• Paulo Vinicius

Resenha: "Noites Negras de Natal e Outras Histórias" de Karen Álvares e Melissa de Sá

A dupla Karen Alvares e Melissa de Sá decidiram assustar seus leitores neste Natal. Com histórias de arrepiar como o de uma namorada e um panetone, um mundo fantástico com cisnes que se alimentam de sangue, um canteiro de obras assombrada e uma rena demoníaca seus natais nunca serão os mesmos.

Sinopse:


Um casal numa jornada sombria, um jovem isolado com os sobrinhos em um sítio macabro no interior de Minas, operários numa obra suspeita e uma mulher amaldiçoada. São esses os personagens que você vai encontrar em Noites Negras de Natal e outras histórias.

Nessa coleção de 4 contos, as escritoras Karen Alvares e Melissa de Sá se lançam em histórias sobre o que tem no escuro da noite e atrás da porta. 4 contos de terror, dos quais 2 são especiais natalinos.

Do que você tem medo no Natal?




Essa coletânea é muito interessante de ser lida. Para um blogueiro que deseja compreender melhor o funcionamento da escrita de autores diferentes, ter dois dividindo o mesmo livro é curioso. A gente é capaz de perceber como cada uma delas entende a temática a partir de suas próprias construções de mundo. Gostei de poder conhecer mais do trabalho da Melissa de Sá e apreciar mais uma vez os dotes aterrorizantes de Karen Alvares.

Começando pela Karen Alvares, é incrível a capacidade dela para criar histórias gore. Na coletânea ela escreve O Último Panetone de Natal e Setor B12. Ambos são bem voltados a leitores que gostam de tramas mais intensas. No primeiro temos uma jornada intimista de um casal após um acontecimento trágico na vida de Rafaela. Eles seguem em uma viagem para poderem se reencontrar, reacender a chama do amor, mas eles acabam em uma situação muito estranha. A história é mais sobre a superação de problemas. Pablo tenta o possível para ser paciente com a namorada só que existem momentos em que se percebe que determinadas situações não podem ser remediadas. Neste conto me parece que a autora tentou utilizar o mito do doppelganger, mas eu senti falta de um espaço a mais na história. Não compreendi as motivações que levaram ao plot twist no final. Não sei se foi proposital com um final em aberto, ou se apenas não houve espaço hábil para tratar o tema adequadamente.

Da Karen, eu curti mais Setor B12. Saindo do tema natalino, ela coloca uma história sobre um canteiro de obras assombrado. Terríveis acidentes ocorrem no local, mas devido à negligência das autoridades, nada é investigado. Neste conto eu senti um pouco mais da presença do medo do desconhecido. A gente fica o tempo todo tentando encontrar onde se encontra o perigo: é um assassino, um espírito, um artefato maligno. E a construção disso é muito boa porque vamos nos envolvendo com os personagens. Assim como no primeiro conto, Karen opta por usar a narrativa em terceira pessoa que lhe permite analisar todas as cenas, apresentando o clima com calma e paciência. Teria sido interessante usar a primeira pessoa em Setor B12 de forma a fazer com que os leitores estivessem na pele de Beto. E a escrita é quase nesse sentido.

Já a Melissa de Sá é uma autora mais afeita à fantasia e aos contos de fadas. Em A Morte do Cisne isso é bem claro. Aqui ela apresenta a história sob a perspectiva de uma protagonista que é uma mulher que se transforma em um cisne. Mas, por conta de um evento catastrófico ela acaba ficando presa na forma de um cisne para sempre. Ela trabalha muito bem as motivações dos personagens envolvidos desde Siegfried (o amor que aparentemente a traiu), passando por Rothbart (o vilão que deseja possuir Odette a todo custo) e a própria Odette (desesperada por conta de seus sentimentos). A história nos proporciona momentos de confusão, de angústia e ao final Melissa coloca uma cena gore bizarra. Mas, o leitor sente essa veia fantástica da autora porque a história transborda aquele feeling de conto de fadas. Existem até elementos de construção mitológica como a ambientação na floresta, a presença de um príncipe encantado e um bruxo maligno e uma escolha a ser feita por Odette. Porém, a trama degringola para algo mais aterrorizante.

Mas, no caso da Melissa, eu gostei do conto natalino. Lembranças Vermelhas é um conto que trabalha com o medo do que não podemos ver. Gosto de histórias que não te apresentam o apavorante de forma a chocar, mas que vai criando aquela sensação de insegurança, de não saber o que vai acontecer a seguir. E é com essa sensação que somos colocados dentro daquela casa junto com os meninos. Julian seguiu para a casa de seu irmão para poder comemorar o Natal junto de sua esposa escocesa e seus filhos. Mas, ao chegar lá, uma estranha presença ronda o local e quando Nicholas sai com Marion para resolver um problema, é que o caos se instaura.

Noites Negras de Natal e Outras Histórias certamente vai roubar o sono de vocês. Apresentando histórias sempre muito competentes, duas delas me agradaram positivamente. De um lado, Karen Alvares sempre apresenta algo capaz de nos levar aos limites do medo enquanto Melissa nos coloca em um ambiente assustador onde o mal pode se encontrar atrás de uma porta.

Ficha Técnica:

Nome: Noites Negras de Natal e Outras Histórias Autoras: Karen Alvares e Melissa de Sá Editora: Auto-Publicado Gênero: Terror/Fantasia Número de Páginas: 73 Ano de Publicação: 2013


Link de compra:

https://amzn.to/2W52fas


Tags: #noitesnegrasdenataleoutrashistorias #karenalvares #melissadesa #natalmacabro #panetone #sobrenatural #assombrado #terror #fantasia #leianacionais #leianovosbr #historiascurtas #contos #ficcoeshumanas

ficções humanas rodapé.gif

Todos os direitos reservados.

Todo conteúdo de não autoria será

devidamente creditado.

  • Facebook - Círculo Branco
  • Twitter - Círculo Branco
  • YouTube - Círculo Branco
  • Instagram - White Circle

O Ficções Humanas é um blog literário sobre fantasia e ficção científica.