espero que tudo fique melhor logo.

Ass: Adriana Alves.



ficções humanas rodapé.gif

Todos os direitos reservados.

Todo conteúdo de não autoria será

devidamente creditado.

  • Facebook - Círculo Branco
  • Twitter - Círculo Branco
  • YouTube - Círculo Branco
  • Instagram - White Circle

O Ficções Humanas é um blog literário sobre fantasia e ficção científica.