top of page
  • Foto do escritorAmanda Barreiro

O Preconceito Literário e o Repúdio ao Diferente

Classicismo versus cultura pop. Alta ou baixa literatura. Isso ou aquilo, o que é melhor? Afinal, será que existe relevância nessa discussão sem fim, ou tudo se resume no velho preconceito?


Uma discussão que nunca cessa versa sobre as diversas manifestações culturais. Música, cinema, dança, artes visuais e plásticas... e, dentro da nossa esfera, a literatura. Partindo do pressuposto que cultura é tudo o que é produzido por um determinado povo, será possível ainda diminuir – até mesmo rechaçar – uma produção em detrimento de outra?


As acusações são inúmeras, de todos os lados. Sempre é possível ver comparações esdrúxulas entre grandes obras do cinema clássico com filmes de heróis, por exemplo. A comparação por si só já é absurda, afinal, quem quer comparar maçãs com bananas quando se pode apreciar ambas as frutas? Quem nunca leu um artigo criticando a “falta de profundidade” de um filme de ação, quando, a bem da verdade, sua missão é empolgar, entreter e cativar o público? Nem todo filme precisa ser uma obra-prima premiada, não é isso o que queremos. No fim de um longo dia de trabalho nós queremos diversidade, opções de qualidade, poder de escolha e um pouco de diversão, cult ou não.


Olhando um pouco para o cenário literário, séculos depois ainda estamos na mesma guerra: alta cultura e baixa cultura. Fruto de um pensamento terrivelmente conservador e datado, conduzido principalmente por estudiosos que se recusavam a experimentar o novo e a reconhecer como válida a expressão popular – a Escola de Frankfurt (início do século XX) -, é lamentável ver esse pensamento reproduzido na nossa realidade. A alta cultura, me parece, é um conceito criado para proteger o clássico, o belo, o agradável, o acessível apenas à elite, das camadas populares e impedir a miscigenação da arte. Trocando em miúdos, é uma invenção dos ricos para afastar os pobres, mantendo-os à margem da sociedade (como sempre).


Então nos deparamos com discussões vãs comparando a obra tolkieniana e Harry Potter; Saramago e George R. R. Martin; clássicos versus cultura popular. É indigno sequer pensar que duas produções tão distintas, pensadas para públicos singulares, em épocas e contextos diversos, entre inúmeros outros fatores, possam ser postas lado a lado sob o olhar desdenhoso do preconceito. Mary Shelley, uma das autoras mais proeminentes de língua inglesa, também sofreu preconceito à sua época, sua escrita tendo sido considerada, inclusive, vulgar (baixa cultura, em uma interpretação livre). Dá para acreditar que estamos fazendo a mesma caça às bruxas, séculos depois?


É claro que precisamos considerar o valor de Edgar Allan Poe, H.P. Lovecraft, Sir Arthur Conan Doyle, Mary Shelley, Emily Brontë, Jane Austen, George Orwell, Shakespeare, Machado de Assis... São cânones atemporais, precursores de seus gêneros, influenciadores da mais variada gama de escritores de todas as gerações. Exigir de um livro infantojuvenil, por melhor que seja, alcançar a profundidade das palavras de qualquer dos grandes autores da literatura clássica é, no mínimo, insanidade. Desprezar qualquer autor por não chegar ao que se espera de seus antecessores, por outro lado, é puro preconceito. Qualquer livro pode ser muito bom; qualidade nada tem a ver com classicismo.


Não se trata apenas de respeitar o gosto do leitor. Nem é uma questão de respeito ao autor ou ao livro. Não é só isso. Quando falamos de preconceito literário precisamos enxergar a expressão cultural, a história, a narrativa de um povo. Criticar a fantasia brasileira, por exemplo, é ignorar a formação e consolidação do nosso próprio repertório cultural. Diminuir leitores de chick-lit, romances de época, hot, ou, ainda, infantojuvenis e distopias adolescentes, é querer suprimir a necessidade e a identificação do outro com cada história. É fechar os olhos à representatividade. É não ter empatia, só preconceito.


Essa é uma longa discussão com raízes profundas. É importante reafirmar, sempre, que não existe cultura certa, nem melhor ou pior, apenas manifestações culturais diferentes. A literatura, além de ser a nossa velha amiga, nosso entretenimento de sempre e o lar da nossa imaginação, é também uma ferramenta incrível, poderosa, para expandir conhecimentos e quebrar preconceitos. Sair da bolha. Conhecendo novas narrativas, redescobrimos o mundo. E viva a diversidade!




1 comentário

Posts recentes

Ver tudo

1 Comment


Daniel Braga
Daniel Braga
Jul 08, 2019

Seu enfoque é perfeito. Excelente artigo.

Like
bottom of page
Conversa aberta. Uma mensagem lida. Pular para o conteúdo Como usar o Gmail com leitores de tela 2 de 18 Fwd: Parceria publicitária no ficcoeshumanas.com.br Caixa de entrada Ficções Humanas Anexossex., 14 de out. 13:41 (há 5 dias) para mim Traduzir mensagem Desativar para: inglês ---------- Forwarded message --------- De: Pedro Serrão Date: sex, 14 de out de 2022 13:03 Subject: Re: Parceria publicitária no ficcoeshumanas.com.br To: Ficções Humanas Olá Paulo Tudo bem? Segue em anexo o código do anúncio para colocar no portal. API Link para seguir a campanha: https://api.clevernt.com/0113f75c-4bd9-11ed-a592-cabfa2a5a2de/ Para implementar a publicidade basta seguir os seguintes passos: 1. copie o código que envio em anexo 2. edite o seu footer 3. procure por 4. cole o código antes do último no final da sua page source. 4. Guarde e verifique a publicidade a funcionar :) Se o website for feito em wordpress, estas são as etapas alternativas: 1. Open dashboard 2. Appearence 3. Editor 4. Theme Footer (footer.php) 5. Search for 6. Paste code before 7. save Pode-me avisar assim que estiver online para eu ver se funciona correctamente? Obrigado! Pedro Serrão escreveu no dia quinta, 13/10/2022 à(s) 17:42: Combinado! Forte abraço! Ficções Humanas escreveu no dia quinta, 13/10/2022 à(s) 17:41: Tranquilo. Fico no aguardo aqui até porque tenho que repassar para a designer do site poder inserir o que você pediu. Mas, a gente bateu ideias aqui e concordamos. Em qui, 13 de out de 2022 13:38, Pedro Serrão escreveu: Tudo bem! Vou agora pedir o código e aprovação nas marcas. Assim que tiver envio para você com os passos a seguir, ok? Obrigado! Ficções Humanas escreveu no dia quinta, 13/10/2022 à(s) 17:36: Boa tarde, Pedro Vimos os dois modelos que você mandou e o do cubo parece ser bem legal. Não é tão invasivo e chega até a ter um visual bacana. Acho que a gente pode trabalhar com ele. O que você acha? Em qui, 13 de out de 2022 13:18, Pedro Serrão escreveu: Opa Paulo Obrigado pela rápida resposta! Eu tenho um Interstitial que penso que é o que está falando (por favor desligue o adblock para conseguir ver): https://demopublish.com/interstitial/ https://demopublish.com/mobilepreview/m_interstitial.html Também temos outros formatos disponíveis em: https://overads.com/#adformats Com qual dos formatos pensaria ser possível avançar? Posso pagar o mesmo que ofereci anteriormente seja qual for o formato No aguardo, Ficções Humanas escreveu no dia quinta, 13/10/2022 à(s) 17:15: Boa tarde, Pedro Gostei bastante da proposta e estava consultando a designer do site para ver a viabilidade do anúncio e como ele se encaixa dentro do público alvo. Para não ficar algo estranho dentro do design, o que você acha de o anúncio ser uma janela pop up logo que o visitante abrir o site? O servidor onde o site fica oferece uma espécie de tela de boas vindas. A gente pode testar para ver se fica bom. Atenciosamente Paulo Vinicius Em qui, 13 de out de 2022 12:39, Pedro Serrão escreveu: Olá Paulo Tudo bem? Obrigado pela resposta! O meu nome é Pedro Serrão e trabalho na Overads. Trabalhamos com diversas marcas de apostas desportivas por todo o mundo. Neste momento estamos a anunciar no Brasil a Betano e a bet365. O nosso principal formato aparece sempre no topo da página, mas pode ser fechado de imediato pelo usuário. Este é o formato que pretendo colocar nos seus websites (por favor desligue o adblock para conseguir visualizar o anúncio) : https://demopublish.com/pushdown/ Também pode ver aqui uma campanha de um parceiro meu a decorrer. É o anúncio que aparece no topo (desligue o adblock por favor): https://d.arede.info/ CAP 2/20 - o anúncio só é visível 2 vezes por dia/por IP Nesta campanha de teste posso pagar 130$ USD por 100 000 impressões. 1 impressão = 1 vez que o anúncio é visível ao usuário (no entanto, se o adblock estiver activo o usuário não conseguirá ver o anúncio e nesse caso não conta como impressão) Também terá acesso a uma API link para poder seguir as impressões em tempo real. Tráfego da Facebook APP não incluído. O pagamento é feito antecipadamente. Apenas necessito de ver o anúncio a funcionar para pedir o pagamento ao departamento financeiro. Vamos tentar? Obrigado! Ficções Humanas escreveu no dia quinta, 13/10/2022 à(s) 16:28: Boa tarde Tudo bem. Me envie, por favor, qual seria a sua proposta em relação a condições, como o site poderia te ajudar e quais seriam os valores pagos. Vou conversar com os demais membros do site a respeito e te dou uma resposta com esses detalhes em mãos e conversamos melhor. Atenciosamente Paulo Vinicius (editor do Ficções Humanas) Em qui, 13 de out de 2022 11:50, Pedro Serrão escreveu: Bom dia Tudo bem? O meu nome é Pedro Serrão, trabalho na Overads e estou interessado em anunciar no vosso site. Pago as campanhas em adiantado. Podemos falar um pouco? Aqui ou no zap? 00351 91 684 10 16 Obrigado! -- Pedro Serrão Media Buyer CLEVER ADVERTISING PARTNER contact +351 916 841 016 Let's talk! OverAds Certification -- Pedro Serrão Media Buyer CLEVER ADVERTISING PARTNER contact +351 916 841 016 Let's talk! OverAds Certification -- Pedro Serrão Media Buyer CLEVER ADVERTISING PARTNER contact +351 916 841 016 Let's talk! OverAds Certification -- Pedro Serrão Media Buyer CLEVER ADVERTISING PARTNER contact +351 916 841 016 Let's talk! OverAds Certification -- Pedro Serrão Media Buyer CLEVER ADVERTISING PARTNER contact +351 916 841 016 Let's talk! OverAds Certification -- Pedro Serrão Media Buyer CLEVER ADVERTISING PARTNER contact +351 916 841 016 Let's talk! OverAds Certification Área de anexos ficcoescodigo.txt Exibindo ficcoescodigo.txt.