• Paulo Vinicius

Resenha: "Mundo Fantasmo" de Bráulio Tavares

Atualizado: Jun 4

Uma coletânea de histórias curtas escritas por um dos grandes expoentes da ficção científica no Brasil. As histórias variam do estranho indo ao insólito. Histórias que possuem várias camadas de narrativas.



Sinopse:


Pacto com o diabo há vários, mas aqui há um pacto com Deus em Oh Lord, won’t buy me, conto com título inspirado no primeiro verso de Mercedes Benz, música interpretada por Janis Joplin.

Em Paperback Writer um tecladista se apresenta em um concerto interativo. Em vez de música, narrativas improvisadas são datilografadas atendendo aos pedidos do público.

Um escritor que recria obras-primas da literatura numa linguagem palatável ao grande público é o mote (mas não só) de Exame da obra de Giuseppe Sanz.


No Posfácio de MUNDO FANTASMO, as curiosas anotações do autor a respeito de cada conto: como foram pensados, onde foram escritos, as inspirações e fundamentos. Este posfácio é uma surpresa saborosa ao término da leitura.





Coletâneas de histórias curtas podem parecer apenas uma reunião de histórias curtas (duh) colocadas aleatoriamente em um livro. Ênfase no "podem parecer". Aqui temos um exemplo de uma coletânea que reúne uma série de histórias com a temática do estranho e do insólito permeando todas elas. A organização está muito bem feita e todas elas fazem sentido no todo. No que diz respeito a que todas elas compartilham de uma mesma pegada e estilo narrativo. Ou seja, se já não bastasse eu te dizer que essa é uma coletânea do grande Bráulio Tavares, um dos grandes da ficção científica no Brasil, eu te digo que esta é uma coletânea bastante competente. É óbvio que pegando um livro possuindo vários contos, terão aqueles que você vai curtir mais e outros nem tanto. Absolutamente normal. Só te digo que esta é uma coletânea bem acima da média.


Analisando a coletânea como um todo, achei a edição incrível. Ainda não pus as mãos no livro físico (só estará disponível para os leitores depois que todos os apoiadores do Catarse receberem suas edições), mas a editora Bandeirola me enviou gentilmente uma edição digital. Aliás, fica aqui o convite ao pessoal a não fecharem o livro depois da última história. Bráulio Tavares faz ótimos comentários em seu posfácio onde ele comenta sobre as inspirações que o levaram a escrever cada conto. Se você não entendeu algum conto, talvez com os apontamentos do autor alguma coisa possa ficar mais clara. Apesar de ele ser conhecido mais por seu trabalho na ficção científica, seja escrevendo ou traduzindo, Mundo Fantasmo se trata mais de uma coletânea de fantasia e, em alguns casos, de weird fiction. Fantasia não no sentido de algo tolkieniano, mas flertando mais com o realismo mágico. Algumas histórias vão parecer quase ficção tradicional com alguma pitadinha minúscula de estranho que a retira do lugar comum.


Como eu não quero estragar a surpresa dos leitores vou comentar sobre três contos que me chamaram a atenção. Oh Lord, won't you buy me é uma ótima narrativa que mostra uma pessoa que tem problemas em se relacionar com as pessoas e de repente recebe a visita de Deus em um metrô. Este aparece vestido como uma pessoa comum e instiga o protagonista a fazer um pacto com ele. Bem interessante a proposta da narrativa, fugindo do clichê do pacto fáustico. É aquela pergunta: dadas as devidas proporções, será que Deus é tão bonzinho assim? A própria ideia do desejo em si fornece vários caldos para narrativas. O personagem se coloca como um fiel da balança, alguém que está ali para o personagem de forma a equilibrar o Universo. Sem falar no fato de que o personagem é um leitor e se vê às voltas com livros que nunca foram publicados. Imagine colocar as mãos em um livro perdido de Kafka? A narrativa é bem veloz e tê-la colocado como abertura da coletânea foi um baita acerto porque mostra como é a escrita do Bráulio Tavares.



O autor gosta de experimentalismos narrativos. Isso pode ser percebido em Expedição às profundezas do oceano, uma história toda construída como um relatório policial. Achei que deu à história um estilo bem diferente em relação às outras. A escrita seca e pragmática segue justamente a ideia de ser um relato específico sobre fatos que aconteceram em uma dada noite. O acusado está registrando o seu lado da história. Podemos até entender que o narrador não é confiável se formos levar a própria concepção da narrativa. Ele pode ter inventado toda a história insólita para escapar da prisão. Ou podemos acreditar que em uma certa noite, ele encontrou uma mulher bela e misteriosa ao qual ele leva para a cama. Após manter um breve momento de carícias calientes, o personagem se vê diante de uma estranha anciã que tenta matá-lo. Nessa história, o autor faz um belo flerte com o terror, sem nunca sair da atmosfera estranha que ele cria para a narrativa. Bem realizado, pode parecer até exótico para alguns leitores. Mas, o experimentalismo estético aqui redunda em algo que certamente chama a atenção.


Por fim, vamos falar do Exame da obra de Giuseppe Sanz. Uma história que vai fazer alguns autores se retorcerem. Imaginem um autor que nunca escreveu nada, mas é um dos maiores escritores vivos. Segundo o protagonista, ele escreve mais de um milhão de palavras por ano. Mas, sua técnica é, no mínimo, diferente: ele faz uma colagem de trechos de várias obras em seus livros. Segundo Peppe Sanz, ele retira tudo aquilo que é supérfluo e mescla com o que ele julga ser interessante para fazer uma obra de sucesso. O protagonista venera o estranho escritor e busca acompanhá-lo para compreender os seus segredos. É uma narrativa de trajetória que tenta enredar os leitores em uma narrativa cercada de mistérios. Cabe ao leitor julgar se o escritor estaria exagerando e criando uma lenda urbana ou se tudo aquilo que ele fez existiu de verdade. E mais: sua obra é válida? Ou ele é apenas um mero copista? A história vem cercada de pequenas cutucadas no mercado editorial sobre a valorização dos mesmos.


Mundo Fantasmo é uma bela coletânea de histórias. Marcada por histórias que variam do estranho ao experimentalismo, Bráulio Tavares demonstra toda a sua habilidade na criação de histórias curtas e impactantes. Podemos até não gostar de todas, mas há de se concordar que se tratam de narrativas de alto nível. Muito bom ver que a editora Bandeirola buscou resgatar as histórias deste grande autor. E fiquem ligados que vai ter também uma resenha de A Espinha Dorsal da Memória, um clássico de Tavares.








Ficha Técnica:


Nome: Mundo Fantasmo

Autor: Bráulio Tavares

Editora: Bandeirola

Número de Páginas: 116

Ano de Publicação: 2020


Avaliação:


Link de compra:

https://amzn.to/3aRG1PR


*Material enviado em parceria com a editora Bandeirola