Buscar

Seleção das cinco melhores leituras literárias realizadas em 2020, todas resenhadas e indicadas no Ficções Humanas ao longo do ano.


"Desaparecidos em Luz da Lua" (A Passa-Espelhos, vol. 2), de Christelle Dabos


Ficha técnica:


Título: Desaparecidos em Luz da Lua

Autora: Christelle Dabos

Série: A Passa-Espelhos vol. 2

Editora: Morro Branco

Páginas: 480

Ano de publicação: 2019


Resenha no Ficções



Link de compra:

https://amzn.to/3q2KVyo









Sinopse:


Segundo volume da série bestseller francesa A Passa-Espelhos, com mais de 500.000 cópias vendidas.


Quando Ophélie é promovida a vice-contista, ela se vê inesperadamente jogada aos holofotes e escrutínio da corte. Seu dom, a habilidade de ler a história secreta dos objetos, é descoberto por todos, e não há maior ameaça aos nefastos habitantes de seu novo lar gélido do que isso.


Sob os arcos dourados da capital do Polo, ela descobre que a única pessoa em que talvez possa confiar é Thorn, seu enigmático e frio noivo. À medida que influentes pessoas da corte começam a desaparecer, Ophélie se encontra novamente envolvida em uma investigação que a levará além das muitas ilusões do Polo e a uma temível verdade.


Comentários:


Superior ao volume prévio, Desaparecidos em Luz da Lua oferece uma trama complexa e cheia de reviravoltas, segredos e revelações. A evolução da autora é notável e surpreendente, bem como a própria narrativa que se desenrola e amadurece muito bem nesta nova fase da protagonista Ophélie. Além de ter sido uma excelente leitura, merece destaque pela inesperada grandiosidade da estrutura e escrita.


"Misery - Louca Obsessão", de Stephen King


Ficha técnica:


Título: Misery - Louca Obsessão

Autor: Stephen King

Editora: Suma

Páginas: 326

Ano de publicação: 2014


Resenha no Ficções



Link de compra:

https://amzn.to/3rvoFO3








Sinopse:


Paul Sheldon descobriu três coisas quase simultaneamente, uns dez dias após emergir da nuvem escura. A primeira foi que Annie Wilkes tinha bastante analgésico. A segunda, que ela era viciada em analgésicos. A terceira foi que Annie Wilkes era perigosamente louca. Paul Sheldon é um famoso escritor reconhecido pela série de best-sellers protagonizados por Misery Chastain. No dia em que termina de escrever um novo manuscrito, decide sair para comemorar, apesar da forte nevasca. Após derrapar e sofrer um grave acidente de carro, Paul é resgatado pela enfermeira aposentada Annie Wilkes, que surge em seu caminho.

A simpática senhora é também uma leitora voraz que se autointitula a fã número um do autor. No entanto, o desfecho do último livro com a personagem Misery desperta na enfermeira seu lado mais sádico e psicótico. Profundamente abalada, Annie o isola em um quarto e inicia uma série de torturas e ameaças, que só chegará ao fim quando ele reescrever a narrativa com o final que ela considera apropriado. Ferido e debilitado, Paul Sheldon terá que usar toda a criatividade para salvar a própria vida e, talvez, escapar deste pesadelo.


Comentários:


Um dos romances mais famosos de Stephen King que só chegou às minhas mãos em 2020, Misery é impecável em todos os sentidos, em cada detalhe, e já se coloca juntinho de O Iluminado como os meus favoritos do Mestre do Terror. É uma daquelas leituras obrigatórias para quem gosta de um bom suspense/terror. Além disso, vale considerar que a Annie Wilkes é simplesmente uma das vilãs mais icônicas da literatura.


"O Timbre" (Scythe, vol. 3), de Neal Shusterman


Ficha técnica:


Título: O Timbre

Autor: Neal Shusterman

Série: Scythe, vol. 3

Páginas: 560

Ano de publicação: 2020


Resenha no Ficções



Link de compra:

https://amzn.to/3aG0mpX









Sinopse:


A humanidade alcançou um mundo ideal, em que não há fome, doenças, guerras, miséria… nem mesmo a morte. Mas, mesmo com todo o esforço da inteligência artificial da Nimbo-Cúmulo, parece que alguns problemas humanos, como a corrupção e a sede de poder, são igualmente imortais. Desde que o ceifador Goddard começou a ganhar seguidores da nova ordem, entusiastas do prazer de matar, a Nimbo-Cúmulo decidiu se silenciar, deixando o mundo cada vez mais de volta às mãos dos humanos.


Depois de três anos desde que Citra e Rowan desapareceram e Perdura afundou, parece que não existe mais nada no caminho de Goddard rumo à dominação absoluta da Ceifa — e do mundo. Mas reverberações da Grande Ressonância ainda estremecem o planeta, e uma pergunta permanece: será que sobrou alguém capaz de detê-lo?


A resposta talvez esteja na nova e misteriosa tríade de tonistas: o Tom, o Timbre e a Trovoada.


Comentários:


Sem dúvida uma das melhores leituras de 2020. O fechamento da trilogia young adult Scythe foi especialmente gratificante, com todos os pontos muito bem encaixados e uma narrativa criativa e crítica, mas sem perder de vista as colocações irônicas e bem humoradas do autor que dão o tom irreverente característico da trilogia.


"A Bruxa Akata", de Nnedi Okorafor


Ficha técnica:


Título: A Bruxa Akata

Autora: Nnedi Okorafor

Série: Akata Witch vol. 1

Editora: Galera

Páginas: 322

Ano de publicação: 2018


Resenha no Ficções



Link de compra:

https://amzn.to/2N61PgY








Sinopse:


Carinhosamente apelidado de Harry Potter nigeriano, Bruxa Akata tece uma trama de magia e mistério, repleta de mitologia africana. Uma história de amizade, superação e sobre como achar seu lugar no mundo.


Sunny tem 12 anos e sempre viveu na fronteira entre dois mundos. Filha de nigerianos, nasceu nos Estados Unidos e é albina. Uma pária, incapaz de passar despercebida. O sol é seu inimigo. Castiga a pele e a expõe aos olhares curiosos. Parece não haver lugar onde ela se encaixe. É sob a lua que a menina se solta, jogando futebol com os irmãos. E então ela descobre algo incrível – na realidade, ela é uma pessoa-leopardo em um mundo de ovelhas. Sunny é alguém com um talento mágico latente, é uma agente livre. Uma pessoa com poderes que nasceu de pais comuns.


Logo ela se torna parte de um quarteto de estudantes mágicos, pesquisando o visível e o invisível, aprendendo a alterar a realidade, sendo escolhida por um mentor e conseguindo, enfim, sua faca juju — com a qual é capaz de fazer seus feitiços. Mas isso será suficiente para que encontrem e impeçam um assassino em série que está matando crianças? Um homem perigoso com planos de abrir um portal e invocar o fim do mundo?


Comentários:


Meu primeiro contato com a autora Nnedi Okorafor não poderia ter sido melhor. A Bruxa Akata é um livro pouco divulgado, pouco conhecido e que merecia muito mais atenção, a começar pela injusta comparação com Harry Potter. Okorafor explora costumes, tradições e mitologia nigeriana para compor uma história interessantíssima que foge dos padrões ocidentais e surpreende pela qualidade e originalidade. Essa é uma das leituras mais preciosas que fiz em 2020 e fica como uma dica igualmente importante.


"Escuridão Total Sem Estrelas", de Stephen King


Ficha técnica:


Título: Escuridão Total Sem Estrelas

Autor: Stephen King

Editora: Suma

Páginas: 392

Ano de publicação: 2015



Resenha no Ficções




Link de compra:

https://amzn.to/39YTjJP







Sinopse:


Vencedor dos prêmios BRAM STOKER e BRITISH FANTASY


"Contos que fazem mais do que jus à qualidade literária desse autor prolífico. Instigantes? Sim. Brutais? Nem queira saber." The New York Times


"Reviravoltas sombrias guiam os quatro contos, que mostram como um talentoso contador de histórias pode fazer um livro inquietante e impossível de largar." Publishers Weekly


"King oferece quatro olhares que vão direto ao ponto, mostrando os limites da ganância, da vingança e do autoengano." Booklist


Na ausência da luz, o mundo assume formas sombrias, distorcidas, tenebrosas. Os crimes parecem inevitáveis; as punições, insuportáveis; as cumplicidades, misteriosas. Os personagens desses quatro contos passam por momentos de escuridão total, quando não existe nada - bom senso, piedade, justiça ou estrelas - para guiá-los. Suas histórias representam o modo como lidamos com o mundo e como o mundo lida conosco. São narrativas fortes e, cada uma a seu modo, profundamente chocantes.


Comentários:


Pois é, temos King por aqui de novo. Escuridão Total Sem Estrelas é um livro de quatro contos de altíssima qualidade, cada um com suas peculiaridades, mas todos demonstrando a parte mais escura, mais densa e enlouquecida da humanidade - o quanto a pessoa pode mergulhar nas próprias profundezas. Destaque para "1922" e "Um Bom Casamento", dois contos angustiantes, engenhosos e dignos de um lugar especial na estante de qualquer fã de terror.



Na distópica Gilead, as mulheres são alijadas de direitos e tornam-se posse do Estado teocrático - são objetificadas, marcadas e exploradas, e Offred é uma delas.


Fonte: Desconhecido

Sinopse:


Escrito em 1985, o romance distópico O conto da aia, da canadense Margaret Atwood, tornou-se um dos livros mais comentados em todo o mundo nos últimos meses, voltando a ocupar posição de destaque nas listas do mais vendidos em diversos países. Além de ter inspirado a série homônima (The Handmaid’s Tale, no original) produzida pelo canal de streaming Hulu, o a ficção futurista de Atwood, ambientada num Estado teocrático e totalitário em que as mulheres são vítimas preferenciais de opressão, tornando-se propriedade do governo, e o fundamentalismo se fortalece como força política, ganhou status de oráculo dos EUA da era Trump. Em meio a todo este burburinho, O conto da aia volta às prateleiras com nova capa, assinada pelo artista Laurindo Feliciano.


Alerta de gatilho: Violência e estupro.



Gilead está logo ali


"Nunca se esqueça que basta uma crise política, econômica ou religiosa para que os direitos das mulheres sejam questionados. Esses direitos não são permanentes. Você terá que manter-se vigilante durante toda a sua vida”

(Simone de Beauvoir)


Os direitos das mulheres sempre foram atacados, isso não é novidade alguma. A verdade é que evoluímos muito pouco na nossa caminhada de mais de um século de reivindicações, e a prova disso está nos jornais de cada dia: violência doméstica, feminicídio, assédio sexual, abuso, estupro, salários mais baixos e pouquíssima representatividade no alto da pirâmide socioeconômica e política; mais recentemente, no Brasil, o aborto voltou a ser radicalmente rechaçado pelos conservadores maniqueístas que lutam para manter um sistema desigual e negligente.


Quando O Conto da Aia reflete sobre a condição da mulher em uma sociedade patriarcal, conservadora e fundamentalista, os horrores contidos nas páginas podem chocar os mais ingênuos, mas não há nada lá de tão distópico se comparado à era de extremos que vivemos. A eleição de Donald Trump, nos Estados Unidos, reacendeu o debate em torno do livro, que automaticamente entrou para a lista de mais vendidos e, desde então, mantém sua posição, e não é à toa.


"Nada muda instantaneamente: numa banheira que se aquece gradualmente, você seria fervida até a morte antes de se dar conta."

Margaret Atwood extrapola a realidade para pensar nas consequências que as coisas poderiam ter caso seguissem por um rumo de radicalismo e ódio - é a ficção especulativa da qual se tornou uma das maiores referências da literatura contemporânea. Porém, as escolhas que estamos presenciando, que buscam silenciar e anular a mulher, a população LGBTQIA+, o movimento negro e todas as demais minorias, sugerem que Gilead pode ser tão real quanto se temia.



O Conto da Aia


Com a popularidade crescente do livro e da série da Hulu, The Handmaid's Tale, o público criou certa familiaridade com a história da Offred, mesmo sem realmente conhecê-la, e percebo que isso choca um pouco os fãs que decidem ler o romance após ter esse contato midiático com O Conto da Aia. Apesar de a série ser excelente e contar com a consultoria da própria Margaret Atwood - o que tornou o desenrolar dos eventos pós-livro muito verossímeis e plausíveis -, eu vou me deter em analisar apenas o livro e tentar adentrar um pouco nas entrelinhas e na engenhosidade da escrita da Atwood.


O Conto da Aia é um romance que se encaixa entre a distopia e a ficção científica especulativa narrada em primeira pessoa pela protagonista Offred. Esse não é o nome dela; as mulheres consideradas férteis, com potencial para gerarem bebês saudáveis, foram sequestradas, destituídas de bens materiais, família e inclusive de seus nomes e tornaram-se propriedades de Gilead em uma tentativa de conter os avanços dos problemas com fertilidade e natalidade na nova nação, que representa uma boa porção do território dos Estados Unidos.


Fonte: Desconhecida

Toda a ambientação e as informações fornecidas são passadas ao leitor de forma lenta, picotada e um pouco desconexa, sob o olhar bastante restrito da Offred. Pouco a pouco, esses pedaços desencontrados de dados sobre Gilead vão se juntando, mas a narrativa exige uma interação contínua com o leitor para que o panorama geral possa se descortinar. Digo isso porque a narrativa de O Conto da Aia não está pronta para o leitor, não é simples e, em muitas ocasiões, o não-dito é ainda mais importante do que Offred consegue expressar.


Offred, aliás, é uma personagem muito marcante. Através de suas memórias, descobrimos um pouco sobre quem ela foi antes do golpe de Estado, sobre os Estados Unidos e a crise que levou à ascensão de um governo militarizado e autoritário, e passamos a enxergar Gilead da mesma forma como ela vê. Offred é uma inconformada, uma mulher questionadora e bastante sarcástica, atributos essenciais para sua sobrevivência enquanto indivíduo. Enquanto todas as mulheres são brutalmente suprimidas a um sistema de castas composto por esposas (de azul), econoesposas (de verde, esposas pobres que se submetem à servidão) e aias (de vermelho), e, portanto, se anulam enquanto mulheres e enquanto pessoas, Offred resiste e cria pequenas revoluções das quais se orgulha, como guardar um pouquinho de manteiga escondido.


"Eu me ajoelhei para examinar o piso do armário e lá estava, escrito em letras minúsculas, bem recentes, parecia, riscadas com um alfinete ou talvez apenas uma unha, no canto, onde caía a sombra mais escura: Nolite te bastardes carborundorum."

Dizer tudo isso com tão pouco, com entrelinhas, com meias palavras e subjetividade é o que torna a escrita da Margaret Atwood um marco entre diversos dos mais renomados autores da ficção científica. Um livro tão enxuto comporta reflexões muito dolorosas e incômodas sobre inúmeros temas, que perpassam desde o colapso ambiental até a fragilidade da condição da mulher em uma sociedade patriarcal.



Cabe também ressaltar que O Conto da Aia não discute tão somente a questão feminina, mas também lança luz a críticas contundentes aos limites da religião e Estado, às ditaduras e à perseguição às minorias, como a população LGBTQIA+, que também é fortemente atacada na história (ainda que Offred não tenha muito contato com tal questão por viver em isolamento). As escolhas individuais são completamente tolhidas em Gilead em nome de uma fé distorcida de modo a atender os interesses do opressor.


Margaret Atwood foi muito sábia na confecção de O Conto da Aia, atacando de forma sutil e inteligente - assim como Offred -, sem jamais perder o foco no objetivo da escrita. A leitura é desafiadora, pesada, vagarosa e bastante indigesta, mas é preciso que seja assim. As discussões propostas por Atwood são graves e dizem respeito a todos, clamam por mudanças e alertam sobre os caminhos tortuosos que a humanidade pode tomar frente ao poder. Ao final, resta uma experiência perturbadora e profundamente transformadora ao leitor que se entregar à narrativa.














Ficha Técnica:


Nome: O Conto da Aia

Autora: Margaret Atwood

Editora: Rocco

Tradutora: Ana Deiró

Número de Páginas: 368

Ano de publicação (no Brasil): 2017 (nova edição)


Link de compra:

https://amzn.to/33pBJeC















Fevereiro é um mês curtinho e que normalmente é mais calmo por conta dos feriados. Mas, por efeito da pandemia, teve o seu andamento normal graças aos atrasos de títulos do ano passado. Separamos algumas coisas bem legais que podem atrair o seu olhar.


Financiamentos Recorrentes:


"Revista Ignoto de Ficção Especulativa" por Corvus Editora



Link da campanha


Sinopse: A Revista Ignoto de Ficção Especulativa publica contos e microcontos de fantasia, ficção científica (e seus subgêneros), inéditos, representativos e de alto padrão editorial. A revista conta com conteúdo semanal, entre microcontos e newsletter, e edições trimestrais, compilando os microcontos publicados no trimestre e adicionando contos mais longos à mistura.


A newsletter e os microcontos semanais serão enviados via email para os apoiadores, através do próprio Catarse, e a revista trimestral será disponibilizada em PDF (adaptado para celulares e Kindle).


Metas:


01: R$ 1000,00 – atingindo essa meta, a revista enviará aos apoiadores conteúdo semanal (microcontos e newsletter) e, ao fim de cada trimestre, enviará aos apoiadores uma edição da revista completa, incluindo os textos já publicados e acrescentando contos inéditos! Essa meta garante que todos os envolvidos, desde autores a profissionais, sejam pagos.


02: R$ 1500,00 – atingindo essa meta, o valor de direitos autorais para os autores publicados pela revista será aumentado.


Mais metas serão desbloqueadas!


Formas de Apoio:


"Só quero ler!" (R$10,00) • essa é a recompensa base, que garante recebimento dos conteúdos mensais e as edições trimestrais da revista.


"Quero ler e interagir!" (R$15,00)• essa recompensa inclui todos os benefícios do nível anterior e dá acesso ao servidor no Discord da Revista.


Financiamentos Literários:


"A Cidade dos Amaldiçoados" de John Wyndham


Ficha Técnica:


Nome: A Cidade dos Amaldiçoados

Autor: John Wyndham

Editora: Diário Macabro

Gênero: Terror/Ficção Científica

Tradutor: Alcebíades Diniz Miguel

Número de Páginas: aproximadamente 220

Prazo da campanha: 18/03

Data de Entrega: maio de 2021


Link da campanha








Sinopse: Em um dia como outro qualquer, os habitantes da cidade de Midwich, na Inglaterra, caem em um sono inexplicável após o aparecimento de um estranho objeto prateado sobre a cidade. Nenhum dano parece ter sido causado à população, com exceção de um incrível fenômeno: nas semanas que se seguiram, todas as mulheres da cidade descobrem que estão grávidas.


O resultado disso é igualmente surpreendente: as crianças têm aparência única, sem semelhança alguma com seus pais, além de terem poderes sobrenaturais, como o controle da mente e a telepatia. Só resta aos habitantes da pequena cidade lidar com tal situação apavorante e incontrolável.


Recompensas:



Principais Formas de Apoio:


1 - Olhar: R$55,00


- exemplar físico do livro

- vale de 30 dias grátis de acesso à Darkflix

- frete grátis


2 - Telepatia: R$58,00


- exemplar físico do livro

- vale de 30 dias grátis de acesso à Darkflix

- marca páginas metalizado

- frete grátis


3 - Controle da Mente: R$68,00


- exemplar físico do livro

- vale de 30 dias grátis de acesso à Darkflix

- marca páginas metalizado

- adesivo metalizado

- pôster A3

- frete grátis


"As Artes Mágicas do Ignoto" organizado por Dante Luiz e G.G. Diniz


Ficha Técnica:


Nome: As Artes Mágicas do Ignoto

Organizado por Dante Luiz e G.G. Diniz

Editora: Corvus e Dame Blanche

Gênero: Fantasia

Número de Páginas: 240

Prazo da campanha: 29/03

Data de entrega: junho de 2021


Link da campanha


Sinopse: Nesse universo, a magia é real e faz parte do mundo comum. O Instituto Ignoto é a escola brasileira voltada para o ensino acadêmico e mágico, localizada sobre o casco de um cágado gigante que circula pela costa brasileira. Não se sabe ao certo quem foi a primeira pessoa a pisar lá ou construir um portal de acesso, mas, em meados do século XIX, o prédio principal foi fundado e a escola foi aberta, com sua primeira diretora: Emília Freitas.

A obra nasceu da vontade de se criar uma escola de magia genuinamente brasileira, pensada por nós e para nós, longe de conceitos importados de educação e magia.


Recompensas:



Principais Formas de Apoio:


Livro + Mimos: R$40,00


- um exemplar impresso de As Artes Mágicas de Ignoto

- um marcador de páginas

- uma carteirinha de estudante personalizável

- dois wallpapers do instituto

- nome nos agradecimentos

- frete calculado ao final da compra


"Secretária de Satã" de Karine Ribeiro


Ficha Técnica:


Nome: Secretária de Satã

Autora: Karine Ribeiro

Editora: Rocket Editorial

Gênero: Suspense/Terror

Número de Páginas: não informado

Prazo da campanha: 19/02

Data de entrega: maio de 2021


Link da campanha




Sinopse: O auxiliar de necropsia Alexandre Queiroz se envolve com o agente literário do seu autor favorito, Gabriel Salinas, como forma de se aproximar de seu grande ídolo. O encontro entre ele e o escritor é marcado por um compromisso: Alexandre deverá seguir os passos de Amanda, a protagonista do último livro de Salinas, que por um pacto com forças ocultas, deve ofertar cinco corações humanos ao próprio demônio, numa perseguição alucinada por seus mais profundos desejos. Conseguir os corações, no entanto, será uma árdua e sangrenta tarefa.


Principais Formas de Apoio:


1 - Alexandre: R$39,00


- exemplar impresso

- frete calculado ao final da compra


2 - Gabriel: R$45,00


- exemplar impresso

- marcador do livro

- marcador da Rocket Editorial

- nome nos agradecimentos

- frete calculado ao final da compra





ficções humanas rodapé.gif

Todos os direitos reservados.

Todo conteúdo de não autoria será

devidamente creditado.

  • Facebook - Círculo Branco
  • Twitter - Círculo Branco
  • YouTube - Círculo Branco
  • Instagram - White Circle

O Ficções Humanas é um blog literário sobre fantasia e ficção científica.