• Paulo Vinicius

Resenha: "O Último Dragão de Athelgard" de Ana Lúcia Merege

O dragão Grim (em sua forma humana) e o mago Thiers de Pwilrie partem em uma jornada rumo às Ilhas Interiores para investigar misteriosos rumores. Uma jornada que pode levar Grim a descobrir que talvez ele não seja o último dragão de Athelgard.

Este é um conto que se passa no universo de Athelgard, a narrativa de fantasia do qual a série que se inicia em O Castelo das Águias se situa. Ana Lúcia Merege amplia sua construção de mundo nos mostrando se temos ou não dragões em seu mundo. E se temos dragões no mundo, onde eles se encontrariam. Nesse sentido, a autora consegue contar uma história muito boa e divertida. É sempre um enorme prazer ler qualquer coisa da autora, embora este não seja ainda um dos contos que eu mais curti dela (O Jogo do Equilíbrio continua a ser um dos meus favoritos).


Somos apresentados a Grimmagauhr, um dragão vermelho que é mantido protegido pelo povo élfico. Ele conhece o idioma comum por ter sido criado ao lado de humanos e elfos. Na história, ele é chamado porque existem indícios da presença de um dragão negro em uma das Ilhas Interiores de Athelgard. Para investigar o caso, ele é enviado ao lado do mago Thiers de Pwilrie em uma embarcação até lá. Mas, para tal, ele não pode revelar sua identidade aos membros da tripulação mantendo apenas o capitão do navio e o mago como pessoas cientes.


Como sempre, Ana Lúcia Merege tem um ritmo suave e constante de contar histórias. O curioso é que nessa narrativa até temos um momento climático lá no final com uma batalha até bem conduzida pela autora. Destaco isso porque a Ana não é lá muito fã de descrições de combate, mas quando ela faz é sempre dinâmica e coerente. A gente não percebe confusões nas cenas. Os personagens que ela nos apresenta são bem delineados e caracterizados. Alguns deles acabam ganhando bastante destaque como a xamã que eles encontram ao desembarcar na ilha. As tribos locais acabam fazendo parte diretamente do desenvolvimento do enredo.


O tema do conto é o debate entre a natureza e a criação. De um lado temos um ser que teve muito de suas características psicológicas atreladas àqueles que o criaram. Mas, ao mesmo tempo, será que essa criação pode superar a natureza de uma criatura? Grim tem até um pouco de dificuldade de se colocar no papel de uma criatura selvagem. Entretanto, o personagem tem um caráter intempestivo. Em determinados momentos, a sua natureza draconiana supera um pouco de seu bom senso. Um outro problema é ele estar dividido entre sua missão e a proteção de seus semelhantes. O que é mais importante? No final, Grim vai tomar uma decisão que é muito coerente com o seu personagem. Mas, você só vai descobrir ao ler a narrativa. Convido vocês a conhecerem mais este conto da autora. E se você nunca leu nada dela, certamente é um prato cheio e uma ótima maneira de conhecê-la.

Ficha Técnica:


Nome: O Último Dragão de Athelgard

Autora: Ana Lúcia Merege

Editora: Draco

Gênero: Fantasia Número de Páginas: 27

Ano de Publicação: 2017

Avaliação:


Link de compra:

https://amzn.to/2IYCD7Z


Tags: #oultimodragaodeathelgard #analuciamerege #editoradraco #contosdodragao #dragoes #athelgard #grimmagauhr #thiers #pwilrie #natureza #criacao #fantasia #leiafantasia #amofantasia #igfantasia #leianovosbr #leianacionais #ficcoeshumanas


ficções humanas rodapé.gif

Todos os direitos reservados.

Todo conteúdo de não autoria será

devidamente creditado.

  • Facebook - Círculo Branco
  • Twitter - Círculo Branco
  • YouTube - Círculo Branco
  • Instagram - White Circle

O Ficções Humanas é um blog literário sobre fantasia e ficção científica.