• Diego Araujo

Resenha: "Yamesh - Onde nasce a consciência" (Yamesh vol. 1) de Feu Franco

Yamesh: Onde Nasce a Consciência convida o leitor a conhecer e fazer parte da história narrada por Austin, um programador que teve a vida transformada ao se aventurar num mundo fantástico.



Sinopse:


Muito bem! Aqui estamos. Já consegui fazer você olhar para essas palavras. São os primeiros passos para aprofundar o nosso relacionamento.


Há tempos pretendo lhe convidar a conhecer a minha história e a descobrir como ela se mescla com a sua e a de tantas outras.

Do meu ponto de vista, eu tinha uma vida banal; do seu, eu ainda terei. Porém, ela transitou do romance inesperado ao místico inusitado, da fantasia contemplativa à ficção científica, do inacreditável ao… depende do quanto você se dispõe a mergulhar nas loucuras dos acontecimentos que narrarei.

No momento em que Shay me perguntou “Você sabe o que é gnose?” eu não imaginei os lugares que eu iria visitar.


Quando Elmar me revelou as lendas e a mitologia de Yamesh, eu ainda não entendia a influência daquelas entidades em nossas escolhas em Malehk, ou como você costuma chamar, na Terra.

Ao fugir desesperado de uma espécie de Tamanduá-bandeira gigante, ao deslizar pela noite brilhante de estrelas viajantes com Kara, ao enfrentar a melhor guerreira de todas as tribos e ao ouvir os estrondos trovoantes de Clofinon, eu jamais acreditaria que era apenas o início da minha jornada. Que tudo estava conectado e revelaria o poder que tenho em mim. Um poder capaz de mudar os rumos da humanidade e que estou utilizando nesse exato momento em você.

E pensar que essa aventura começou porque a minha conta da Netflix estava bloqueada por falta de pagamento.


Eu era jovem comum, com algumas visões e sensações, quando me envolvi com Shay, cheia de papos ocultos. Acabei descobrindo uma facilidade sem igual de acessar outra parte de mim em outro mundo. O que depois aprendi a chamar de Gnose, ou como os seres de Yamesh: Ligação.

Sem saber se tudo aquilo se tratava apenas de imaginação, loucura ou realidade. Fui inserido em um lugar cheio de magia, criaturas estranhas e forças regentes que influenciam a nossa realidade.

Um livro cheio do que vocês de Malehk chamam de referências do ocultismo tradicional, psicologia moderna, magia do caos e ficção científica. Eu chamo de minha história.

Tenho muito a lhe contar. Preste atenção porque cada palavra importa. Farei o melhor para manter o seu foco, mas não tenho domínio sobre suas vontades; posso apenas sugeri-las. Já que você está me ouvindo, aumente as chances da humanidade virando as páginas desse livro.





Quando a jornada é capaz de transformar a pessoa, esta pode muito bem compartilhá-la, mostrar à humanidade a possibilidade fantástica de vivenciar um mundo mágico e trazer os leitores a esta realidade por meio das palavras. É o caso deste protagonista de capacidades extraordinárias contando sobre a transição da vida normal ao espetacular sobrenatural. Tudo isso é narrado no livro Yamesh: Onde Nasce a Consciência, escrito por Feu Franco e publicado de forma independente na Amazon em 2020.

“Do meu ponto de vista, eu tinha uma vida banal; do seu, eu ainda terei.”

A história é contada pelo protagonista Austin, cujo narrador vai além de contar a aventura vivida. Austin quebra a quarta parede e interage com o leitor desde o começo do livro, revela detalhes sobre si no presente ao contar sobre quando tudo começou. E a história é sobre ele, um programador iniciante, cheio de problemas comuns aos jovens de início de carreira: pouco dinheiro e pouco tempo disponível para os afazeres além do trabalho. Sonha em criar uma empresa própria junto com o amigo Jean, que vivia no mesmo apartamento até pouco tempo, até decidir ter relacionamento sério com a namorada Kay. Já Austin é solteiro, decide gastar o pouco tempo livre em um aplicativo de namoro e ali encontra Ann, a mulher responsável por começar a mudar sua vida e transformá-lo no narrador de sua própria história.

“A ciência não pode se tornar a nova religião onde é dona de todas as verdades.”

A apresentação do enredo desta resenha deixou de demonstrar os aspectos fantásticos do romance em respeito à coordenação feita pelo autor na história, pois revela a ambientação mágica do mundo criado por ele aos poucos, deixando o leitor vivenciar as novidades junto ao protagonista. No entanto é preciso comentar a introdução da história estar confusa, elencando várias características do romance ao mesmo tempo, essas explicadas apenas nos capítulos posteriores. Poderia ter feito uma transição suave entre o mundo comum e o extraordinário, afinal a introdução da história é o momento de fisgar o leitor na leitura, e embora o mistério seja boa estratégia, é melhor evitar deixar o texto em si confuso.


Passando a introdução, a narrativa melhora pelas cenas bem coordenadas, sempre impondo conflitos ao protagonista enquanto explora as características originais do mundo escrito por Feu Franco. Cada capítulo novo avança a trama sem enjoar o leitor, toda cena tem propósito e é apresentado de forma clara. Os ambientes distintos onde Austin vive alternadamente no romance são interligados por regras mostradas na narrativa que contribuem ao ponto forte do livro: a proposta de interligar à história e a interação do personagem/narrador com o leitor. Fica até a recomendação de explorar mais esta ideia na continuação deste livro pelo diferencial capaz de envolver o leitor ao ambiente desta história.

“No desespero e no perigo, a gente aprende a acreditar no impossível.”

Há muitos elementos de fantasia descritos neste primeiro livro, e isto merecia melhor cuidado ao descrevê-los em dois sentidos, o de manter a coerência e o cuidado de fornecer essas informações ao leitor. O exemplo do primeiro caso é o de Austin se lembrar de como usar sua arma, então parágrafos depois o mesmo nega saber lutar. Já foi dito quanto a informações virem sobrecarregadas no começo da narrativa, mas também ocorre o contrário em outro capítulo, o de mostrar as características do mundo através de respostas às perguntas feitas pelo protagonista numa sequência de diálogos.

A quantidade de personagens é alta e diversa, além de ter o esforço do autor em representar bem os dilemas mesmo de personagens secundários na trama. Um comportamento extravagante em determinada cena tem a justificativa contida no personagem, por vezes de modo inconsciente, e é explorada conforme o prosseguimento da história. O desfecho do livro é prolongado por amarrar as pontas existentes nesses personagens secundários e mesmo assim é bem executado, pois corresponde na capacidade do narrador presente desde o começo, ocultada aqui para o leitor descobrir por si mesmo.

Yamesh: Onde Nasce a Consciência é uma aventura de fantasia cuja narrativa mescla a ficção e a realidade, fazendo do protagonista alguém capaz de conversar com o leitor ao revelar a própria história. Possui representatividade entre os personagens portadores de dilemas explorados mesmo sendo alheios à trama principal, e ainda assim interligados pela capacidade extraordinária do protagonista.

“Faço parte de um todo que não tenho ideia de quanto pedaços tem.”










Ficha Técnica:


Nome: Yamesh - Onde nasce a consciência

Autor: Feu Franco

Editora: Independente

Número de Páginas: 470

Ano de Publicação: 2020


Link de compra:

https://amzn.to/2ZVMowu


Tags: #yamesh #feufranco #fantasia #quartaparede #interacao #descoberta #magia #realidade #fantastico #ficcoeshumanas









ficções humanas rodapé.gif

Todos os direitos reservados.

Todo conteúdo de não autoria será

devidamente creditado.

  • Facebook - Círculo Branco
  • Twitter - Círculo Branco
  • YouTube - Círculo Branco
  • Instagram - White Circle

O Ficções Humanas é um blog literário sobre fantasia e ficção científica.