• Paulo Vinicius

Diários de Quarentena: Adriana Alves (parte 2)

Continuando em sua jornada nessa quarentena louca, Adriana começa a entender um pouco mais que esse período em casa vai ser maior do que parece. Vejam um pouco das dúvidas a respeito do que está por vir.



Playlist:


Parte 1 (publicado em 24/10)

Parte 2 (publicado em 01/11)

Parte 3 (publicado em 21/11)

Parte 4 (publicado em 28/11)


________________________________________________________________________


17/05/2020

DIÁRIOS DE QUARENTENA, DIA 12 E 13:

Olá! Primeiramente quero dizer que sinto muito por não ter escrito aqui ontem e que provavelmente isso aqui vai render muitas palavras. Ontem eu tive um dia normal, mas cansativo, então só me lembrei que tinha que escrever quando acordei hoje. O que realmente fiz foi terminar de assistir Faking It, que teve um final legal, mas muitas histórias recém iniciadas que nunca vão ter uma continuação. Fiquei triste com isso.

Ontem também usei um pouco do tempo que passo sem estar "conectada" para fazer uma pipa para minha sobrinha e só para deixar claro, tenho um grande histórico com isso. Quando eu tinha uns 8 anos, meu segundo irmão mais velho, Renan, me ensinou a fazer pipas, porque eu ficava o perturbando querendo as dele. Precisa-se basicamente de: armações de uma pipa que está estragada, uma sacola plástica, tesoura e uma pedra, é super fácil. Enquanto eu a fazia, minha sobrinha parecia muito ansiosa para tê-la, então acho que fiz um bom trabalho. Infelizmente a pipa foi destruída alguns minutos depois de eu ter dado a ela, mas fico satisfeita de saber que ela teve uma diversão por alguns minutos.

Também continuei a ler a fanfic que sempre cito aqui. Tenho outra mania ruim, além daquela de parar de ler a história quando ela está em um momento triste, que é parar de ler quando o casal principal finalmente fica junto. Quer dizer, nos livros, quando o casal se resolve e tudo fica bonito, apesar dos problemas que todo casal tem, já é suficiente para meu coração e tem todas as outras fanfics que tenho que ler. Há muitos conhecimentos e lições entre todas as fases de um casal e sinto que já aprendi tanto lendo. É como dizem; "fanfic também é cultura". Sim, realmente dizem isso. Mas resumindo, o dia de ontem foi basicamente estes relatos acima.

Já hoje, posso dizer que tive um dia diferente de todos os outros da minha quarentena. A avó do meu irmão mais novo e mãe do meu padrasto esteve aqui hoje. Todos nós levamos um susto quando ela apareceu no portão, afinal, ela está no grupo de risco da doença, mas não poderíamos mandá-la embora ou colocar consciência em sua cabeça. É como aqueles idosos que fogem de casa para dar um "rolê" sem se importar com a gravidade da doença. Refletindo sobre, não foi ruim tê-la aqui, todos nós sentimos sua falta durante o dia das mães e todos os outros dias no qual nós a víamos e foi um risco ruim para nossa saúde, mas bom para nossos corações. Porém, acho que ela vai ter mais cuidados depois dessa visita e todo o alerta.

Depois disso tive uma conversa com meus amigos aqui da rua e decidimos fazer um grupo para conversarmos, já que apesar deles estarem na faixa etária de 11 a 13 anos, são meus melhores ouvintes e aprendizes. Acho que durante todo esse tempo que tivemos juntos com o passar dos anos, pude ensinar muitas coisas a eles, coisas que estão ajudando a construir seu caráter e me sinto feliz com isso. Como sabemos, parte ou até mesmo tudo o que somos vem dos ensinamentos que temos de pessoas exemplo para nós, então mesmo não sendo perfeita e às vezes agressiva, tento ensinar o melhor das diversidades e respeito para eles durante a adolescência. Agora estou falando como uma pessoa muito vivida, haha! Mas não há nada disso, estou apenas fazendo com que eles tenham opiniões sensatas sobre diversos assuntos que eu não tinha na idade deles. É como ser uma professora anti-machismo. Todos eles são meninos incríveis e bagunceiros que tem parte do meu coração e tenho certeza que tenho o deles também. Isso soou muito meloso, credo, acho que se eles vissem isso estariam rindo agora, mas é como é e espero que eles saibam disso.

Finalmente terminando o dia procurando filmes interessantes que não contenham suspense, mistério e muito menos terror, acabei encontrando 'A Mentira', sobre uma garota que mente muito sobre si mesma para ajudar as pessoas e acaba se dando mal no final e 'Meu Melhor Amigo Gay', que ainda não assisti, mas conta a história do primeiro garoto que se assume gay em sua escola e é disputado pelas alunas populares para ser seu melhor amigo, parece engraçado. É isso, mais um dia, mais uma luta.

Vou anexar aqui a foto de um desenho da Batgirl que fiz hoje e que ensinam a fazer no canal do Cartoon no YouTube, para não ficar um espaço em branco. Bye!

Ass: Adriana Alves



18/05/2020

DIÁRIOS DE QUARENTENA, DIA 14:

Oh meu Deus, não há um dia de quarentena que eu acorde por mim mesma em um horário que achar apropriado. É sempre minha mãe falando alto ou lavando louças parecendo que quer quebrar todos os pratos e fazer as panelas de tambor, meu irmão jogando Free Fire com som alto e falando com alguém no jogo, ou meu padrasto ouvindo músicas e vídeos no WhatsApp. Tento pensar qual foi a última vez que dormi até tarde, mas não há nada. Minha família é barulhenta demais!

Cortando o drama que me faz ir dormir depois das dez da noite, vamos ao meu dia pouco divertido. Durante a manhã, depois de resolver algumas questões que os professores lançaram na plataforma, tive um longo tempo jogando Free Fire. Uma das coisas que não tenho citado por aqui é que jogo todos os dias, geralmente à noite, porque posso me concentrar melhor. E quando me estressei o suficiente com minhas mortes no jogo, fui assistir a uma série que comecei há alguns dias. Ela se chama Carmilla e é legendada, do jeito que eu gosto. A história é uma adaptação de uma novela escrita em 1800, que fala sobre vampiros. O que é curioso nela, é o fato de ser filmada por apenas uma câmera que, na série, é uma webcam que filma vlogs do quarto de uma das personagens principais. E apesar de nós que estamos assistindo não conseguirmos ver as coisas que acontecem do lado de fora, os relatos dos personagens trazem mais mistérios ainda para a história, é emocionante imaginar tudo, como em um livro. Além do fato de que não preciso assistir a nenhuma morte macabra ou figura esquisita que irá tirar meu sono durante à noite.

Depois disso, baixei alguns episódios do desenho Clarêncio, O Otimista, que é absurdamente engraçado e sem sentido. Acho que amo tanto o Cartoon Network por fazer esses desenhos que tem muitas coisas aleatórias que no fim fazem algum sentido. Como já disse, sempre tem uma lição por trás, então é legal tentar desvendar qual é. Me lembro que há um episódio do desenho Hora de Aventura chamado 'Historinhas', ao qual um personagem conta cinco histórias diferentes e nós temos que descobrir qual é a lição que está presente em todas elas. Isso obviamente nos faz quebrar a cabeça, mas é divertido pensar em todas as coisas que aquelas histórias ensinam e, no fim, ser uma lição muito sem noção e impensável, apenas para que nós possamos pensar e aprender muito com todas as outras óbvias que aparecem.

Quase no fim do dia, assisti muito mais Carmilla e depois joguei muito Minecraft. Lembro de ter dito algo sobre novas pedras Obsidiana no jogo e hoje fui fazer uma exploração no mapa. Descobri que a tal Crying Obsidian é absolutamente inútil para construir um portal, como construímos com Obsidiana normal. Está mais para uma versão quebrada dela, vou procurar saber mais depois. Também adquiri um cavalo e muito minério de ouro (que ainda não consegui transformar em barras). Sou tão preguiçosa até mesmo jogando, que minha casa lá é um buraco que fiz no chão coberto com folhas de Carvalho e uma fogueira na frente para espantar os monstros durante a noite.

Enfim, agradeço por mais esse dia e espero que essa situação melhore.

Ass: Adriana Alves.

19/05/2020

DIÁRIOS DE QUARENTENA, DIA 15:

Oláa! Tive um dia bem legal hoje. Meu tempo dando conselho aos meninos me fez refletir muito sobre o quão idiota eu era antigamente. Quando nos damos conta de alguma coisa ruim que fizemos no passado, é como um filme ruim que passa em nossa cabeça e não podemos apagá-lo ou mudar para um melhor, porque já foi e nós apenas temos que aprender a viver com nossos erros. Lembro-me de uma época em que eu era agressiva com absolutamente todos a minha volta, inclusive com as pessoas que eu amava. Tive esse tempo ruim em 2017, um ano de descobertas, ao qual achava que todas as pessoas estavam me julgando ou iriam me julgar em algum momento, então me defendia antes mesmo de saber o que eles pensavam. Só tomei consciência do quão ruim aquilo estava sendo para mim quando tive uma conversa com a diretora de minha antiga escola e ela disse que "aquilo" não era eu e que eu estava me perdendo. Ela realmente conseguiu me pegar com essa frase. A partir daí eu estou tentando ser alguém melhor, mesmo com meus surtos de estresse de vez em quando.

Quando se é homossexual, como eu, costumamos ter muitos bloqueios, porque o mundo está cheio dessas pessoas que só estão aí para nós machucar. Acho que sempre quis desabafar sobre algo assim, mas nunca tive uma oportunidade. Por exemplo, quando conheço alguma menina que pode vir a ser minha amiga no futuro, costumo ser muito cautelosa com contatos físicos, pois tenho medo que depois de algum tempo ela saiba sobre mim e pense que eu estava todo o tempo querendo algo com ela, mas não funciona assim. Tento, realmente tento não fazer isso, mas não importa quem nós somos ou qual seja a nossa orientação sexual, sempre temos insegurança sobre algo, e posso dizer que tenho algumas delas.

Deixando de ser tão profunda e sentimental, devo dizer que passei quase o dia inteiro no Twitter, falando sobre maior exposed deste ano. Alguém aleatório fez um post sobre um canal no YouTube, ao qual a menina que faz os vídeos parece ser pressionada e abusada psicologicamente por sua mãe o tempo todo. Analisando os vídeos, e eu realmente assisti muitos deles para ter certeza, dá para ver claramente como a menina parece estar sendo obrigada a fazer tudo aquilo. É perturbador! A exposição foi tão grande que conseguiu chegar à TV em uma reportagem no jornal. O último exposed tão grande que vi e participei, foi de uma mulher que se passava por adolescente e enganava meninas no Twitter no ano passado, foi uma loucura também. Fico feliz por essa 'escória' ser exposta.

Além de toda essa emoção, comecei a assistir uma série nova de comédia chamada One Day A Time e pelos episódios que assisti, parece ser muito legal. Também assisti o último episódio de Supergirl que saiu no domingo e devo dizer que não foi tão ruim quanto os outros. Estou completamente revoltada com o destino que essa série levou. Acho que prefiro as fanfics escritas pelos fãs, porque pelo menos lá eles dão o devido valor que a Lena merece. É como algumas pessoas disseram; há muito, Lena deixou de ser uma pessoa querida pelos personagens dentro da série e nós, que vemos todos os lados, sabemos que ela merece algo muito melhor do que um final pedindo perdão por algo que não foi apenas culpa dela. Não sei se devia dizer isso, mas a CW é decepcionante.

Depois desse dia muito louco, só tenho que agradecer por ter passado por ele bem e pedir um pouco de paz. O mundo está muito eufórico com essa coisa de pandemia, tentem acalmar os nervos.

Ass: Adriana Alves.

20/05/2020

DIÁRIOS DE QUARENTENA, DIA 16:

Hey! O mundo parece mais chato agora, né? Pelo menos eu sinto como se fosse.

Hoje descobri que posso ser absolutamente obcecada quando encontro algo que gosto. Bem, é mentira, não descobri hoje, já sabia disso há muito tempo. Acho que uma das primeiras obsessões que tive foi com RBD, em 2013. Eu tinha muitas coisas deles e sabia cantar todas as músicas e as datas de aniversário e os nomes completos. Acho que foi a partir dessa fanbase que comecei a perceber como consigo me viciar rápido em coisas, assim como também consigo desapegar rápido. Tem algumas pessoas que me conhecem que até ficam confusas, pois em um momento não paro de falar sobre aquilo e até indico para que gostem também, mas em outro, simplesmente não estou ligando. Não reclamo de ser assim, no entanto, pois sempre tenho algo para me distrair.

Hoje mais cedo, depois de ter quebrado minha cabeça para entregar um monte de trabalhos atrasados, tive uma longa e reflexiva conversa com um antigo amigo meu. Ele é um adulto e já tem bastante experiência de vida, então é interessante saber o que se passa na cabeça dele. Gosto de conversar com ele porque realmente consigo me libertar e dizer coisas que sei que outras pessoas não iriam entender, ou não se interessariam o suficiente. Depois da conversa continuei a fazer mais e mais trabalhos atrasados.

Quanto a minha falsa descoberta, estou simplesmente viciada em She-Ra, a Princesa do Poder. É um desenho sobre a irmã gêmea do He-Man e é interessante demais. Todos que me conhecem sabem que amo desenhos, mas não é só por causa da animação ou da graça que tem, realmente gosto de entender a história, criar teorias e até mesmo me decepcionar no fim. Gosto de desenhos que, mesmo sendo engraçados, tenham inteligência para nos fazer refletir. Comecei a primeira temporada hoje e terminei hoje, estou animada para começar a segunda amanhã.

Ah! Ouvi muitas músicas da Violetta hoje no YouTube. Em 2013, antes de virar viciada em RBD, tive um vício em Violetta, um seriado argentino que continha muitas músicas e danças, ao qual eu era apaixonada. Lembro que no Natal deste ano, minha mãe me comprou um CD da Violetta original e eu o tenho até hoje. Dificilmente o escuto hoje em dia, mas é uma lembrança muito boa. Sinto saudades da minha infância, época que estudava em horário integral e chorava quase todos os dias porque queria ir para casa assistir ao seriado, haha! Devo deixar claro que estudar integralmente foi totalmente traumatizante para mim. Na época, eu não sabia me posicionar sobre nada e era bastante maltratada na escola, e brigava praticamente todos os dias. Me pergunto como teria sido o fundamental para mim se soubesse me defender com palavras, ao invés de agressão. Acho que é por isso que sou assim hoje, tenho a resposta para tudo na ponta da língua. A última vez que briguei na escola, no oitavo ano (e levei um soco no olho), jurei a mim mesma que não queria mais aquilo e comecei a me centrar mais em como poderia me defender apenas com palavras e foram esses fatores que me tornaram tão defensora e às vezes exagerada, como sou hoje. Um dia de cada vez, certo?

Não tenho muito mais a dizer, pois assim como todos os outros dias, estive apenas assistindo e lendo e não há nada de novo isso. Fico feliz por ter descoberto coisas novas que continuam me motivando. Até mais!

Ass: Adriana Alves

22/05/2020

DIÁRIOS DE QUARENTENA, DIA 17 e 18:

Oiee! Ontem não escrevi porque eu passei literalmente o dia inteiro assistindo She-Ra, sério, fiquei muito viciada. Assisti tudo em apenas três dias e estou muito triste que não vão haver outras temporadas. Minha mãe não aguenta mais eu falando que já estou com saudades de um desenho que acabei de assistir de tarde, haha! Pode ter certeza de que vou assistir tudo de novo logo, logo. Então, como basicamente não fiz nada além de assistir até 01h da manhã, não tive nada para relatar. Ontem decidi que iria começar a dormir mais tarde, pois tenho acordado de madrugada e não consigo dormir por um tempo. Minha mãe diz que meu corpo não está se cansando o suficiente para dormir profundamente, assim como está acontecendo com ela também. Além de todas as coisas que passam por minha cabeça e deixam ela um pouco sobrecarregada demais de pensamentos para ter um sono tranquilo. Não funcionou muito bem, porque esqueci uma parte importante do plano, a qual eu teria que acordar cedo, porque minha família é muito barulhenta pela manhã.

Hoje, no entanto, tive um dia um pouco diferenciado. A esposa do meu tio teve alguns problemas e trouxe minha prima para ficar comigo, mesmo com a pandemia, porque é muito importante, então agora temos três crianças bagunceiras aqui. Tenho distraído elas com desenhos que as prendem em frente a TV e que eu também gosto. Além disso, assistimos um filme da Tinker Bell, que era um dos meus favoritos quando eu era criança. Vendo hoje, apesar de ainda gostar da animação, não consigo me sentir muito feliz sobre isso, porque quando criança, eu realmente acreditava em todas as histórias de fadas que via nesse desenho. Se parar para pensar, realmente faz sentido na cabeça de alguém que não sabe nada da vida, como eu na época, então imaginem minha decepção quando descobri que fadas não existiam. Ainda posso distraí-las, no entanto.

Ainda pensando em She-Ra, me pergunto como pode-se perdoar alguém que já traiu sua confiança diversas vezes. Acredito que o amor entre elas tem que ser muito forte, pois quem ama perdoa quantas vezes achar necessário. Há certas ações que realmente acabam com a confiança, mas enquanto essas ações não acontecem, é sempre possível perdoar. Eu, por exemplo, não costumo guardar ressentimentos de alguém, mas quando esse alguém quebra minha confiança várias e várias vezes, fica difícil perdoar no fim. Por isso, acho incrivelmente bonito como a She-Ra consegue perdoar a Catra depois de tanta quebra de confiança. É uma história que carrega diversos ensinamentos.

Como meu dia, basicamente foi ficar sofrendo pelo fim de She-Ra e só, não tenho muito mais a dizer. Pensando bem, só estive assistindo mais e mais desenhos. Também fiquei de assistir ao primeiro episódio da série Stargirl que, por enquanto, só tem um episódio, mas o mesmo teve muitos votos positivos. Qualquer série de super-heróis é sempre bem-vinda para mim. Estou feliz de poder conhecer novas histórias e me perder nelas.

Mais uma vez, agradeço por ter mais um dia bom e inspirada digo: PELA HONRA DE GRAYSKULL!

Eu só queria muito escrever isso, haha!

Ass: Adriana Alves.

24/05/2020

DIÁRIOS DE QUARENTENA, DIA 19 E 20:

Bem, não escrevi ontem porque com o "plano de dormir" que criei no dia anterior, fiquei muito cansada e dormi cedo. Eu tinha dito a mim mesma que faria aquilo para conseguir dormir melhor, mas com a chegada da minha prima e a bagunça que ela e minha sobrinha fazem juntas, acabo ficando cansada e durmo mais cedo. Pelo menos consigo ter noites melhores de sono agora. Ontem assistimos muito She-Ra juntas e me sinto orgulhosa em dizer que as crianças aqui de casa amam o desenho também.

Hoje todos aqui resolveram acordar cedo e me acordar também. Apesar do estresse momentâneo, não foi tão ruim assim, porque tenho mais tempo para passar com minha família. Baixei alguns desenhos para distrair as crianças enquanto fazia alguns trabalhos que deixei de entregar. Confesso que, antes de começar a estudar, assisti ao filme Barbie e o Portal Secreto com eles. Digo, Barbie era uma das minhas animações favoritas quando eu era pequena e sempre gosto de rever. Lembro-me que uma amiga da minha mãe havia nos dado um DVD da Barbie, daqueles 6 em 1 e eu assistia todos os dias! Sempre gostei dessas coisas fofas e melosas e até hoje minha cor favorita é rosa. Não vejo nenhum problema em saber cantar todas as músicas da Barbie com dezessete anos, se isso me faz feliz.

Como tem muitas pessoas aqui em casa, quando estamos na sala, é como se fosse o começo de alguma festa, e é sempre o começo de alguma festa aqui em casa durante a quarentena, principalmente em um domingo, que até mesmo meu padrasto está em casa. É possível ouvir todos os tipos de conversas dos cômodos aqui, inclusive algumas que não dão para entender, como as das crianças. Então, como uma pessoa que só quer ter um pouco de paz e distração, acabei tendo a ideia de fazer uma "sessão de fotos dentro de casa" com as meninas. Óbvio que elas adoraram! Peguei diversas roupas lindas que elas nunca tiveram a oportunidade de vestir, pois chegaram pouco tempo antes da pandemia, e tirei diversas fotos amadoras e depois coloquei mais efeitos amadores ainda. Foi uma loucura, porque tudo o que envolve nossa família vira uma loucura, mas nos divertimos muito. Aqui está uma prova disso:



Apesar de todo o trabalho que dão, é realmente bom ter crianças em casa, principalmente nesse momento. Crianças têm uma essência necessária em nossas vidas.

Além de tudo isso, assisti, finalmente, ao primeiro episódio de Stargirl e digo que é uma série que tem muito para dar certo. Diferentemente das outras séries que assisti sobre super-heróis, essa é de inteira produção da DC e os efeitos estão incríveis, assim como a história. Espero ansiosamente pelo próximo episódio. Depois, continuei a assistir One Day At A Time (sim, escrevi errado na outra página), e estou amando também. Comédia também tem um lugarzinho especial no meu coração.

Enfim, depois desse dia cansativo, o sono já me pegou há um tempo. E apesar de agradecer por tudo, sempre espero que o dia de amanhã seja melhor. Até mais!

Ass: Adriana Alves.

25/05/2020

DIÁRIOS DE QUARENTENA, DIA 21:

Hey, acho que já estamos três meses de quarentena, certo? Sinto que depois que isso tudo passar, irei precisar fazer uma terapia para um vício sério que me tomou nesse tempo; o de assistir séries e ler livros! Acho que vou criar um grupo de apoio "VSL", uma sigla para "Viciados em Séries e Livros", e pode parecer engraçado (na verdade é mesmo), mas não consigo parar fazê-lo. Quando não estou assistindo ou lendo, estou pensando na próxima coisa que irei ler e assistir, até mesmo nas minhas horas de sono, sonho com essas coisas! Minha cabeça está uma loucura mesmo.

- Olá, me chamo Adriana Alves, tenho dezoito anos e sou viciada em assistir séries e ler livros.

- Estamos com você, Adriana. - Todos em uníssono.

Viu só? Nem preciso dizer mais nada. E coloquei dezoito anos porque dada a minha data de aniversário, provavelmente terei dezoito quando a pandemia acabar.

Enfim, deixando toda essa situação de lado, vamos ao meu dia: com certeza estive assistindo série durante toda a manhã e tarde também. Quando se tem três crianças em casa, é complicado fazer qualquer coisa em paz, mas além delas, temos três adultos também, então nos viramos. Às vezes, minha irmã cuida das crianças na sala enquanto eu assisto ou leio algo, e depois nós trocamos para que ela possa fazer o que quiser também. Funciona bem.

Não me lembro de ter feito nada diferente hoje, além de procurar a tampa do meu fone pela casa inteira. Não sei o que há comigo e esses fones semanais, mas é complicado. Uma vez, comprei um no sábado e no domingo ele não estava mais funcionando, sem chance de troca. Antes da quarentena começar, pedi a minha mãe que comprasse um, já que o meu tinha ficado ruim, mas esse também se foi. Pelo menos ele durou três meses, um recorde para mim. No sábado, quando fui no mercado com minha mãe, a convenci de comprar outro para mim, mas como estragar fones é minha sina, perdi a tampinha do lado esquerdo no domingo e não faço ideia de como o fiz. Parece que o objeto foi sugado pelo chão, ou algo assim. Cheguei a conclusão de que minhas relações com fones de ouvido são muito complicadas.

Esse foi o resumo do meu dia. Realmente espero poder encontrar essa coisa, antes que eu acabe destruindo meu fone inteiro. Laters baby!

Ass: Adriana Alves.



Tags: #diáriosdequarentena #adrianaalves #quarentena #ensinomédio #relato #diário #ficçõeshumanas

ficções humanas rodapé.gif

Todos os direitos reservados.

Todo conteúdo de não autoria será

devidamente creditado.

  • Facebook - Círculo Branco
  • Twitter - Círculo Branco
  • YouTube - Círculo Branco
  • Instagram - White Circle

O Ficções Humanas é um blog literário sobre fantasia e ficção científica.